O(s) lugar(es) da mulher e as relações de poder entre os sexos, um estudo específico em Naviraí – MS: permanências, transformações perspectivas e desafios

  • Jaque Teodoro Comin UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS
Palavras-chave: Gênero, Mulher, Poder, Lugar social, Estereótipo.

Resumo

A pesquisa consiste na análise das relações de gênero, com foco na trajetória histórica das mulheres na ordem política, social, econômica e cultural, de modo a discutir a condição feminina vivenciada nas últimas décadas, bem como destacar permanências, transformações, perspectivas e desafios ainda existentes. Para tanto, propõe uma investigação pontual, no município de Naviraí-MS, acerca da compreensão e discussão do(s) lugar(es) social(is) e as relações de poder da mulher na sociedade Naviraiense contemporânea. A metodologia adotada, em primeiro momento, foi pautada pela revisão bibliográfica, com intenção de discutir o conceito de gênero e a problematização da temática abordada. Na sequência, se debruçou em uma pesquisa com abordagem qualitativa, por meio de entrevistas semiestruturadas realizadas com seis mulheres do município campo da pesquisa, as quais foram escolhidas em três grupos de classe social distintas: funcionárias de empresas privadas, funcionárias públicas e empresárias. Desta forma, verificaram-se como as relações de gênero abrangem diferentes lugares sociais e de que forma influenciam a vida cotidiana, ouvindo a voz, as experiências e vivências relatadas pelos sujeitos da investigação, bem como evidenciou como se dão as novas formas de submissão feminina na atualidade, por meio da análise sócio histórica da constituição social.

Biografia do Autor

Jaque Teodoro Comin, UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS
Licenciada em Ciências Sociais na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, mestranda em Sociologia, pesquisadora da área de gênero e política.

Referências

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. 6.ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BOURDIEU, P. A miséria do mundo. Petrópolis/RJ: Vozes, 1997.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Tradução Fernando Tomaz (português de Portugal) 13. ed. – RJ: Bertrand Brasil, 2010.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. História da violência nas prisões. 22.ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

GERHARDT, T. E; SILVEIRA, D.T. Métodos de pesquisa. Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS; Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. Editora da UFRGS. Porto Alegre, 2009.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. 8. ed. - Rio de Janeiro: Record, 2004.

LARGUIA, I; DUMOULIN, J. Para uma Ciência da Libertação da Mulher. São Paulo, Global, 1982.

LOPES, D. H. Homens, mulheres e escola: relações de gênero, memória e subjetividades na educação e na sociedade mariliense da década de 1990 / Marília, tese (doutorado em ciências sociais) – Faculdade de filosofia e ciências, Universidade Estadual Paulista, 2013.

LOURO, G. L; FELIPE, J; GOELLNER, S. V. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação/ 6. ed. – Petrópolis, RJ : Vozes,2010.

LOURO, G. L. Uma leitura da história da educação sob a perspectiva do gênero. Projeto História. São Paulo, n. 11, p. 31-46, nov. 1994.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis (RJ): Vozes, 1997.

MARQUES, E; PEIXOTO, M. A; VIANA, N; PINHEIRO, V. A questão da mulher – opressão, trabalho e violência. Rio de Janeiro, ed. Ciência moderna Ltda., 2006

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento. 10. ed. São Paulo: HUCITEC, 2007.

OLIVEIRA, G. C; BARROS, I; SOUZA, M. H. Trilhas feministas na gestão pública. Brasília: CFEMEA, 2010.

PINTO, C. R. J. Feminismo, história e poder. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, v. 18, n. 36, p. 15-23, jun. 2010

SAFFIOTI, H. I. B. Gênero, patriarcado e violência. (Coleção Brasil Urgente)SP: Perseu Abramo, 2004.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v.16, n. 2, p. 5-22, jul/dez. 1990.

SCOTT, J. Experiência: tornando-se visível. In: SILVA, Alcione Leite; LAGO, Maria Coelho de Souza; RAMOS, Tânia Regina Oliveira (org.). Falas de gênero: teorias, análises, leituras. Florianópolis: Mulheres, 1999.

SPIVAK, G. Pode o Subalterno falar? (1942-). Trad. Sandra Regina Goulart Almeida; Marcos Pereira Feitosa, André Pereira Feitosa. Editora UFMG, 2010, Belo Horizonte.

TOURAINE, A. O mundo das mulheres; tradução de Francisco Morás. 3. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

Disponível em: http://gilbert92.jusbrasil.com.br/artigos/172166653/mulheres-no-congresso. Acessado em 30/06/2016

Publicado
2017-10-10