GESTÃO E AUTOGESTÃO COOPERATIVISTA: Um Estudo de Caso na Cooperativa de Trabalho COOMSER

César Schmidt Gonçalves, Lucia Helena Vitalli Rangel, Rosa Beatriz de Araújo

Resumo


O presente artigo versa sobre Gestão e Autogestão Cooperativista, e apresenta o Cooperativismo de Trabalho por meio do estudo de caso da Cooperativa COOMSER, onde aborda as funções de gestão e autogestão como processos em que os seus cooperados ou futuros cooperados devem exercer. Tendo como objetivo resgatar o espírito cooperativista, fundamental dentro de uma cooperativa, pois é importante a obtenção da participação dos cooperados para os desafios na implantação de uma proposta de gestão eficiente, moderna, além de uma atitude estratégica direcionada ao mercado. Através das análises documentais e das entrevistas realizadas com cooperados que exercem ou não cargos de gestão na COOMSER, foi possível constatar que os cooperados devem estar preparados para exercer as funções de Gestão e Autogestão na cooperativa; independentemente se possuem formação acadêmica ou experiência profissional na área e consequentemente buscarem meios de se capacitarem para tais atribuições. Na COOMSER a autogestão é correta e descomplicada, voltada à finalidade de atender ao cooperativismo. E por fim as sociedades cooperativas devem apresentar um instrumento de gestão estruturado e propiciar aos cooperados que assumem tais atribuições, meios de desenvolverem uma autogestão eficiente, que consolide uma moderna maneira de administrar os recursos e negócios de todos os cooperados.


Palavras-chave


Cooperativismo; Autogestão; Gestão; Cooperativista; Cooperativas.

Texto completo:

PDF

Referências


ATA de Constituição da COOMSER-Cooperativa Mista de Bens e Serviços de Rondonópolis Ltda., Estatuto Social, registro na JUCEMAT nº 51400003246 de 04/09/1996, Rondonópolis-MT., 1996.

BRASIL, Lei 5.764 de 16/12/1971 - Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências.

BRUNO, Lúcia. Portugal? O “combate” pela Autonomia Operária. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica. São Paulo, 1983.

DENSIN, Norman K. e LINCOLN, Ivonna S. A diciplina e a pratica da pesquisa qualitativa. In: DENSIN, Norman K., LINCOLN, Yvonna e colaboradores, O Planejamento da Pesquisa Qualitativa: Teoria e Abordagens. 2ª edição. São Paulo, Artmed e Bookman, 2003.

FIGUEIREDO, Ronise de Magalhães, Dicionário Pratico de Cooperativismo. Belo Horizonte, Mandamentos, 2000.

FIGUEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo César. Controladoria: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 1997.

GOMES, Josir Simeone; SALAS, Joan M. Amat. Controle de gestão: uma abordagem contextual e organizacional. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

KLECHEN, C. F e PAULA, A. P. P. Estudos críticos em Administração e a questão da autogestão: um estudo de caso. Belo Horizonte: Relatório Final de Pesquisa. PIBIC/CNPq. UFMG. 2007.

LIMA, Jacob Carlos. Paradoxos do Trabalho Associado, artigo, Tempo Social – Revista de Sociologia da USP, v. 21, n.1, São Paulo, 2009.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de, Manual de Gestão das Cooperativas: Abordagem prática. - São Paulo, Atlas, 2001.

OLIVEIRA, Fábio de. Os sentidos do cooperativismo de trabalho: as cooperativas de mão-de-obra à luz da vivência dos trabalhadores. Revista Psicologia & Sociedade, v.19, Porto Alegre-RS, 2007.

PINHO, Diva Benevides. (org.). Tipologia cooperativista. São Paulo: CNPq, 1984 (Manual de cooperativismo - v.4).

QUEIROZ, Carlos Alberto Ramos Soares de, A Cooperativa de Serviços e Trabalho: manual de constituição, organização e administração interna, 2.ed. Editora STS, São Paulo, 2002.

SARTORI, Eloi, Gestão de Preços. São Paulo, Atlas, 2004.

SINGER, P. (2004). Cooperativas de trabalho. Brasília, DF: MTE.

VERAGO, Josiane Lombardi, Autogestão e relações de mercado capitalistas: autonomia ou adaptação? - artigo, Grupo de Trabalho Estudos de História Contemporânea, ISSN: 1676-86717, São Paulo, Agosto/2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.