A AGROECOLOGIA COMO UM PROJETO EM CONSTRUÇÃO NO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA - MST

Silvana Aparecida da Silva, Nádia Luzia Balestrin, Alfio Brandenburg

Resumo


Com a modernização da agricultura no Brasil passou-se a adotar práticas agrícolas baseadas no uso intenso de insumos químicos, que compõe o pacote do agronegócio. Em contrapartida a este processo, a partir dos anos 2000, o MST tem incentivado práticas que visam a preservação ambiental e o direito a soberania alimentar. Dessa forma, emerge no movimento a proposta da agricultura agroecológica. Neste trabalho será discutido em que consiste o projeto da agroecologia para o MST, e de que forma ele está vinculado a princípios filosóficos que objetivam o respeito a natureza e aos saberes tradicionais da população do campo.

Palavras-chave


Agroecologia, Movimento social, Reforma agrária

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. Da ideologia do progresso à ideia de desenvolvimento (rural) sustentável. IN: ALMEIDA, J; NAVARRO, Z Reconstruindo a agricultura – Ideias e ideais na perspectiva do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: Ed. Universidade/ UFRGS, 1998.

ALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. 3 ed. São Paulo - Rio de Janeiro: Expressão Popular – AS-PTA, 2012.

__________ Agroecologia – a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora Universidade/UFRGS, 2000.

BRANDENBURG, A.; BILLAUD, J.P.; LAMINE, C. (org.) Redes de Agroecologias – Experiências no Brasil e na França. Curitiba: Kairós, 2015;

CARMO, M. S. A produção familiar como locus ideal de agricultura sustentável. IN: FERREIRA, A. D. D & BRANDENBURG, A. (org.). Para pensar outra agricultura. Curitiba: Editora da UFPR, 1998.

DELGADO, G, C. A questão agrária e o agronegócio no Brasil.IN: CARTIER, M. (org.). Combatendo a desigualdade social – o MST e a reforma agrária no Brasil. São Paulo: UNESP, 2010.

GLIESSMAN, S. Agroecologia – Processos Ecológicos em Agricultura Sustentável. Porto Alegre: Editora Universidade/UFRGS, 2000.

GUIVANT, J. A Agricultura Sustentável na Perspectiva das Ciências Sociais. IN VIOLA, E. et al. Meio Ambiente, Desenvolvimento e Cidadania: desafios para as Ciências Sociais. São Paulo: Cortez, Florianópolis; Universidade Federal de Santa Catarina, 1998.

KOIFMAN S, HATAGIMA A. Agrotóxicos e câncer no Brasil. In: PERES, F.; MOREIRA, J. C. (Org.). É veneno ou é remédio? 1ª ed. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, 2003.

LEFF,E. Saber ambiental – Sustentabilidade, Racionalidade, Complexidade, Poder. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

MACHADO, L. C. P.; FILHO, L.C.P. A dialética da agroecologia – contribuição para um mundo com alimentos sem veneno. São Paulo: Expressão Popular, 2014.

MEDEIROS, L.S. Movimentos Sociais no campo - luta por direitos e reforma agrária na segunda metade do século XX. IN: CARTIER, M. (org.). Combatendo a desigualdade social – o MST e a reforma agrária no Brasil. São Paulo: UNESP, 2010.

MST, Caderno de Educação: Agroecologia, soberania alimentar e cooperação. (Coleção sempre é tempo de aprender), 2010.

____, Jornal dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Por um outro modelo agrícola. Número 317, 2012.

PORTAL BRASIL. Agricultura familiar produz 70% dos alimentos consumidos por brasileiro. Disponível em http:/www.brasil.gov.br.Acesso em: 04 Mar. 2016.

SILVA. Silvana Aparecida da. A construção de novas subjetividades pelo MST a partir do ensino escolar em assentamentos de Reforma Agrária: a experiencia do Colégio Estadual Iraci Salete Strozak. 2015. 163f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná – UNIOESTE, Toledo, 2015.

VALADÃO, Adriano da Costa. Transição Agroecológica nos assentamentos rurais: estratégias de resistência e produção de novidades. 2011. 207f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

WANDERLEY, M, B. O mundo rural como um Espaço de Vida – Reflexões sobre a Propriedade da Terra, Agricultura Familiar e Ruralidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista GeoPantanal - ISSN 2446-8681 (eletrônico)

Revista GeoPantanal - ISSN 1517-4999 (impresso)