INTERVENÇÃO E CONTROLE SOBRE OS CORPOS DAS ADOLESCENTES VÍTIMAS DE ESTUPRO DE VULNERÁEL

MICHELLE SILVA BORGES

Resumo


 

O exercício da autoridade sobre os corpos das mulheres atravessa gerações dentro do processo histórico, ganhando, gradativamente, novos modelos e rearranjos que legitimam essa ingerência e vigilância que perpassa por uma estrutura de dominação simbólica de ordem masculina. A partir disso, o que se propõe é uma análise sobre as intervenções as quais estão sujeitas as adolescentes menores de 14 anos a partir do momento que assumem o exercício de uma sexualidade que vai de encontro ao papel determinado pelas estruturas sociais em que estão inseridas, as quais, por sua vez, impõem às mulheres códigos de conduta cuja manifestação da sexualidade torna-se inibitória. E que encontram na lei, através do estupro de vulnerável, a legitimidade necessária para as realizações de poder e controle.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.