GÊNERO E INFÂNCIA (S), O QUE AS OBRAS LITERÁRIAS PODEM NOS DIZER SOBRE ISSO?

  • Nubea Rodrigues Xavier Doutoranda do Programa de pós-graducação da Faculdade de Educação (PPGEdu) da Universidade Federal da Grande Dourados-MS, sob a orientação da profª Dra. Magda Sarat e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Educação e Processo Civilizador (GPEPC)

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a formação da criança por meio de seus comportamentos infantis e suas relações sociais dispostos a partir de uma perspectiva de gênero. Para tal procedimento, tomamos como embasamento teórico os estudos de foulcaultianos para analisar a escrita autobiográfica de autoras latino-americanas, sendo uma brasileira, Cecília Meireles e, a outra, uruguaia, Juana Ibarbourou que descrevem sobre suas reminiscências infantis. Para a análise sociológica dessas obras literárias nos pautamos em Bourdieu e Norbert Elias, a partir de seus conceitos de habitus social, individualização do sujeito e relações de poder. Como resultados, almejamos compreender como se deu a formação da criança brasileira e uruguaia, sua adequação às normas, regras, além da sua inserção enquanto sujeito social, elaborando assim, um viés sociológico sobre crianças, infâncias e gênero. 

Publicado
2016-01-04
Seção
Artigos