Capitalismo dependente e empobrecimento indígena no Brasil ruralista

  • Cristhian Teófilo da Silva Universidade de Brasília

Resumo

Este artigo defende que estudos sobre as formas de desigualdade e pobreza que afetam os povos indígenas contemporâneos deve partir de uma perspectiva macro-histórica e micro-sociológica, de modo a construir uma definição de “pobreza indígena” sensível a sua diversidade e complexidade de manifestações. Para isto buscará conciliar os debates sobre o capitalismo dependente  e os processos socioeconômicos de integração dos povos indígenas a sistemas coloniais e capitalistas específicos atentos ao fato de que estes não se desenrolaram de modo idêntico em cada lugar e tampouco de forma inalterada ao longo do tempo, como atestam os estudos sobre o contato interétnico em antropologia e etnohistória, que privilegiam as perspectivas e transformações indígenas sobre esses processos. O artigo estará apoiado em contribuições etnográficas e denúncias de violação dos direitos humanos dos povos indígenas nas regiões da fronteira Sul do Brasil.

Biografia do Autor

Cristhian Teófilo da Silva, Universidade de Brasília
Bacharel em Ciências Sociais com Habilitação em Antropologia Social (1998), Mestre (2001) e Doutor (2005) em Antropologia Social pela Universidade de Brasília (UnB), onde é Professor Associado 1 no Departamento de Estudos Latino-Americanos (ELA). Realizou pós-doutorados em Estudos Comparados sobre as Américas na UnB e em Estudos Indígenas na Université Laval. É Pesquisador Associado no Centro Interuniversitário de Estudos e Pesquisas Indígenas (CIÉRA/ULaval). Fundador e coordenador do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Movimentos Indígenas, Políticas Indigenistas e Indigenismo (LAEPI) e fundador e pesquisador do Observatório dos Direitos e Políticas Indigenistas (OBIND). Atualmente, realiza estudos comparados sobre políticas territoriais para povos indígenas, regimes de indianidade e problemas sociais indígenas no Brasil e Canadá.

Referências

AGUIRRE BELTRÁN, Gonzalo. "I. Proceso Dominal". Regiones de Refugio: El desarrollo de la comunidad y el proceso dominical en mestizoamérica. México: Universidad Veracruzana/Instituto Nacional Indigenista/Gobierno del Estado de Veracruz/FCE, 1991 [1967].

ALMEIDA FILHO, Niemeyer. Desenvolvimento e dependência. Cátedra Ruy Mauro Marini. Brasília: IPEA, 2013.

ALVAREZ, Sonia; DAGNINO, Evelina & ESCOBAR, Arturo (orgs.). Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

BANCO MUNDIAL (Grupo). América Latina Indígena no Século XXI: A primeira década. Washington, D.C.: World Bank, 2015. [Disponível em: http://documents.worldbank.org/curated/pt/603241467994679041/pdf/98544-WP-P148348-Box394854B-PUBLIC-America-Latina-Indigena-PORTUGUESE.pdf , acessado em 21/08/17].

BERNO DE ALMEIDA, Alfredo Wagner. “Os movimentos indígenas e a autoconsciência cultural – diversidade linguística e identidade coletiva”. Raízes, v. 33, n. 1, jan-jun/2011.

BONFIL BATALLA, Guillermo. “El pensamiento político de los índios en América Latina”. Anuário Antropológico/79. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1981.

BRYSK, Alisson. “Turning Weakness into Strengh: The Internationalization of Indian Rights”. Latin American Perspectives, Vol. 23, Issue 2, 1996.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. "Introdução: A noção de fricção interétnica”. O índio e o mundo dos brancos. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1981 [1964].

CENTENO, Carla Villamaina. “As relações de trabalho na fronteira sul de Mato Grosso: A escravidão por dívidas na exploração da erva-mate”. Dimensões, vol. 14, 2002.

CONSELHO Nacional de Direitos Humanos/CNDH. Relatório do Grupo de Trabalho sobre os Direitos dos Povos Indígenas e das Comunidades Quilombolas da Região Sul. Brasília, D.F., 2017.

DALL’IGNA, Marta Beatriz dos Santos. “Entre a aldeia e a cidade: O trabalho na perspectiva dos índios Guarani e Kaingang do Sudoeste do Paraná na luta pela sobrevivência”. Humanit., Sci., Linguist., Lett., Arts., Ponta Grossa, 22 (1), pp. 85-98, jun./jul., 2014.

DAVIS, Shelton. “Indigenous Peoples, Poverty and Participatory Development: the Experience of the World Bank”. In: SIEDER, Rachel (ed.) Multiculturalism in Latin America. Institute of Latin American Studies, 2002.

ESCOBAR, Arturo. Encountering Development: The Making and Unmaking of the Third World. Princeton and Oxford: Princeton University Press, 1995.

EVERSOLE, Robyn; MCNEISH, John & CIMADAMORE, Alberto (eds.). Indigenous Peoples and Poverty: An International Perspective. London: Zedbooks, 2005.

FERREIRA, Andrey Cordeiro. “Dialéticas coloniais: A construção do Estado e as transformações da organização social indígena sul-americana”. RBCS, Vol. 26, nº 77, outubro/2011.

FERREIRA, Andrey Cordeiro. “Trabalho, alteridade e acumulação flexível: A dialética entre reestruturação produtiva e organização social indígena nas frentes de expansão da agroindústria canavieira”. Trabalho apresentado no GT 18 – Reestruturação produtiva, trabalho, dominação social”. Mimeografado, s/d.

FERREIRA, Eva Maria Luiz & BRAND, Antonio. “Os Guarani e a Erva Mate”. Fronteiras, Dourados, MS, V. 11, n. 19, pp. 107-126, jan./jun., 2009.

