DA VALIDADE PSICOLÓGICA DO PROBLEMA DO SENTIDO DA VIDA EM RAYMOND MARTIN

Palavras-chave: Sentido da vida. Felicidade. Satisfação. Psicologia.

Resumo

No texto A fast car and a good woman (1993), Raymond Martin questiona a real importância, do ponto de vista psicológico, do problema do sentido da vida para o indivíduo que o formula: será o problema filosófico o que de fato o preocupa? Isto é, questões concernentes ao propósito do viver ou à existência de valores objetivos que poderiam servir como base para uma vida significativa? Ou tal preocupação, expressa de maneira tão altiva e pomposa, na realidade se resumiria a uma insatisfação quanto à vida desse indivíduo em particular, e portanto passível de solução prática? Apresentaremos o pensamento de Martin — ignorado até agora no debate analítico contemporâneo — e o discutiremos criticamente, mostrando que ele não consegue sustentar satisfatoriamente todos os pontos de seu raciocínio. Ainda assim, através dessa discussão um novo horizonte parece se abrir para o debate sobre o sentido da vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anamar Moncavo, Colégio Pedro II

Possui Doutorado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2019). Possui Mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2014). Graduou-se em Filosofia (Bacharelado e Licenciatura Plena) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2013). É professora efetiva do Departamento de Filosofia do Colégio Pedro II desde 2014, ministrando aulas regulares de Filosofia para o ensino médio. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética e História da Filosofia. Atualmente, tem como objeto de pesquisa o tema do sentido da vida no contexto da filosofia analítica contemporânea, trabalhando autores como Susan Wolf, Thomas Nagel, Richard Taylor, Raymond Martin, John Cottingham e Thaddeus Metz.

Referências

ARISTÓTELES. Metaphysica. Ed. W. Jaeger. Oxford: Oxford Classical Texts, 1988.

BAIER, K. “O sentido da vida”. In: MURCHO, Desidério (Org.) Viver para quê? - Ensaios sobre o sentido da vida. Lisboa: Dinalivro, 2009, pp. 47-101.

BAIER, K. “The meaning of life”. In: JECKER, Nancy S (Ed.) Aging and Ethics: philosophical problems in gerontology. New Jersey: Humana Press, 1992, pp. 3-49.

CAMUS, A. O mito de Sísifo. 3. Ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

EAGLETON, T. The meaning of life: a very short introduction. Oxford: Oxford University Press, 2007.

JECKER, N. S. (Ed.) Aging and Ethics: philosophical problems in gerontology. New Jersey: Humana Press, 1992.

KLEMKE, E. D.; CAHN, S. M. (Ed.) The meaning of life: a reader. Oxford: Oxford University Press, 2017.

LISPECTOR, C. “Amor”. In: Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

MARTIN, R. “A fast car and a good woman”. In: KOLAK, Daniel.; MARTIN, Raymond (Ed.). The experience of philosophy. 4. Ed. Belmont: Wadsworth Publishing, Co, 1999. Pp. 589-596.

MASLOW, Abraham. A theory of human motivation. Psychological Review, vol. 50, pp. 370-396, 1943.

METZ, T. “The concept of a meaningful life”. American Philosophical Quarterly, Vol. 38, n. 2, 2001, pp. 137-153.

METZ, T. “The meaningful and the worthwhile: clarifying the relationships”. The Philosophical Forum, 43, 2012, pp. 435-48.

METZ, T. “Recent work on the meaning of life”. Ethics. 112, 2002, pp-781-814.

MURCHO, D. (Org.) Viver para quê? - Ensaios sobre o sentido da vida. Lisboa: Dinalivro, 2009.

NAGEL, T. “O absurdo”. In: MURCHO, Desidério (Org.) Viver para quê? – Ensaios sobre o sentido da vida. Lisboa: Dinalivro, 2009, pp. 139-155.

NAGEL, T. “The absurd”. The Journal of Philosophy, vol. 68, n. 20, 1971, pp. 716-727.

SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e como representação. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

TAYLOR, R. “The meaning of life”. In: Good and Evil. New York: Macmillan Publishing Co., 1970.

TOLSTOY, L. Confession. New York: Norton & Company, 1983.

WIGGINS, D. “Truth, invention and the meaning of life”. In: Needs, values, truth: essays in the philosophy of value. 3. Ed. Oxford: Blackwell, 2002.

WOLF, S. “Meaning of life”. In: CRAIG, E. (Ed.) Routledge encyclopedia of philosophy. Londres: Routledge, 1998.

WOLF, S. “The meanings of lives”. In: PERRY, J.; BRATMAN, M.; FISCHER, J. M. Introduction to philosophy: classical and contemporary readings. Oxford: Oxford University Press, 2007, pp. 837-848.

Publicado
2022-05-03
Como Citar
Moncavo, A. (2022). DA VALIDADE PSICOLÓGICA DO PROBLEMA DO SENTIDO DA VIDA EM RAYMOND MARTIN. Eleuthería - Revista Do Curso De Filosofia Da UFMS, 7(12), 160 - 182. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/reveleu/article/view/15287
Seção
Artigos