O ENSINO DE FILOSOFIA E A ESCRITA DE SI

o uso da redação de cartas filosóficas no Ensino Médio técnico

Palavras-chave: Ensino de filosofia. Escrita de si. Técnica.

Resumo

O presente trabalho é uma apresentação dos resultados em pesquisa de iniciação científica no Programa PIBIC-Jr/2019 (IFPR/CNPq), no qual nos propomos a investigar o uso da escrita filosófica como uma técnica de ensino no componente de filosofia nos primeiros anos dos cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio no Instituto Federal do Paraná, Campus Avançado Coronel Vivida. A fundamentação teórica parte das leituras de Agamben, Sloterdijk e Foucault para descrever suas contribuições para o entendimento de um novo uso da técnica. E a partir da perspectiva foucaultiana, aprofundamos a noção de escrita de si para pensar a formação como uma experiência agonística, ou seja, como uma atitude de inquietação que faz da escrita filosófica uma problematizadora das práticas cotidianas como forma de atenção ao presente e uma relação menos abstrata no ensino-aprendizagem. A metodologia dessa pesquisa compõe-se de um estudo teórico por meio de revisão bibliográfica e uma investigação prática por meio da análise das cartas filosóficas escritas pelas duas turmas ingressantes no ano de 2019. A análise dos dados das cartas filosóficas evidencia que a escrita potencializa a problematização de si, contribuindo para a formação de um modo de pensar atento ao que nos acontece no presente.

Biografia do Autor

Daniel Salésio Vandresen, Instituto Federal do Paraná

Graduado em Filosofia pela Fundação Educacional de Brusque/SC (2002). Mestre em Filosofia pela UNIOESTE, campus de Toledo/PR (2008). Doutor em Educação pela UNESP, campus de Marília/SP (2019). Professor da Carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico no IFPR, Campus Avançado Coronel Vivida. Vice-coordenador do Grupo de Pesquisa Filosofia, Ciência e Tecnologias (IFPR). Chefe-editor da revista IF Sophia (ISSN 2358-7482). Integrante dos Grupos de Pesquisas: ENFILO - Grupo de estudos e pesquisa sobre o ensino de filosofia (UNESP/Marília) e NEDIH - Núcleo de Educação em Direitos Humanos (IFPR/Coronel Vivida). Atualmente coordena o projeto "O ensino de filosofia e a escrita de si como experiência existencial" (PIBIC-Jr IFPR/CNPq, aprovado em edital em 2019/20 e 2020/21). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de filosofia, técnica, subjetividade, Michel Foucault.

Isabela Strapazzon Holtz, Instituto Federal do Paraná

Estudante do Curso Técnico em Cooperativismo Integrado ao Ensino Médio no Campus Avançado Coronel Vivida do Instituto Federal do Paraná (IFPR). Bolsista no projeto PIBIC-Jr/2019 (IFPR/CNPq).

Rafael Antonio Colla, Instituto Federal do Paraná

Estudante do Curso Técnico em Cooperativismo Integrado ao Ensino Médio no Campus Avançado Coronel Vivida do Instituto Federal do Paraná (IFPR). Aluno voluntário no projeto PIBIC-Jr/2019 (IFPR/CNPq).

Referências

AGAMBEN, G. Elogio da Profanação. In: AGAMBEN, G. Profanações. Trad. Selvino José Assmann. São Paulo: Boitempo, 2007, p. 65-79.

AGAMBEN, G. O uso dos corpos. Trad. Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2017.

FOUCAULT, M. Sobre a genealogia da ética: uma revisão do trabalho. In: RABINOW, P.; DREYFUS, H. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica Trad. Vera P. Carreto. Rio de janeiro: Forense Universitária, 1995, p. 253-278.

DREYFUS, H. A Hermenêutica do Sujeito. Trad. Márcio A. da Fonseca e Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

DREYFUS, H. O governo de si e dos outros: curso no Collège de France. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

DREYFUS, H. Ética, Sexualidade, Política. 3. ed. Trad. Elisa Monteiro e Inês A.D. Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

DREYFUS, H. História da Sexualidade 2: o uso dos prazeres. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

GELAMO, R. P. O ensino da filosofia no limiar da contemporaneidade: o que faz o filósofo quando seu ofício é ser professor de filosofia? São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

GROS, F. Notas e Situação do curso. In: FOUCAULT, M. A Hermenêutica do Sujeito. Trad. Márcio A. da Fonseca e Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

PLATÃO. Sétima Carta. In: PLATÃO. Diálogos: Fedro - Cartas - O primeiro Alcibíades. Belém: Ed. UFPA, 1975, p. 137-167.

ROCHA, A. P. R.; GARCIA, C. A. A adolescência como ideal cultural contemporâneo. Psicologia, Ciência e Profissão, 28(3), p. 622-631, 2008.

SÉNECA, L. A. Cartas a Lucílio. Trad. de G. A. Segurado e Campos. Lisboa: Calouste Gulbenkian. 2004.

SLOTERDIJK, P. Has de cambiar tu vida: sobre antropotécnica. Valencia: Pre-texto, 2012.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Salésio Vandresen, D., Strapazzon Holtz, I., & Colla, R. A. (2020). O ENSINO DE FILOSOFIA E A ESCRITA DE SI. Eleuthería - Revista Do Curso De Filosofia Da UFMS, 5(ESPECIAL), 91 - 105. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/reveleu/article/view/10176
Seção
Artigos