Histórico do periódico

As pesquisas sobre história da educação matemática têm crescido muito nos últimos anos no Brasil. Sinais desse crescimento podem ser vistos na consolidação de grupos de pesquisa como o HIFEM, GHOEM, GHEMAT dentre vários outros, na enorme quantidade de artigos, livros e produções de teses, dissertações, bem como trabalhos de iniciação científica divulgados recentemente. É revelador o fato de o principal periódico da área – BOLEMA –, depois da chamada para o número temático “história da educação matemática”, em 2010, ter publicado dois volumes para abrigar uma grande quantidade de trabalhos de indiscutível qualidade, que atestam o avanço do conhecimento na área. Vários outros periódicos promoveram edições temáticas sobre História da Educação Matemática, e todos foram publicados com textos, produzidos por vários autores nacionais e estrangeiros, abordando uma grande diversidade de temas. Ressalta-se ainda a criação da HISTEMAT – Revista de História da Educação Matemática em 2015 (http://histemat.com.br/).

Muitos encontros têm sido realizados para possibilitar a divulgação, debate e troca de experiências de pesquisa sobre história da educação matemática. Em boa medida, eles ocorrem ou no interior de eventos mais amplos da Educação Matemática / História da Matemática ou são promovidos por grupos de pesquisa ou foram especificamente criados com a função de congregar pesquisadores do campo da História da Educação Matemática. Em 2016 foi criado o GT 15 – HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA como um dos Grupos de Trabalho vinculado à SBEM – Sociedade Brasileira de Educação Matemática.

Curiosamente, mesmo sem antes ter ocorrido um evento nacional, professores brasileiros com pesquisas em história da educação matemática, tomaram a iniciativa de, junto com colegas de Portugal, México, Espanha, Cuba e Venezuela realizarem o I CIHEM – Congresso Iberoamericano de História da Educação Matemática. O Evento ocorreu na Universidade da Beira Interior, na cidade de Covilhã, em Portugal, entre os dias 26 a 29 de maio de 2011.

Ao término desse evento internacional, vários pesquisadores brasileiros, ainda em Portugal, analisaram a pertinência de promover, já em 2012, um evento nacional de modo a reunir uma comunidade de pesquisa que está em grande expansão. Assim, tem início a ideia de levar adiante o I ENAPHEM – Encontro Nacional de Pesquisa em História da Educação Matemática.

A primeira edição do evento foi realizada em Vitória da Conquista (BA), nos dias 01 a 03 de novembro de 2012 (http://enaphem.galoa.com.br). O sucesso dessa iniciativa, que contou com um grande número de participantes e trabalhos apresentados, levou a realização da segunda edição, em 2014. Como resultado importante do evento, tivemos além dos Anais, a publicação do livro História da Educação Matemática no Brasil: Problemáticas de pesquisa, fontes, referências teórico-metodológicas e histórias elaboradas, cujo objetivo foi refletir sobre e divulgar ainda mais amplamente a produção científica divulgada no evento.

O II ENAPHEM foi realizado em Bauru (SP), nos dias 31/10 e 1 e 2/11, tendo como temática: “Fontes, temas, metodologias e teorias: a diversidade na escrita da História da Educação Matemática no Brasil” (http://www2.fc.unesp.br/enaphem/index.php), tendo também grande número de pesquisadores presentes e mais de 300 trabalhos apresentados. Seguindo a primeira edição, novamente, uma sistematização dos temas abordados em vários estudos em desenvolvimento e dos modos com que as investigações vêm sendo produzida no Brasil foi elaborada e reunida no livro Pesquisas em História da Educação Matemática no Brasil: sob o signo da pluralidade, publicado no III ENAPHEM.

Em 2016, de 31 de outubro a 2 de novembro, o III ENAPHEM ocorreu em São Mateus (ES) (http://www.eventos.ufes.br/enaphem/3enaphem), sediado na UFES. O tema dessa terceira edição “História da educação matemática e formação de professores”. Assim como ocorreu nas edições anteriores, teremos a publicação de um livro síntese desse III ENAPHEM a ser lançada no IV ENAPHEM, em 2018. Novamente o sucesso do evento se repetiu, e a temática foi tão instigante e potente que houve, por parte dos participantes, a solicitação que o tema fosse mantido para a quarta edição do ENAPHEM. Tal solicitação mostrou-se significativa por vários motivos, dentre os quais devem ser citadas as drásticas mudanças que ocorreram no cenário político e educacional brasileiro nos últimos anos, implicando cortes de verbas de custeio para cursos de licenciatura a distância, descontinuidade de programas como PIBID e OBEDUC além dos cortes nos financiamentos de pesquisa dentre as quais aquelas muitas relacionadas à formação de professores, seja para a educação básica ou superior.

Desta forma, optou-se por realizar em Campo Grande (MS), no ano de 2018, o IV ENAPHEM, cujo tema será: “Formação de Professores: história, cultura e política” na tentativa de retomar, ampliar e amplificar as discussões sobre “Formação de Professores” já postas por essa comunidade de pesquisadores. Elementos como cultura e política refletem preocupações atuais sobre a formação de professores e a educação de forma geral, e devem ser tomados de forma entrelaçada, cujo tratamento é tão significativo quanto urgente, considerando o momento político atual.

Há certo exercício de descentralização nas escolhas de sedes do ENAPHEM. Como nas outras edições, Campo Grande foi escolhida como sede desta quarta edição devido a sua localização geográfica no centro-oeste brasileiro. Além deste aspecto, a UFMS, campus de Campo Grande, possui um Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, com mestrado e doutorado, este último o único do Centro-Oeste. Vinculado a este programa estão os grupos HEMEP e GEPHEME, cujos membros compõem a comissão de organização. Recentemente neste programa foi aprovada a criação da linha de pesquisa “História, Filosofia e Educação Matemática” o que mostra o crescente número de trabalhos e de docentes envolvidos nesta temática operando na instituição-sede desse IV ENAPHEM.



ISSN: 2596-3228