EQULIBRIO CORPORAL, POSTURA CORPORAL NO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO E MEDIDAS DE PREVENÇÃO ATRAVÉS DO EXERCÍCIO FÍSICO: UMA REVISÃO.

Antonia Dalla Pria Bankoff

Resumo


O processo natural do envelhecimento envolve inúmeras transformações biológicas inerentes aos organismos e que ocorrem de maneira gradativa e premida por necessidades evolutivas. A velocidade deste declínio depende de diversos fatores, genéticos e epigenéticos que determinarão a resposta do organismo aos estímulos. Quando falamos do processo de envelhecimento do equilíbrio corporal não podemos deixar de focalizar as alterações visuais. As alterações morfológicas e fisiológicas sofridas pelas estruturas do olho ao longo do envelhecimento acabam por interferir na acuidade visual dos idosos. A partir da quarta década de vida, são observadas alterações anatômicas e fisiológicas no sistema vestibular que se acentuam com o passar do tempo. São processos degenerativos que levam à redução gradual na densidade dos receptores e no número de células receptoras de algumas estruturas do sistema. Importantes para a manutenção do equilíbrio corporal também são as informações proprioceptivas. A orientação do corpo no espaço também depende de impulsos de proprioceptores nas cápsulas das articulações, que enviam dados sobre a posição relativa das várias partes do corpo. Além disso, as mudanças fisiológicas, morfológicas e funcionais que ocorrem durante o processo natural de envelhecimento podem interferir negativamente na capacidade funcional desses indivíduos. Em nossa revisão ficou bem evidente, que o processo de envelhecimento é bastante complexo. É fato que todos que vivem irão envelhecer. Este processo está intimamente ligado a nossa qualidade de vida e estilo de vida.


Palavras-chave


: Envelhecimento. Postura e Equilíbrio Corporal. Exercício Físico.

Texto completo:

PDF

Referências


Freitas, EV et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan, 2006.

Jahn K, Zwergal A, Schniepp R. Gait disturbances in old age: classification, diagnosis, and treatment from a neurological perspective. Dtsch Arztebl Int. 2010, 107,17, 306-15.

Bear MF, Commors BW, Paradiso MA. Neurociências: desvendando o sistema nervoso. 2ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002. 856 p.

Sherwood L. Human Physiology: from cells to systems. 7th ed. USA: Brooks/Cole Eds, 2010, Chapter 8, Muscle physiology, 257-64.

Ralston SH. Genetics of osteoporosis. Ann NY Acad Sci. 2010, 1192, 181-9.

Clarke B. Normal bone anatomy and physiology. Clin J Am Soc Nephrol. 2008, 3(Suppl. 3) S, 131-9.

Davies MR. Muscle. In: Davies A, Blakeley AGH, Kidd C. Human Physiology. Philadelphia: Elsevier; 2001.

Matsudo SM, Matsudo VKR, Barros Neto TL. Impacto do envelhecimento nas variáveis antropométricas, neuromotoras e metabólicas da aptidão física. Rev Bras Ciênc Mov, 2000, 8,4, 21-32.

Larsson L, Ramamurthy B. Aging-related changes in skeletal muscle. Mechanisms and interventions. Drugs Aging, 2000, 17,4, 303-16.

Martin A, David V, Laurence JS, Schwarz PM, Lafer EM, Hedge AM, et al. Degradation of MEPE, DMP1, and release of SIBLING ASARM peptides (minhibins): ASARM peptide(s) are directly responsible for defective mineralization in HYP. Endocrinology, 2008, 149, 4, 1757-72.

Lord SR. Visual risk factors for falls in older people. Age Ageing, 2006, 35, S2, 42-5.

Michael R, Bron AJ. The ageing lens and cataract: a model of normal and pathological ageing. Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci, 2011,366,1568, 1278-92.

Macedo BG, Pereira LS, Gomes PF, Silva JP, Castro AN. Impacto das alterações visuais nas quedas, desempenho funcional, controle postural e no equilíbrio dos idosos: uma revisão de literatura. Rev Bras Geriat Gerontol, 2008,11,3, 419-32.

Esquenazi D, Silva SRB, Guimarães MAM. Aspectos fisiopatológicos do envelhecimento humano e quedas em idosos. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, 2014, 13, 10, 158-165.

Horak FB. Postural orientation and equilibrium: what do we need to know about neural control of balance to prevent falls? Age Ageing, 2006, 35, S2, 7-11.

Bankoff, ADP; Jurado, SR. ENVELHECIMENTO, IDOSO, ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE. In: Vanessa Cristina Lourenço Casotti Ferreira da Palma; Willian Diego de Almeida; Fernando Rodrigues Teodoro dos Santos. (Org.). ENVELHECIMENTO, IDOSO, ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE. 1ªEd.Campo Grande: Editora Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2013, 2, 121-136.

Douglas, CR. Tratado de Fisiologia aplicada a saúde. 5. ed. São Paulo: Robe Editorial, 2002.

