RECURSOS NATURAIS E RESERVA LEGAL

uma reflexão sobre os assentamentos de Dourados, Mato Grosso do Sul

  • Shirley Matias
  • Aldenor da Silva Ferreira Professor Adjunto I na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Resumo

Ao longo dos anos, os assentamentos rurais se tornaram objeto de pesquisas e estudos acadêmicos em diferentes áreas do conhecimento. O estado de Mato Grosso do Sul, atualmente, possui 204 projetos de assentamentos rurais de responsabilidade do governo federal, totalizando aproximadamente 43.000 famílias assentadas. Este trabalho tem por objetivo apresentar informações, ainda que tangenciais, sobre a questão ambiental relativa às áreas de preservação permanente e de reserva legal dos assentamentos rurais, localizado no município de Dourados/MS. O levantamento de dados foi realizado por meio de pesquisas em trabalhos acadêmicos realizados anteriormente, sites oficiais do governo, noticiários e autores que discutem o tema. A relevância do tema reside no fato de que o estado de Mato Grosso do Sul é um grande produtor de comodities destinadas ao mercado internacional, com predomínio da grande fazenda, noutras palavras, com o predomínio do agronegócio, mas, é, também, como dito, um estado com bastantes assentamentos rurais, onde predomina a pequena produção familiar. Os principais problemas identificados no percurso da pesquisa apontam para o conflito entre a produção rural, a legislação ambiental e as áreas de preservação permanente (APP).

Biografia do Autor

Aldenor da Silva Ferreira, Professor Adjunto I na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Eu me chamo Aldenor da Silva Ferreira. Sou Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) (2005). Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade de Educação também da UFAM (2006) e Mestre em Sociedade e Cultura na Amazônia pela mesma Universidade (2009). Fui vencedor do Prêmio Samuel Benchimol em 2010 na categoria Econômico-Tecnológica e em 2014 na categoria Social. Por 4 anos fui pesquisador bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas (FAPEAM). Fiz estágio doutoral no Department of South & South East Asian Studies, University of Calcutta em 2013, pelo Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE/CAPES). Concluí o Doutorado no Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) em 2016. Desenvolvo pesquisas nas áreas de Sociologia Rural, Sociologia Ambiental e História da Agricultura, investigando os seguintes temas: ecodesenvolvimento, etnoconhecimento, campesinato, agricultura familiar e assentamentos rurais, processos de adaptabilidade e etnoconservação na várzea amazônica. Tive a oportunidade de ser Coordenador do GT Agricultura Familiar: desafios e perspectivas no II e III Encontro Norte da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS), realizado respectivamente em Belém no ano de 2010 e em Manaus no ano de 2012. Organizei três livros sobre temas amazônicos: A cultura da juta e malva na Amazônia Ocidental: sementes de uma nova racionalidade ambiental? São Paulo: Annablume, 2010. Imigração Japonesa na Amazônia: sua contribuição na agricultura e vínculo com o desenvolvimento regional. Manaus: Edua, 2011 e A vida dos trabalhadores da juta e da malva no baixo Solimões. Manaus: Edua, 2014. Atualmente, sou Professor Adjunto I da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), campus de Naviraí.

Publicado
2021-12-02
Como Citar
MATIAS, S.; FERREIRA, A. DA S. RECURSOS NATURAIS E RESERVA LEGAL. Encontro Internacional de Gestão, Desenvolvimento e Inovação (EIGEDIN), v. 5, n. 1, 2 dez. 2021.
Seção
EIXO 5 - Artigo Completo - Desenvolvimento L/R, Território e Urbanização