A Visão de Universitários com Deficiência sobre as Condições de Acessibilidade na Educação Superior

  • kele Cristina da Silva Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho - Unesp
  • Sandra Eli Sartoreto De Oliveira Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Palavras-chave: Ensino superior. Inclusão. Deficiência. Educação Especial. Políticas Públicas. Ensino Superior. Acessibilidade

Resumo

A compreensão da deficiência enquanto fenômeno social tem possibilitado pensar a diversidade afastada do modelo homogeneizante, que nega a diferença como constitutiva humano. Esse modo de conceber a deficiência permite reconhecer avanços na conquista de direitos e participação de grupos populacionais os quais se encontram em situações de vulnerabilidade social e em condições anatomofisiológicas, psicossociais, linguísticas e culturais diferentes da maioria dos jovens, em idade para cursar a Educação Superior. Mobilizadas pelos movimentos e lutas pelos direitos sociais, pessoas com deficiência têm reivindicado condições de oportunidades iguais de acesso e permanência nessa etapa de educação. Sob tais circunstâncias, o artigo verificou como universitários com deficiência refletem sobre sua formação, na Educação Superior. Os dados foram coletados por meio de entrevista com uso de roteiro semiestruturado, sendo analisados a partir do emprego da técnica de análise de conteúdo. O desafio consistiu na análise sistemática do ponto de vista dos participantes sobre as condições de acessibilidade da universidade investigada, o que corrobora e prospera com o debate acerca da formação das pessoas com deficiência, no contexto universitário. Por conseguinte, os enunciados deflagram movimentos discursivos de resistência e empoderamento formativo de quem outrora estava às margens dos muros da universidade.

Biografia do Autor

kele Cristina da Silva, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho - Unesp
Mestre em Educação pela Universidade Estadual Paulista, UNESP (2016). Especialista em Educação infantil, Universidade da Cidade de São Paulo - UNICID (2015). Possui graduação em Pedagogia, com Habilitação para as séries iniciais do Ensino fundamental e Educação Especial - Deficiência Intelectual pela UNESP(2008). Realizou estágio de pós-graduação pelo Programa de internacionalização - AUGM- na Universidade de Santiago do Chile - USACH (2015). Professora de Educação Básica - Educação Especial e professora de Educação Básica - séries iniciais na Prefeitura Municipal de Bauru; Tem experiência na área de Educação, com ênfase em alfabetização, educação especial e inclusão educaciona
Sandra Eli Sartoreto De Oliveira, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Pedagoga e Doutora em Educação. Professora assistente doutora do Departamento de Educação Especial e do Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista, Campus de Marília. Pós-doutora pelo Programa de Linguística da UFSCar. É coordenadora do Laboratório de Linguagem e Surdez - LaLis/Unesp e do projeto de pesquisa em rede financiado pelo Observatório em Educação OBEDUC/CAPES - Acessibilidade no Ensino Superior (Edital No. 49/2012). É responsável pelo Anexo de Acordo de Pesquisa Internacional entre o Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista -Campus Marília/ Brasil e Faculdade de Psicologia da Universidade de La Republica do Uruguai/UR (Processo No. 418/2014). Demonstra produção de conhecimento nas áreas: Políticas Públicas, Educação Especial/Inclusiva, Formação de Professores, Educação Superior e Surdez. É vice-líder do grupo de pesquisa GEPDI/Cnpq (Grupo de Estudos e Pesquisa em Deficiência e Inclusão). E-mail: <sandreli@marilia.unesp.br>.
Publicado
2018-08-18