A NAVEGAÇÃO AÉREA E O CONTROLE DE TRÁFEGO AÉREO NO BRASIL:

DESAFIOS E PARADOXOS DA GESTÃO MILITAR EM UM MEIO CIVIL

Resumo

O relato teve como objetivo demonstrar os contrastes que envolvem a gestão militar dos Serviços de Navegação Aérea (SNA) no Brasil, especialmente na provisão do serviço de Controle de Tráfego Aéreo (ATC). A pesquisa procurou evidenciar os paradoxos entre a cultura organizacional militar e a cultura profissional requerida para se garantir a primazia na atividade ATC - eminentemente civil. As consultas a fontes secundárias e terciárias foram corroboradas pela vivência do autor no ambiente militar dos órgãos ATC do país por mais de três décadas, o que possibilitou tipificar a chamada “observação” - um dos requisitos da pesquisa etnográfica. Como resultado, foi possível revelar o dualismo que permeia a atividade militar e a atividade ATC, sobretudo considerando que, no Brasil, os Controladores de Tráfego Aéreo (ATCO) constituem a classe de militares subalternos (Sargentos e Suboficiais), doutrinados a cumprir, ipsis litteris, as ordens emanadas dos superiores hierárquicos - condição incompatível com as características atitudinais e comportamentais necessárias ao exercício da atividade ATC. Desse modo, a pesquisa permitiu atestar que a gestão dos SNA, conduzida pela Força Aérea Brasileira (FAB), é ultrapassada e atípica se comparada com a comunidade de aviação civil internacional, indicando ser mais apropriado um modelo de gestão civil.

 

Palavras-chave: Serviços de Navegação Aérea; Controle de Tráfego Aéreo; Gestão Militar.

Publicado
2021-10-15
Como Citar
ARAUJO, M. A NAVEGAÇÃO AÉREA E O CONTROLE DE TRÁFEGO AÉREO NO BRASIL: . Encontro Internacional de Gestão, Desenvolvimento e Inovação (EIGEDIN), v. 5, n. 1, 15 out. 2021.
Seção
EIXO 2 - Relato de Prática - Administração Pública e Terceiro Setor