GESTINO: uma proposta de desenvolvimento de software para o gerenciamento de planos de ensino

  • Nicholas Eduardo Lopes dos Santos Instituto Federal do Mato Grosso do Sul
  • Simone Morais Limonta Avanzo IFMS
Palavras-chave: planejamento, software, plano de ensino, métodos ágeis

Resumo

O desenvolvimento de planos de ensino é uma atividade inerente ao professor. Logo, lhe ajuda a compreender quais ações devem ser realizadas em um período letivo para lograr êxito no seu trabalho. Para tanto, revisões frequentes são necessárias para adequá-lo às intempéries do período letivo. As instituições de ensino disponibilizam ferramentas para gestão de planos de ensino aos professores. Porém, em muitos casos, essas ferramentas apenas registram a proposta inicial do plano, isto é, não fornece meios para que o professor realize o monitoramento e controle de seus planos. Como essa atividade exige um esforço grande do professor, este trabalho propõem o desenvolvimento de um software que minimize o esforço do registro do plano de ensino e maximize o controle e monitoramento da execução do plano de ensino, da estratégia de avaliação e da estratégia de recuperação de aprendizado dos estudantes. Esse trabalho será executado conforme o modelo de processo de desenvolvimento de software ágil de forma iterativa e incremental. Espera-se, ao final do projeto, que a ferramenta maximize o tempo do professor e lhe permita que reflexões sobre seu processo de ensino e aprendizagem sejam revistas.

Biografia do Autor

Nicholas Eduardo Lopes dos Santos, Instituto Federal do Mato Grosso do Sul

Bacharel em Ciência da Computação pelo Centro de Ensino Superior de Foz do Iguaçu, Especialista em projeto e desenvolvimento de software pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Mestrando em Engenharia Elétrica e Computação pela Universidade. 10 anos de experiência em gerenciamento de projetos e desenvolvimento de software como analista de sistemas no Parque Tecnológico Itaipu. Atualmente, docente no Instituto Federal do Mato Grosso do Sul

Referências

BRASÍLIA: SENADO FEDERAL. Lei De Diretrizes E Bases Da Educação Nacional - Lei no 9.394/1996. Edição do ed. Brasilia - DF: Secretaria de Editoração e Publicações, 2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 17 jun 2019.

GARCIA, Consuelo de M. Planejamento de ensino: fase de preparação. Educar em Revista, n. 3, p. 9–34, Dez 1984. Disponível em:

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40601984000100003&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 17 jun 2019.

MAIMON, Oded e ROKACH, Lior. Data Mining and Knowledge Discovery Handbook. Second Edi ed. Boston, MA: Springer US, 2010. Disponível em:

<http://dx.doi.org/10.1007/0-387-25465-x_2%5Cnhttp://link.springer.com/content/pdf/10.1007/978-0-387-09823-4.pdf>. Acesso em: 12 mai 2019.

NOGUEIRA, Nilbo Ribeiro. Projeto Político Pedagógico (PPP) - Guia prático para construção participativa. 1. ed. São Paulo: Érica, 2009. Disponível em:

<https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788536522326/cfi/4!/4/4@0.00:0.00>. Acesso em: 12 mai 2019.

PMI, Project Management Institute. Um Guia do conhecimento em gerenciamento de projetos (GUIA PMBOK). 5. ed. Pennsylvania, USA: Project Management Institute, Inc, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 mai 2019.

SCHEWTSCHIK, Annaly. O Planejamento de aula : Um instrumento de garantia de aprendizagem. 2017, Curitiba, PR: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ, 2017. Disponível em:

<http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/26724_13673.pdf>. Acesso em: 12 mai 2019.

SOMMERVILLE, Ian. Processos de engenharia de requisitos. PEARSON (Org.). Engenharia de Software. 6. ed. São Paulo: [s.n.], 2003.

Publicado
2019-10-23