QUEM SOMOS NÓS: narrativas de estudantes lgbtq+ na Universidade Federal de

  • Telma Romilda Duarte Vaz Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Campus de Naviraí
  • Beatriz Jesus Baptista Sobrinho UFMS/CPNV

Resumo

Esta pesquisa é parte de m projeto maior, denominado “A voz e a vez dos excluídos: narrativas de acadêmicos sobre o trabalho dos professores da UFMS no campo das políticas de ações afirmativas”, que tem como objetivo analisar como alunos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, vulneráveis socioeconomicamente, percebem o trabalho do professor no campo das políticas afirmativas e está vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Inovação, Políticas Públicas e Educacionais. Por sua vez, o presente projeto “Quem somos nós: narrativas de estudantes LGBTQ+ na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul” parte do princípio de que as demandas da comunidade LGBTQ+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Transgêneros e demais orientações e identidades) têm sido historicamente invisibilizadas no ensino público superior e carecem de maiores estudos e debates. O objetivo da pesquisa é analisar as trajetórias dos estudantes LGBT+ na universidade a partir da pesquisa narrativas. A pesquisa está em andamento e os dados iniciais indicam que a população LGBT+ ainda é minoria e enfrenta grandes desafios, não só para ingressar na universidade pública, mas para permanecer e concluir seus estudos.

Biografia do Autor

Telma Romilda Duarte Vaz, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Campus de Naviraí

Professora do Curso de Ciências Sociais do Campus de Naviraí da UFMS.

Doutorando em Educação pela UNESP/Presidente Prudente-SP

Referências

ABRAMOVAY, Miriam; RUA, Maria das Graças. Violências nas Escolas. Ed. UNESCO:

Rede Pitágoras, 2003.

CHARLOT, B. ÈMIN, J, A. (Coord.). Violences à l’école: étatdessavoirs. Paris: Mason 7

Armand colin, 1997. Disponível em:

http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/108_53.pdf>. Acesso em: 13

Jun. 2014.

FACCHINI, Regina. Direitos humanos e diversidade sexual e de gênero no Brasil: avanços

e desafios. Jornal da UNICAMP. Disponível em:

https://www.unicamp.br/unicamp/ju/artigos/direitos-humanos/direitos-humanos-ediversidade-sexual-e-de-genero-no-brasil-avancos-e >. Acesso em: 25 de jun. de 2018.

HILSDORF, M. L. S. História da Educação Brasileira: leituras. SP, Thomson, 2006.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Universidade no século XXI: para uma reforma

democrática e emancipatória da universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

SCHÜTZE, Fritz. Pesquisa biográfica e entrevista narrativa. In: WELLER, W.; PFAFF, N.

(Org.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. 2. ed.

Petrópolis: Vozes, 2011. p. 210-222.

PRADO, Marco Aurélio M. 'A aceitação do nome social abre uma série de debates sobre

os direitos da minoria trans no âmbito da UFMG' - afirma professor da Fafich’. (26 Agos. 2015). Portal eletrônico da UFMG. Disponível em: <https://www.ufmg.br/online/arquivos/039759.shtml>. Acesso em 02 de fev. de 2017.

TEIXEIRA; Larissa; FREITAS, Hyndara. Preconceito e falta de políticas públicas

dificultam acesso de transexuais ao ensino superior. In Jornal Estadão. (15/10/2016).

Disponível em: < http://emais.estadao.com.br/noticias/comportamento,preconceito-e-falta-depoliticas-publicas-dificultam-acesso-de-transexuais-ao-ensino-superior,10000082189 >.

Acesso em: 2 de fev. 2017.

VAZ, Telma Romilda Duarte. Para Além dos Nascidos em Berço Esplêndido – Narrativas

Docentes sobre o Trabalho do Professor no Campo das Políticas de Ações Afirmativas na

UFMS. 2018. 326f. Tese (Doutorado em Educação) – UNESP, Faculdade de Ciências e

Tecnologia – campus de Presidente Prudente, 2018.

Publicado
2019-10-15