ABITARE IL METAVERSO TRA FANTASCIENZA E POLITICA

  • Antonio Tursi Universidade de Macerata

Resumo

Compreender o espaço utilizado pelas tecnologias de comunicação requer um pensamento político que confronte os novos desafios colocados pelo horizonte de media digital. Usar essas tecnologias sem entender a sua característica política, i.e., sem decifrar os novos conflitos que elas apresentam, significa, por um lado, permanecer submisso ao poder narcótico da tecnologia, e por outro lado, recusar-se a ver a dimensão da política contemporânea. Entre várias histórias, quadrinhos, filmes que se prestam a esse papel, um dos textos fundadores foi o romance Snow Crash de Neal Stephenson: ainda hoje se apresenta como um guia útil para compreender a relação entre espaço de partilhas [space of flows] e espaço de lugares, os conflitos necessários à emergência de novas subjetividades (hackers) e o desabrochar de uma cena que se abre à pluralidade das distribuições do sensível.

Palavras chave: Espaço Cibernético, Hacker, Conflito, Comunidade.

Referências

Hayles K.N., My Mother was a Computer, Chicago UP, Chicago 2005, tr. it. My mother was a computer, Mimesis, Milano-Udine 2014.

Himanen P., The Hacker Ethic and the Spirit of the Information Age, Random House, New York 2001, tr. it. L’etica hacker e lo spirito dell’età dell’informazione, Feltrinelli, Milano 2001.

McKenzie W., A Hacker Manifesto, Harvard College, Cambridge 2004, tr. it. Un manifesto hacker. Lavoratori immateriali di tutto il mondo unitevi!, Feltrinelli, Milano 2005.

Peregrina Castaños M., Megapolis y ciberpolis en Snow Crash, de Neal Stephenson, Ángulo Recto. Revista de estudios sobre la ciudad como espacio plural, vol. 4, n. 1, 2012, pp. 187-202, <http://www.ucm.es/info/angulo/volumen/Volumen04-1/varia06.htm>.

Rancière J., La mésentente. Politique et philosophie. Galilée, Paris 1995, tr. it., Il disaccordo. Politica e filosofia. Meltemi, Roma 2007.

Stephenson N., Snow Crash, Bantam, New York 1992, tr. it. Snow Crash, Bur, Milano 2007.

Swanstrom L., Capsules and Nodes and Ruptures and Flows. Circulating Subjectivity in Neal Stephenson’s Snow Crash, Science Fiction Studies, vol. 37, parte 1, n. 110, 2010, pp. 54-80.

Publicado
2018-08-31
Seção
Artigos