GONZÁLEZ CASANOVA, Pablo. "Sociedad plural, colonialismo interno y desarrollo". América Latina, ano 6, nº 3, 1963.

HALL, Gillette & PATRINOS, Harry Anthony. Indigenous Peoples, Poverty and Human Development in Latin America. Palgrave MacMillan, 2006.

KUMAR, Kamlesh. Review (2009): Poverty as a Global Issue: Robyn Eversole, John-Andrew McNeish and Alberto D. Cimadamore, eds, Indigenous Peoples and Poverty: An International Perspective. London: Zed Books, 2006, 311 pp. Available at: http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/02685809090240020902

MACHADO, Luiz Toledo. “A teoria da dependência na América Latina”. Estudos Avançados 13 (35), 1999.

MARCUS, George. “Identidades passadas, presentes e emergentes: Requisitos para etnografias sobre a modernidade no final do século XX ao nível mundial”. Revista de Antropologia, USP, n. 34, 1991.

MARINI, Ruy Mauro. “Diléctica de la dependencia” (1973). América Latina, dependencia y globalización. Fundamentos conceptuales. Bogotá: Siglo del Hombre-CLACSO, 2008.

MARTINS, Carlos Eduardo. “O pensamento latino-americano e o sistema mundial”. In: LEVY, Bettina (comp.). Crítica y teoria en el pensamento social latinoamericano. Buenos Aires: CLACSO, 2006.

MEILLASSOUX, Claude. The development of indigenous trade and markets in West Africa. 1971.

NIEZEN, Ronald. “A New Global Phenomenon?”. The Origins of Indigenism: Human Rights and the Politics of Identity. Berkeley/Los Angeles/London: University of California Press, 2003.

OLIVEIRA FILHO, João Pacheco de. “O Nosso Governo”: Os Ticuna e o regime tutelar. São Paulo: Marco Zero; Brasília: MCT/CNPq, 1988.

OSORIO, Jaime. “Fundamentos da superexploração”. In: ALMEIDA FILHO, Niemeyer. Desenvolvimento e dependência. Cátedra Ruy Mauro Marini. Brasília: IPEA, 2013.

PLANT, Roger. Issues in Indigenous Poverty and Development. Washington, D.C.: IADB, December 1998, No. IND-105. [Disponível em: https://publications.iadb.org/bitstream/handle/11319/4574/Issues%20in%20Indigenous%20Poverty%20and%20Development.pdf?sequence=1&isAllowed=y , acessado em 21/08/17]

POSTERO, Nancy Grey & LEON ZAMOSC (eds.). La lucha por los derechos indígenas en América Latina. Quito: Abya-Yala, 2005.

QUIJANO, Aníbal. “Colonialidade, poder, globalização e democracia”. Novos Rumos, Ano 17, nº 37, 2002.

QUIJANO, Aníbal. “Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina”. Buenos Aires: CLACSO, 2005. Disponível em: [http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf] Acessado em 13 de novembro de 2014.

RAMOS, Alcida Rita. “A antropologia brasileira no mundo”. In: RIBEIRO, Gustavo Lins; FERNANDES, Ana Maria; MARTINS, Carlos Benedito & TRAJANO FILHO, Wilson (orgs.). As ciências sociais no mundo contemporâneo. Brasília: Letras Livres/EdUnB, 2011.

RIBEIRO, Darcy. Os índios e a civilização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970.

RODEGUERO, Miriam. “O frigorífico na aldeia: Algumas implicações do trabalho nas indústrias de carne para os Kaingang do Toldo Chimbangue”. PPGCS-UFJF, v. 11, n. 2, jul./dez., 2016.

SANGA, Prerna, Book Review: Indigenous Peoples & Poverty edited by Robyn Eversole, John-Andrew Mcneish and Alberto D. Cimadamore (September 6, 2010). Available at SSRN: https://ssrn.com/abstract=1672645 or http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.1672645

SUNSERI, Charlotte K. “Capitalism as Nineteenth-Century Colonialism and Its Impacts on Native Californians”. Ethnohistory, Volume 64, Numer 4, October 2017.

STAVENHAGEN, Rodolfo. "Los nuevos derechos internacionales de los pueblos indígenas". Anuário Antropológico 2007-2008. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2009.

WALLERSTEIN, Immanuel. El modierno sistema mundial: la agricultura capitalista y los origins de la economía-mundo europea en el siglo XVI. México: Siglo Veintiuno, 1979. v. 1.

WALLERSTEIN, Immanuel. El modierno sistema mundial II: el mercantilismo y la consolidación de la economía-mundo europea 1600-1750. México: Siglo Veintiuno, 1984. v. 2.

WALLERSTEIN, Immanuel. El modierno sistema mundial III: la segunda era de gran expansión de la economía-mundo capitalista, 1730-1850. México: Siglo Ventiuno, 1998. v. 3.

WARREN, Kay & JACKSON, Jean (Eds.). Indigenous Movements: Self-Representation and the State in Latin America. Austin: University of Texas Press, 2002.

WOLF, Eric. Europe and the People Without History. Berkeley & Los Angeles: University of California Press, 2010 (1982).

ZAMOSC, Leon. “Agrarian Protest and the Indian Movement in the Ecuadorian Highlands”. Latin American Research Review, Vol. 29, No. 3, 1994.

Publicado
2019-08-17
Como Citar
Teófilo da Silva, C. (2019). Capitalismo dependente e empobrecimento indígena no Brasil ruralista. Albuquerque: Revista De história, 10(20). Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/AlbRHis/article/view/6302