AMBIGUIDADES DA INDÚSTRIA 4.0

ganhos, eficiência e tensões entre os trabalhadores

Resumo

Este artigo teve como objetivo analisar como trabalhadores inseridos em um processo de mudança e inovação tecnológica de uma organização multinacional do agronegócio vivenciam esse processo. A intenção é compreender como esses trabalhadores vivenciaram essa transição, assim como as estratégias utilizadas para adequação a esse processo. Sabe-se que o mercado de trabalho tem acompanhado as tendências e inovações tecnológicas, adotando em seus processos a robótica avançada, internet de fibra óptica, inteligência artificial, armazenamento em nuvem, Big Data, sistemas ciberfísicos, comunicação máquina-máquina e uso massivo da internet, entre outros. O conjunto desses elementos visam maximizar e aperfeiçoar a produção e é reconhecido como a quarta revolução industrial ou a Indústria 4.0. Em termos metodológicos esse estudo foi conduzido por meio de uma abordagem qualitativa-descritiva, que ouviu a percepção de trabalhadores envolvidos no contexto de organizações que passaram por inovações tecnológicas, com entrevistas semiestruturadas, cujos relatos foram analisados a luz da Análise de Conteúdo de Bardin (2011). Os resultados apontam para o reconhecimento dos benefícios do avanço tecnológico ao desenvolvimento substancial dos processos produtivos nas organizações, mas ressalta também as ambiguidades da Indústria 4.0, como os efeitos negativos da substituição da mão-de-obra humana pela máquina, gerando desempregos, dúvidas e tensões entre trabalhadores.

Biografia do Autor

Richardson Coimbra Borges, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Lavras - UFLA, tendo como área de concentração Gestão de Negócios, Economia e Mercados. Mestre em Estatística e Experimentação Agropecuária, Área de concentração: Estatística e Experimentação Agropecuária, pela Universidade Federal de Lavras - UFLA. Especialista em Finanças, Investimentos e Banking, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Graduado em Ciências Contábeis pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUCMINAS). Graduado em Administração de Empresa pelas Faculdades Integradas Adventistas de Minas Gerais - FADMINAS. Foi professor do Ensino Superior nas modalidades Presencial, Semipresencial e EaD do Centro Universitário de Lavras - UNILAVRAS, e presencial do IPTAN e UNIPAC, lecionando disciplinas ligadas a Economia, Finanças, Contabilidade, Estatística e Gestão de Investimentos. Foi professor de Pós Graduação no Pitágoras e Unilavras. Foi coordenador da pós-graduação do UNILAVRAS. Trabalhou também, como tutor, design instrucional e professor no ensino a distância nos cursos de graduação e pós graduação da Universidade Federal de Lavras em diversas disciplinas. Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, lecionando disciplinas ligadas a Contabilidade, Finanças e Economia.

Publicado
2021-10-08
Como Citar
LUNA BATINGA, G.; BORGES, R. C.; DOLORES, O. P.; SANTOS, F. J. DA S.; JUNIOR, J. B. AMBIGUIDADES DA INDÚSTRIA 4.0. Encontro Internacional de Gestão, Desenvolvimento e Inovação (EIGEDIN), v. 5, n. 1, 8 out. 2021.
Seção
EIXO 1 - Artigo Completo - Administração de Empresas