A ESCOLA PÚBLICA: FORMAS DE EXCLUSÃO E DE CONTROLE

  • Alberto Albuquerque Gomes UNESP

Resumo

A ESCOLA PÚBLICA: formas de exclusão e de controle*

 

RESUMO: Este artigo tem por objetivo refletir sobre o papel da escola pública no contexto contemporâneo considerando-se o movimento de expansão de oportunidades escolares que testemunhamos ao longo do século XX e que incorporou um contingente oriundo das classes populares que historicamente vinha sendo excluído da escolarização formal. Essa massificação exigiu que a escola se transformasse a caminho de uma escola para todos. Ao abrir as portas a novos públicos escolares, foram necessários novos regulamentos para a convivência interna e novas regulações para a vida externa, isto é, a escola criou novos mecanismos de controle disciplinar interno e as agências financiadoras novas formas de regulação da oferta do ensino público e gratuito. Esses aspectos devem ser considerados e criteriosamente analisados considerando: 1. A difusão mundial da escola; 2. Universalização da escola; 3.  Processo de globalização;4. A construção de uma nova escola; 5. Garantia da sustentação da democracia nas escolas. Acima de tudo, é preciso considerar que é papel da escola desenvolver consciências críticas e espíritos solidários que sejam capazes de reconstruir e reinventar espaços e tempos democráticos.

Palavras-chave: Escola pública. Exclusão. Globalização. Democratização.


* O presente Texto é um aprofundamento de algumas reflexões apresentadas no artigo “Escolarização e globalização: mitos e desafios”  redigido em colaboração com Sílvia Adriana Rodrigues.

Publicado
2014-06-12
Seção
Artigos