ENTRE HISTÓRIA DA ÁFRICA E CURRÍCULO: A PROPOSTA DA OFICINA 'SERIAM OS ANTIGOS EGÍPCIOS BRANCOS OU NEGROS?'

Vinícius Moretti Zavalis

Resumo


O presente trabalho visa propor uma revisão bibliográfica sobre a relação da Historiografia da África e do Egito com o currículo de História da Educação Básica no Brasil. O trabalho se inicia abordando o processo de exclusão e inclusão da África na Historiografia, pensa o branqueamento do Egito e seu lugar nas Teorias do Currículo e no Ensino de História. Esse caminho é percorrido por nós para embasar a construção de uma proposta de oficina para o Ensino Médio sobre a ocupação espacial do Egito e das origens étnico-raciais dos seus povos. A oficina foi pensada em 2016 na disciplina África e Currículo do curso de História da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e aplicada no estágio no seu Colégio de Aplicação. A justificativa acadêmica para a publicação do trabalho é o fato do currículo intercultural, que inclui narrativas sobre diversidade racial, estar em risco em tempos de Escola Sem Partido. 


Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Muryatan Santanana. A africa por ela mesma: a perspectiva africana na História da África (UNESCO). São Paulo: USP, 2012.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileirae Africana, Brasilia, DF, Outubro, 2004.

BREASTED, James H. History of Egypt: from the Earliest Times to the Persian Conquest. New York: Charles Scribner's Sons. 1909.

CARDOSO, C. F. S. O Egito antigo. São Paulo: Brasiliense, 2004

CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In ___________________; MOREIRA, Antônio Flávio. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2008, pp. 13-37;

DIOP, Cheikh Anta. Origem dos antigos egípcios. In: MOKHTAR, Gamla (ED.). História geral da África II. Brasília: Unesco, 2010, pp. 1-36;

DU BOIS, W.E.B. The Negro. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1915.

FAGE, J. D. Evolução da historiografia da África. In: KI-ZERBO, J. (ED.). História Geral da África I – metodologia e pré-história da África. São Paulo: Ática, 1982;

FUNARI, R. S. Imagens do Egito antigo – um estudo de representações históricas. São Paulo: Annablume/Unicamp, 2006.

HERNANDEZ, Leila Leite. A África na Sala de Aula - Visita à História Contemporânea. São Paulo: Selo Negro, 2005;

KI-ZERBO, Joseph. Para quando a África? Entrevista com René Hojenstem. Rio de

Janeiro: Pallas, 2009;

LIMA, Mônica. Fazendo soar os tambores: o ensino de História da África e dos Africanos no Brasil. Cadernos PENESB, n. 5. Niterói: EdUFF, 2004, pp. 1-12;

M’BOKOLO, Elikia. África Negra – História e civilizações. Tomo I (Até o século XVIII). Salvador: EDUFBA; São Paulo: Casa das Áfricas, 2009.

____________. África Negra – História e civilizações. Tomo II (Do século XIX aos nossos dias). Lisboa: Edições Colibri, 2007.

MALAVOTA, Claudia Mortari; VIEIRA, Fábio Amorim. Recialização e vozes dissonantes na historiografia sobre o Egito faraônico. Revista Mundo Antigo – Ano II, v. 2, nº 04 – Dezembro, 2013.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CÂMARA, Michele Januário. Reflexões sobre o currículo e identidades implicações para a prática pedagógica. In: CANDAU, Vera Maria;

MOREIRA, Antônio Flávio. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2008, pp. 38-67;

PAIVA, Viviane Aparecida da Silva. O Egito como componente curricular de história: desafios e possibilidades no ensino de história da África. Dissertação (Mestrado em Ensino de História). Universidade Federal de Goiás, 2016.

PEREIRA, Luena Nascimento Nunes. O ensino e a pesquisa sobre África no Brasil e a Lei 10.639. Revista África e Africanidades, v. Ano II, p. 16, 2010;

SAGREDO, Raisa. Egípcios negros ou brancos? Uma pesquisa sobre a memória do Egito antigo. In: XXVIII Simpósio Nacional de História- Associação Nacional de História -ANPUH., 2015, Florianópolis-SC. Anais Eletrônicos XXVIII Simpósio Nacional de História, 2015.

_______________. Raça e Etnicidade: Questões e debates em torno da (des)africanização do Egito Antigo. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2017.

SAID, Edward. Orientalismo. São Paulo: Cia. das Letras, 2006.

SHOHAT, Ella; STAM, Robert. Crítica da imagem eurocêntrica: multiculturalismo e representação. São Paulo: Cosac&Naify, 2006.

SILVA, Alberto da Costa e.Um rio chamado Atlântico: A África no Brasil e o Brasil na África. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Editora da UFRJ, 2003;

SILVA, Thais Rocha. O sorriso da esfinge: reflexões sobre o ensino do Egito antigo no Brasil.. In: LEMOS, Rennan de Souza. (Org.). O Egito Antigo: novas contribuições brasileiras. Rio de Janeiro: Multifoco, 2014, v. 1, p. 279-299.

SILVA, Thiago Stering Moreira. Caminhos e descaminhos da historiografia da História da África (1840-1990). MG: UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA, 2010;

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999;

WALSH, Catherine. Interculturalidad crítica y pedagogia de-colonial: apuestas (des)de el in-surgir, re-existir e re-vivir. Disponível em: . Acesso em 04/07/2017 às 15:54.

VOLNEY, Constatin-François de Chasseboeuf, Conde de. Travels trough Syria and Egypt, in the years 1783, 1784 and 1785. London: G.G.J. and J. Robinson, 1787.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.