ATUAÇÃO DA PSICOLOGIA EM INSTITUIÇÕES DE ACOLHIMENTO: desafios e perspectivas na visão de profissionais de psicologia

  • Melissa Daiane Hans Sasson Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO
  • Jaiane Aparecida Pereira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS
Palavras-chave: Psicologia, Sistema Único de Assistência Social, Acolhimento institucional.

Resumo

A inserção da Psicologia dentro da Política Pública de Assistência Social, enquanto promotora de proteção social a crianças e adolescentes, é uma prática bastante recente que demonstra avanços no compromisso com a garantia dos direitos humanos e sociais e o permanente desafio de reinvenção da prática profissional, levando em consideração seu fazer político, seu lugar social e seus novos campos de atuação. Este trabalho vem ao encontro desta realidade com o objetivo de compreender a inserção da psicologia na Política de Assistência Social, em especial sua intervenção em situações onde há necessidade do acolhimento institucional de crianças e adolescentes vítimas de violência. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa por meio de entrevistas semiestruturadas com as psicólogas responsáveis por duas instituições de acolhimento de um município do centro-sul do Paraná. Os resultados apontam problemáticas que permeiam alguns desafios nessa área de atuação, possibilitando reflexões fundamentais para aqueles que estão mobilizados com a realidade psicossocial de crianças e adolescentes vítimas de violência, em suspensão ou destituição do poder familiar.

Biografia do Autor

Melissa Daiane Hans Sasson, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO
Graduada em Psicologia pela UNICENTRO, especialização em Gestão Pública com ênfase em Sistema Único de Assistência Social pela UEPG. Atualmente atua no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) de São Miguel do Iguaçu-PR
Jaiane Aparecida Pereira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Doutoranda em Administração pela Universidade Estadual de Maringá - UEM

Professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Referências

ABRAPIA. Maus-tratos contra crianças e adolescentes – proteção e prevenção: guia de orientação para educadores. Petrópolis, RJ: Autores & Agentes & Associados, ABRAPIA, 1997.

AZEVEDO, M. A. A infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Educ. Real., v. 20, n. 2, p. 133-84, 1995.

BRASIL. Constituição. Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

_______. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei Federal no 8.069/1990. Brasília, DF, 1990.

_______. Lei Orgânica da Assistência Social. Lei Federal no 8.742. Brasília, DF: MPAS, 1993.

_______. Violência intrafamiliar: orientações para a prática em serviço. Brasília: Ministério da Saúde. (Caderno de Atenção Básica, 8), 2001.

_______. Política Nacional de Assistência Social. Resolução n° 145, de 15 de outubro de 2004. Brasília, 2004.

_______. Norma Operacional Básica – NOB/SUAS. Resolução nº 130, de 15 de julho de 2005. Brasília, 2005.

_______. Norma Operacional Básica de Recursos Humanos – NOB-RH/SUAS. Resolução nº 269, de 13 de dezembro de 2006. Brasília, 2006.

_______. Tipificação nacional de serviços socioassistenciais. Resolução n. 109, de 11 de novembro de 2009. Brasília: MDS/CNAS, 2009a.

______. Orientações técnicas: serviços de acolhimento para crianças e adolescentes, Brasília: CNAS, Conanda, 2009b.

CANIATO, A. Subjetividade e violência: desafios contemporâneos para a psicanálise. Maringá: Eduem, 2009.

CFP. Conselho Federal de Psicologia. Serviço de Proteção Social a Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência, Abuso, e Exploração Sexual e suas Famílias: referências para a atuação do psicólogo. Brasília: CFP, 2009.

COSTA, A. F. de S; CARDOSO, C. L. A inserção do psicólogo em centros de referência de assistência social – CRAS. Revista Interinstitucional de Psicologia, p. 223-229, 2010.

FÁVERO, L. L. O tópico discursivo. In PRETI, D. (Org.) Análise de textos orais. São Paulo: Humanitas Publicações, FFLCH/USP, 1997, Projetos Paralelos: vol I.

MINAYO, M. C. A violência social sob a perspectiva da Saúde Pública. Cad. Saúde Pública, 1994, v.10, supl.1, p.07-18.

MINAYO, M. C. de S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002.

Publicado
2017-09-05