ÁREAS DE EXPANSÃO DA CANA-DE-AÇUCAR NO MATO GROSSO DO SUL E NO BRASIL

Lucas Eduardo de Oliveira Aparecido, Cícero Teixeira Silva Costa, Daniel Zimmermann Mesquita

Resumo


A demanda dos produtos derivados do cultivo da cana-de-açúcar vem crescendo a cada dia e uma maneira de aumentar a produção do cultivo é a expansão de novas áreas. Diante do exposto, o presente trabalho teve por objetivo estabelecer as áreas que apresentam o menor risco climático para realizar a expansão da produção de cana-de-açúcar no Mato Grosso do Sul e no Brasil. O estudo foi realizado no Brasil e foram utilizados dados de temperatura do ar e precipitação pluviométrica mensal de 4947 estações agrometeorológicas do Brasil, do período de 1950 a 2016. Utilizando as variáveis climáticas foram definidas as áreas aptas, restritas e inaptas ao cultivo canavieiro para o estado do Mato Grosso do Sul e também em âmbito nacional. O Brasil apresenta 31% das suas áreas agrícolas aptas ao cultivo de cana-de-açúcar e apenas 13% inaptas. O estado do Mato Grosso do Sul apresenta grande parte das suas áreas aptas climaticamente para o plantio canavieiro. Algumas áreas do estado apresentaram tendências de alto índice de doenças, questão essa que pode ser sanada com a utilização de produtos agroquímicos e manejo adequado da cultura.


Palavras-chave


Expansão de área; Clima; Zoneamento;

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, B. M. et al. Comparação de métodos de estimativa da ETo na escala mensal em Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, Fortaleza-CE, v.4, n.2, p.93-98, 2010.

BACCHI, O. O. S. Ecofisiologia da Cana-de-Açúcar. Piracicaba: IAA/PLANALSUCAR, 1985. 20 p.

BARBIERI,V.; VILLA NOVA, N.A Climatologia e a cana-de-açúcar. Araras: PLANALSUCAR, 1977. 22 p.

BATISTA, E. L. S. Efeitos do estresse hídrico sobre o crescimento de cultivares de Cana-de-Açúcar. 2012. 117 f. Trabalho de Conclusão de Curso (tese) Pós-Graduação em Meterologia Agrícola, Universidade Federal de Viçosa-UFV, Viçosa, 2012.

DOOREMBOS, J.; KASSAN, A.H. Efeitos da água no rendimento das culturas. Roma: FAO, 1994. 212 p. (Estudos FAO: Irrigação e Drenagem, 33).

FLEXAS, J.; RIBAS-CARBO, M.; BOTA, J.; GALMES, J.; HENKLE, M.; MARTINEZ-CANELLAS, S.; MEDRANO, H. Decreased Rubisco activity during water stress is not induced by decreased relative water content but related to conditions of low stomatal conductance and chloroplast CO2 concentration. New Phytologist, v.172, p.73-82, 2006.

IBGE, Censo. "Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/agropecuaria/censoagro/default.shtm." Acesso em 15 de agosto de 2017. (2006).

INMAN-BAMBER, N.G.; SMITH, D.M. Water relations in sugarcane and response to water deficits. Field Crops Research, v.92, p.185-202, 2005.

LYRA G. B.; BATISTA, E. L. S.; LYRA, G. B.; PEREIRA, C. R.; SILVA, L. D. B.; SILVA, G. M. Coeficiente da cultura da cana-de-açúcar no estádio inicial de desenvolvimento em campos dos Goytacazes, Rj. Irriga, Botucatu, v. 17, n. 1, p. 102-113, janeiro-março, 2012.

Nunes, E. L.; Amorim, R. C. F. de; Souza, W. G. de; Ribeiro, A.; Senna, M. C. A.; Leal, B. G. Zoneamento agroclimático da cultura do café para a bacia do Rio Doce. Revista Brasileira de Meteorologia, v.22, n.3, p.297-302, 2007.

PIMENTEL, C. A relação da planta com a água. Seropédica: Edur, 2004. 191p.

RAMESH, P. Effect of different levels of drought during the formative phase on growth parameters and its relationship with dry matter accumulation in sugarcane. Journal of Agronomy and Crop Science, v.185, p.83-89, 2000.

ROBERTSON, M.J.; MUCHOW, R.C.; DONALDSON, R.A.; INMAN-BAMBER, N.G.; WOOD, A.W. Estimating the risk associated with drying-off strategies for irrigated sugarcane before harvest. Australian Journal of Agricultural Research, v.50, p.65-77, 1999.

RUDORFF, B. F. T. et al. Studies on the rapid expansion of sugarcane for ethanol production in São Paulo State (Brazil) using Landsat data. Remote sensing, 2(4):1057-1076, 2010.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia Vegetal. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 719 p.

TEODORO, I. et al. Crescimento e Produtividade da cana-de-açúcar em cultivo de sequeiro nos tabuleiros costeiros de Alagoas. STAB, Março/Abril, v. 27, n. 4, 2009.

WANG, L. et al. Economic and GHG emissions analyses for sugarcane ethanol in Brazil: Looking forward. Renewable and Sustainable Energy Reviews, 40:571-582, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.