LUTA PELA TERRA E RESISTÊNCIA: O EXEMPLO DO ASSENTAMENTO 20 DE MARÇO NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS-MS

  • Amanda Freitas Mariano Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Jodenir Calixto Teixeira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

O Assentamento 20 de Março, localizado no município de Três Lagoas, no estado de Mato Grosso do Sul, é um exemplo de luta e permanência na terra, pois está presente em uma área de forte presença do agronegócio, especialmente do monocultivo de eucalipto, além de estar em uma região na qual a formação e as políticas públicas foram todas pensadas e orientadas a favor do grande produtor. Os pequenos produtores da agricultura familiar do Assentamento 20 de Março se mostram resistentes na busca de alternativas que os mantenham na terra. Ao contrário do agronegócio, para a agricultura familiar a terra é simbólica, território de reprodução social, e cultural. Esse artigo originou-se da monografia defendida junto ao curso de graduação em Geografia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), câmpus de Três Lagoas (CPTL), no ano de 2018, e apresenta como principal objetivo analisar e evidenciar o processo de resistência do Assentamento 20 de Março, em uma região rodeada pelo monocultivo de eucalipto e com um quadro de estrutura fundiária extremamente concentrada.

Biografia do Autor

Amanda Freitas Mariano, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO), na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), campus de Três Lagoas (CPTL). Membro do Laboratório de Estudos Regionais (LABER). Bolsista em  Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Jodenir Calixto Teixeira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor dos cursos de graduação e pós-graduação em Geografia, na Universidade Federal de
Mato Grosso do Sul (UFMS), campus de Três Lagoas. Coordenador do Laboratório de Estudos
Regionais (LABER). E-mail:jodenirc@gmail.com

Referências

ALMEIDA, R. A. de. A questão agrária em Mato Gross do Sul: uma visão multidisciplinar. Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. UFMS, 2008.

BALIEIRO. A. B. B.; SILVA, I. M. B A trajetória das famílias camponesas perante a transição socioeconômica ocorrida no município de Três Lagoas/MS. XIII Encontro Nacional de Geógrafos, São Luís, 2016.

BORZONE, C. V.; MEDEIROS, G. N. A Participação das mulheres nos espaços políticos do projeto de assentamento 20 de Março (Três Lagoas/MS). Revista Eletrônica AGB-TL, 2018.

CAMACHO, R.;S. A BARBÁRIE MODERNA DO AGRONEGÓCIO- LATIFUNDIÁRIO-EXPORTADOR E SUAS IMPLICAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS. Agrária (São Paulo. Online), 2010.

CAMACHO, R. S. A histórica concentração fundiária do Brasil: Estudo de caso do Município de Paulicéia/SP. Geografia em Questão, v. 4, n. 1, 2011.

CUNHA, J. M. P. da. A migração no Centro-Oeste brasileiro no período 1970-96: o esgotamento de um processo de ocupação. UNICAMP, Núcleo de Estudos de População, 2002.

FABRINI, J, E. A posse da terra e o sem-terra no Sul de Mato-Grosso do Sul: O Caso Itaquiraí. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Corumbá: AGB, 1996.

IBGE – dados demográficos preliminares, 2017. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 06 de outubro de 2019.

KUDLAVICZ, M. Dinâmica Agrária e a Territorialização do Complexo Celulose/Papel na Microrregião de Três Lagoas/MS. Dissertação (Mestrado em Geografia), Três Lagoas: CPTL/UFMS, 2011.

MELO, D. S.; OLIVEIRA M. S. A questão agrária no território rural do Bolsão/MS: Algumas aproximações. In: Revista Cerrados, Montes Claros, v.14, n.1,p.140-164, jan/jun-2016.

MOREIRA, E; TARGINO, I. De território de exploração a território de esperança: organização agrária e resistência camponesa no semi-árido paraibano. In: Revista Nera, n. 10, p. 72-93, 2012.

MOTTA, M. M. M. Lei e justiça: Conflitos e grilagens em 2006 – Apontamentos iniciais. In: Conflitos no Campo Brasil 2006/CPT. Goiânia: CPT Nacional Brasil, 2007, p. 170-175.

NARDOQUE, S.; KUDLAVICZ, M. REFORMA AGRÁRIA E DESCONCENTRAÇÃO FUNDIÁRIA EM MATO GROSSO DO SUL: PROPOSTA METODOLÓGICA. In: Geografia em Questão, v. 12, n. 2. 2013.

PAVÃO, E. S. Formação Estrutura e dinâmica da Economia de Mato Grosso do Sul no contexto das transformações da Economia Brasileira. Florianópolis, UFSC, Centro Sócio-Econômico, 2005. 239 f. Dissertação de mestrado.

QUEIROZ, J. V.; BORZONE, C. V.; LUIZ, L. F. Agricultura Familiar Camponesa em Três Lagoas-MS: Experiências de Transição Agroecológica e Soberania Alimentar. In: Cadernos de Agroecologia, n. v. 2017.

SAQUET, M. A. Abordagens e Concepções de Território. 3ª. Edição. São Paulo. Outras Expressões. 2013.

SILVA, M. O. de A (RE)criação do Campesinato: No Contexto das Políticas Publicas e nas Situações de Bloqueio: Cáceres/ MT, Três Lagoas/MS e Selvíria/MS. Dissertação (Mestrado em Geografia) Três

Lagoas:CPTL/UFMS,2014.

STEDILE, J. P. A sociedade deve decidir o modelo agrícola para o país. São Paulo: Casa Amarela, 2006.

TEIXEIRA, J. C. A inserção do estado de Mato Grosso do Sul na modernização da agricultura brasileira. In: Anais do Simpósio Nacional de Geografia Agrária, Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense, 2009.

TEIXEIRA, J. C.; HESPANHOL, A. N. A Região Centro-Oeste no contexto das mudanças ocorridas no período pós-1960. Revista Eletrônica AGB-TL, Três Lagoas, 2006.

Publicado
2019-11-29
Seção
Artigos