A CONQUISTA DA ÚLTIMA FRONTEIRA: a imprensa periódica e as narrativas sobre a ocupação de Rondônia (1960-1980)

Eliane Gomes & Gilmara Franco

Resumo


O presente artigo analisa o recente processo de ocupação de Rondônia. Tomando como fonte matérias publicadas pela revista Veja e pelo Jornal Tribuna Popular, periódicos de circulação nacional e local, respectivamente, tem-se por objetivo compreender como estes veículos de imprensa apresentaram os sentidos e a atmosfera no período em que a região Norte do Brasil era, em larga medida, percebida pelos governos da Ditadura Civil-Militar, e parte expressiva da sociedade brasileira, como a última fronteira a ser conquistada. Em outras palavras, este era percebido como um ambiente de natureza bruta que precisa ser domado e civilizado para dar lugar ao progresso e desenvolvimento. Desse modo, buscamos compreender, por meio da análise do discurso presente nas narrativas impressas nos periódicos, os significados da chegada dos migrantes no território rondoniense, objetivando compreender os sentidos de domar a natureza com vista a tornar a terra um meio de produção, de forma a consubstanciar os anseios de progresso e desenvolvimento que caracterizavam os sonhos daqueles que deixaram tudo para trás e apostaram na conquista de um pedaço de terra nestas paragens. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.