O “OFUSCAR DA VERDADE” NA POLÍTICA

propaganda e evento totalitário segundo Hannah Arendt

Palavras-chave: Propaganda, Totalitarismo, Verdade, Nazismo, Política.

Resumo

Neste artigo analisamos algumas nuances da relação entre verdade e política apresentadas pela filósofa judaico-alemã Hannah Arendt em sua obra Origens do Totalitarismo. Nosso enfoque prioriza determinados aspectos do exame realizado pela autora sobre a importância da propaganda política para o advento e manutenção dos regimes totalitários durante a primeira metade do século XX.

Biografia do Autor

João Gabriel da Silva Pinto Filho, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em Ética e Filosofia Política pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Ética e Filosofia Política pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Direito Civil pela PUC/Minas. Especialista em Filosofia e Teoria do Direito pela PUC/Minas. Bacharel em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Licenciado em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política Moderna e do Renascimento. 

Referências

ADVERSE, Helton. Arendt e a crítica ao romantismo na biografia de Rachel Varnhagen. Argumentos, Ano 5, nº 9. Fortaleza. Jan/Jun. 2013 (pp.79-96).
AGUIAR, Odílio. A tipificação do totalitarismo segundo Hannah Arendt. doispontos, Curitiba, São Carlos, vol. 5, n. 2, 2008. (pp.73-88).
______________. Veracidade e propaganda em Hannah Arendt. Cadernos de Ética e Filosofia Política 10, 1/2007 (pp 7- 17).
ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos do Estado. (Tradução: Walter José Evangelista). São Paulo: Edições Graal. 2003
ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo Antissemitismo, imperialismo, totalitarismo. (Trad. Roberto Raposo) São Paulo: Companhia de Bolso, 2012.
FRY, Karin. Compreender Hannah Arendt. Petrópolis: Vozes, 2010.
LAFER, Celso. A mentira: um capítulo das relações entre a ética e a política. In: NOVAES, Adauto. Ética. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. (pp. 225-237).
____________. Hannah Arendt: pensamento, persuasão e poder. São Paulo: Paz e Terra, 2003.
KLEMPERER, V. LTI – a linguagem do Terceiro Reich (Tradução, apresentação e notas de Miriam Bettina Paulina Oelsner). Rio de Janeiro: Contraponto, 2009.
KITCHEN, Martin. O Terceiro Reich: carisma e comunidade. São Paulo: Madras, 2009.
KOHN, Jerome. Arendt’s Concept and description of Totalitarianism. Social Research, vol.69, nº 2. 2002. (pp. 621-656).
LOBATO, Anderson. & PEIXOTO, Cláudia. O problema da publicidade e a perversão da linguagem como problema político em Hannah Arendt e Günther Anders. Dissertatio [43]. 2016. (pp.169 – 178).
PEREIRA, Geraldo A. Emery. Verdade e política na obra de Hannah Arendt. Curitiba: Editora Appris, 2019.
PEREIRA, Wagner. Cinema e propaganda política no fascismo, nazismo, salazarismo e franquismo. História: Questões & Debates, n. 38. Curitiba: Editora UFPR, 2003 (pp. 101-131)
Publicado
2020-05-22
Seção
Artigos