ALESSANDRO PASSERIN D’ENTRÈVES: HOMEM DE FRONTEIRA

  • Maisa Suarez Pardo

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar um perfil biográfico de Alessandro Passerin d’Entrèves a partir de uma chave de observação recorrente nos intérpretes, comentadores, colegas e amigos do filósofo italiano. Essa chave de observação particular faz referência tanto a uma característica de nascimento do autor – portanto cultural e antropológica, quanto a uma característica intelectual. Referimo-nos aqui à adjetivos como frontalier, uomo di frontiera, que frequentemente aparecem associados à Passerin nas homenagens, análises e debates dentro e fora do âmbito acadêmico. Para traçar o perfil biográfico, dividimos os fatos de vida a partir da experiência de Passerin em três países distintos: Itália, Inglaterra e EUA. Essa escolha não é arbitrária, pois é o próprio autor quem afirma sua relevância no prefácio à versão de 1967 da obra The Notion of State. Ao tomar a decisão de investigar essa afirmação e ao tomá-la como lente na observação da vida e da obra do autor, abrimos caminho para compreender por que razões comentadores e estudiosos atribuem a ele e à sua obra adjetivos como “cosmopolita”, “o caminho do meio”, “frontalier”.

Publicado
2019-09-14
Seção
Artigos