Lendo Games: (multi)letramentos nos anos iniciais

  • Michely Gomes Avelar USP
  • Giuliana Castro Brossi UEL/UEG
Palavras-chave: Multiletramentos, Letramentos, games, educação linguística, leitura nos anos iniciais

Resumo

A multiplicidade de linguagens e culturas existentes no ambiente digital possibilitam inúmeras formas de construção de sentido. Nas interações com o digital, as crianças acionam diferentes formas de ler e se comunicar, atribuindo sentido aos textos de acordo com as suas experiências socioculturais. Os games têm feito parte do cotidiano de muitas crianças sendo uma oportunidade para as leituras multimodais. Neste sentido, alicerçados nas perspectivas dos (multi)letramentos e no digital (MONTE MÓR, 2019, 2018, 2017;BARTON; LEE, 2015; COPE; KALANTZIS, 2003; GEE, 2010, 2003; PRENSKY, 2006), este artigo busca refletir sobre as leituras multimodais realizadas pelas crianças nos primeiros anos escolares a partir das interações com o digital. Para isto, realizamos uma pesquisa qualitativa interpretativa, com dados coletados a partir da observação de interações de duas crianças, com 5 e 6 anos, com os games. Por fim, apontamos a importância dos (multi)letramentos nas práticas pedagógicas como forma de propiciar novas formas de ler e construir sentidos.

Biografia do Autor

Michely Gomes Avelar, USP

 Doutoranda em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês (USP). Mestra em Língua, Literatura e Interculturalidade (POSLLI/UEG), graduada em Letras (PUC-GO) e Pedagogia (IBRA).

Giuliana Castro Brossi, UEL/UEG

Docente no curso de Letras - Português/Inglês da Universidade Estadual de Goiás (UnU Inhumas, Goiás, Brasil).Doutoranda em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Referências

AVELAR, Michely Gomes. Games na formação de professores de língua inglesa. Goiânia: Scotti, 2021.
BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.
COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. “Multiliteracies”: New Literacies, New Learning. Pedagogies: An International Journal. London: Publisher Rouledge, p.164-195 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1080/15544800903076044 Acesso em: 14 abr. 2021.
DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. Introduction: The Discipline and Practice of Qualitative Research. In: DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. The SAGE Handbook of qualitative research. 5th Edition. Thousand Oaks: Sage Publications, 2017. p.29-71.
FERRAZ, Daniel de Mello. Educação crítica em língua inglesa: neoliberalismo, educação e
novos letramentos. 1ª ed. Curitiba, PR: Editora CRV, 2015.
FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. 1ª edição, São Paulo: Cortez, 1981.
GEE, James Paulo. What video games have to teach us about learning and literacy. New York: Palgrave Macmillan, 2003.
KALANTZIS, Mary; COPE, Bill; PINHEIRO, Petrilson. Letramentos. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2020
MALTA, Liliane Salera. Além do que se vê: educação crítica e letramentos, formação de professores e prática docente no ensino de inglês com crianças de 2 a 5 anos. 2019. 105f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Espírito Santo, Espírito Santo, 2019.
NASCIMENTO, Roseli Gonçales; BEZERRA, Fábio Alexandre Silva; HERBELE, Viviane Maria. Multiletramentos: iniciação à análise de imagens. Linguagem & Ensino, Pelotas, v.14, n.2, p.529-552, jul./dez.2011
PANORAMA MOBILE TIME/Opinion Box. Crianças e smartphones no Brasil. Out. 2020. Disponível em: http://www.panoramamobiletime.com.br Acesso em: 12 de abr. 2021.
PRENSKY, Marc. Don’t bother me mom! I’m learning. St. Paul, Minnesota: Paragon House, 2006.
Publicado
2022-06-03