MERCADO DE TRABALHO NO MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ-MS: um estudo a partir da ótica dos empregadores

Larissa Evelin Santos Nicomedes, Jaiane Aparecida Pereira, Sibelly Resch

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi analisar fatores relacionados ao mercado de trabalho no município de Naviraí-MS, a partir da ótica dos empregadores. A pesquisa foi desenvolvida no escopo de um projeto de extensão com objetivos distintos, incluindo a proposição de ações que possam contribuir para o aperfeiçoamento da qualificação profissional dos trabalhadores no município. A pesquisa que se apresenta classifica-se como quantitativa descritiva, com coleta de dados realizada a partir da aplicação de questionários enviados para empresas de Naviraí, sendo que o maior percentual da amostra é de empresas que fazem parte da Associação Comercial e Empresarial de Naviraí. A amostra, por conveniência, contou com 52 respondentes que são empresários ou ocupantes de cargos administrativos nas empresas, responsáveis pela contratação de pessoal. Como resultado, pôde-se verificar a necessidade de melhoria na qualificação profissional, sobretudo a capacitação técnica, pois constatou-se que falta mão de obra no mercado de trabalho em Naviraí e a mão de obra disponível necessita de qualificação ou de aperfeiçoamento. Ademais, os empregadores apontam o perfil do candidato e a experiência na área como requisitos mais importante para a contratação.

 


Palavras-chave


Mercado de trabalho; Qualificação profissional; Naviraí.

Texto completo:

PDF

Referências


BALASSIANO, M.; SEABRA, A. A.; LEMOS, A. H. Escolaridade, salários e empregabilidade: tem razão a teoria do capital humano? RAC – Revista de Administração Contemporânea, v. 9, n. 4, Out./Dez., p. 31-52, 2005.

BARBETTA, P. A. Estatística aplicada às ciências sociais. 3. ed. Florianópolis: Ed. da

UFSC, 1999.

BASTOS, A. V. B.; PINHO, A. P. M.; COSTA C. A. Significado do trabalho: um estudo entre trabalhadores inseridos em organizações formais. RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 6, p. 20-29. Nov./Dez. 1995.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

COELHO, R. C. Estado, governo e mercado. 2. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração, UFSC, 2012.

DEDECCA, C. S. Notas sobre a Evolução do Mercado de Trabalho no Brasil. Revista de Economia Política, Campinas, v. 25, n. 1(97), p. 94-111, Jan./Mar. 2005.

FLEURY, M. T. L; FLEURY, A. Construindo o conceito de competência. RAC – Revista de Administração Contemporânea, edição especial, p. 183-196, 2001.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2015.

GUIMARÃES, G. S. Mercado de Trabalho e Educação Profissional. 2014, 69f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE,2014.

IBGE SIDRA. Sistema IBGE de Recuperação Automática. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (PNADC/T). Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2018.

IBGE CIDADES. Panorama. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2018.

KATO, J. M.; PONCHIROLLI, O. O desemprego no Brasil e os desafios éticos. Revista da FAE, v. 5, n. 3, 2002.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 8. ed.São Paulo: Atlas, 2017.

OLIVEIRA, A. M. Impactos da reconfiguração das atividades econômicas sobre os mercados de trabalho nas metrópoles de Belo Horizonte e Salvador.2010, 238f. Tese (Doutorado em Economia) - Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2010.

OLIVEIRA, T.Trabalho e Padrão de Desenvolvimento: uma reflexão sobre a reconfiguração do mercado de trabalho brasileiro. 2015, 269f. Tese (Doutorado em Economia) - Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP,2015.

OLIVEIRA, S. R.; PICCININI, C. V. Mercado de trabalho: múltiplos (des)entendimentos. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro v. 45, n. 5, p. 1517-1538, Set./Out. 2011.

PAIVA, K. C. M; MELO, M. C. O. L. Competências, gestão por competências e profissões: perspectivas de pesquisa. RAC – Revista de Administração Contemporânea, v. 12, n. 2, p. 339-368, Abr./Jun. 2008.

PEREIRA, J. A.; RESCH, S.; DOCKHORN, M. S. M.; RODRIGUES, W. O. P.; SILVA, M. A. C. Desenvolvimento local e regional: características da microrregião de Iguatemi do Estado de Mato Grosso do Sul. RECC - Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, v. 4, n. 2, p. 19-35, 2017.

PNUD. PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. PNUD. Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2017.

RAMOS, L. O desempenho recente do mercado de trabalho brasileiro: tendências, fatos estilizados epadrões espaciais. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), n. 1255, p.7-41, jan.2007.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

RIGBY, M.; SANCHIS, E. O conceito de qualificação e a sua construção social. Revista Europeia de Formação Profissional, n. 37, p. 24-36, 2006.

SCHWARTZMAN, S.; CASTRO, C. M. Ensino, formação profissional e a questão da mão de obra. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 21, n. 80, p. 563-624, jul./set. 2013.

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Anuário do trabalho na micro e pequena empresa: 2013. Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Brasília-DF: DIEESE, 2013. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Anuario%20do%20Trabalho%20Na%20Micro%20e%20Pequena%20Empresa_2013.pdf. Acesso em: 27fev. 2018.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 23.ed. São Paulo: Cortez,

TRIVIÑOS, A. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.