Bankoff, ADP Morfologia e cinesiologia aplicada ao movimento humano. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

Barela, JA. Estratégias de controle em movimentos complexos: ciclo percepção-ação no controle postural. Revista paulista de Educação Física. supl. 3, 2000, 79-88.

Enoka, R M. Bases neuromecânicas da cinesiologia. 2. ed., São Paulo: Manole, 2000.

De Lucca, CJ, Le Fever, RS, Mccue, MP, Xenakis, AP. Control scheme governing concurrently active human motor units during voluntary contractions. Journal of Physiology, 1982, 329, 129-42.

Bankoff, ADP, Pelegrinotti,IL, Moraes,AC, Galdi,EHG, Moreira, ZW, Massara, G, Ronconi, P. Analisis poddometrico de los atletas de levantamiento de peso mediante la técnica vídeo-podometrica. Congresso científico olímpico, Málaga, Espanha, 1992,1, 208-18

Bankoff, ADP. Study on Body Balance in Hypertensive Patients. J Hypertens Open Access, 2012. 1,101. doi: 10.4172/2167-1095.1000101.

Oliveira,LF, Imbiriba, LA, Garcia, MAC. Índice de estabilidade para avaliação do equilíbrio postural. Revista brasileira de Biomecânica, 2000, l, 33-38.

Latash, Mark L. Neurophysiological: basis of movement. The Pennsylvania State University: Human Kinetics, 1998.

Inamura, K, Mano T, Iwase, S, Amagishi, Y, Inamura S: One minute wave in body fluid volume change anhanced by postural sway during upright standing. J. Appl. Physiology, 1996, 81, 1, 459-369.

Guyton, Arthur C. Fisiologia humana e mecanismo das doenças. 5ª ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1992.

Bankoff, ADP. Study on Body Balance in Hypertensive Patients. Journal of Hypertension, 2012, 1, 1-5.

Bankoff, ADP et al. Análise do equilíbrio corporal estático através de um baropodômetro eletrônico. Revista Conexões, 2006, 4, 2.

Enoka, R. M. Neuromechanical Basis of Kinesiology.2ª Ed. The Cleveland Clinic Foundation. Human Kinetics, 1995.

Holland JG, Tanaka K, Shigematsu R, Nakagaichii M. Flexibility and physical functions of older adults: a review. JAPA,2002,10,169-206.

Organização Pan-Americana da Saúde. Anais da XXVI Conferência Sanitária Pan-Americana. 23-27 de set 2002; Washington (DC). [acesso 2007 out 1]. Disponível em:

Ministério da Saúde. Ministério recomenda: é preciso envelhecer com saúde. http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/25924-ministerio-recomenda-e-preciso-envelhecer-com-saude. Acesso em maio de 2017.

Manini TM, Pahor M. Physical activity and maintaining physical function in older adults. Br J Sports Med, 2009 43, 1, 28-31. doi: 10.1136/bjsm.2008.053736.

Haskell WL, Lee I, Pate LL, Powell KE, Blair SN, Franklin BA, et al. Physical Activity and Public Health. Updated Recommendation for Adults From the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Circulation, 2007, 116, 9, 1081-93.

Morris JN, Heady JA, Raffle PAB, Roberts CG, Parks JW. Coronary heart disease and physical activity of work. Lancet, 1953, 2, 1053-7.

Janssen I, Baumgartner RN, Ross R, Rosenberg IH, Roubenoff R. Skeletal muscle cutpoints associated with elevated physical disability risk in older men and women. Am J Epidemiol. 2004,159, 4, 413-21.

Silva TA, Frisoli AJ, Pinheiro MM, Szejnfeld VL. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Rev Bras Reumatol, 2006, 46,6, 391-7. doi: 10.1590/S0482-50042006000600006.

McGuire DK, Levine DB, Williamson JW, Snell PG, Blomqvist CG, Saltin B, et al. A 30-year follow-up of the Dalas best and training study. Circulation, 2000, 18,1350-6.

Ravagnani FCP, Coelho CF, Burini RC. Declínio do consumo máximo de oxigênio em função da idade de indivíduos do sexo masculino submetidos a teste ergoespirométrico. Rev Bras Cienc Mov, 2005, 13,3, 23-8.

Shephard RJ. Exercise and aging: extending independence for older adults. Geriatrics, 1993, 48, 61-4.

Ueno LM, Okuma SS, Miranda ML, Jacob Filho W, Lee Ho L. Análise dos efeitos quantitativos e qualitativos de um programa de educação física sobre a flexibilidade do quadril em indivíduos com mais de 60 anos. Motriz. 2000, 6,1, 9-16.

Daley MJ, Spinks WL. Exercise, mobility and aging. Sports Med, 2000, 29,1,1-12.

Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO). Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde, 2014. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/184queda_idosos.html Acesso em 21 10 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2447-8822

O processo de submissão de trabalhos se encontra em fluxo contínuo.

Revista indexada na seção Diretório do Sistema Latindex. http://www.latindex.unam.mx/buscador/ficRev.html?folio=25196&opcion=1