GESTÃO AMBIENTAL E LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A PARQUES ECOLÓGICOS: estudo de caso do Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema

Bruno dos Santos Crivelli Almeida, Patrícia Pinheiro Fonseca, Priscila Lini

Resumo


Nesta produção acadêmica objetivou-se demonstrar como ocorre a gestão ambiental e legislação aplicável para parques estaduais, tendo como foco o Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema. Com área total de 73.345,15 hectares abrangendo os municípios de Jateí com 42.846,0575 hectares, Naviraí com 16.284,8512 hectares e Taquarussu com 14.214,2413 hectares, embora a gestão dos mesmos seja pouco participativa e ativa, sendo que ainda os recursos financeiros são repassados pela CESP, direcionados e aplicados pelo IMASUL. Seu plano de manejo está em fase de revisão para a abertura ao público, pois acredita-se que o potencial econômico e turístico do Parque tende a trazer benefícios e desenvolvimento aos municípios que o compõem e aos demais também próximos, ou seja, a proposta tratada é de grande interesse a toda a população do entorno do Parque, pois trata-se de uma oportunidade de crescimento e desenvolvimento para os municípios, através de uma Unidade de Conservação que é protegida e cuidada há 20 anos.


Palavras-chave


Gestão Ambiental; Legislação Ambiental; Parque Estadual; PEVRI; Turismo Ecológico.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAGA, Vanessa Menegazzi. O parque estadual das várzeas do rio Ivinhema - MS: a execução do plano de manejo e o papel da mídia. 2004.

BRASIL. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza: Lei n.º 9.985, de 18 de julho de 2000. Disponível em: Acesso em: 08 de maio de 2018.

________. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza: Decreto nº 4.340, de 22 de agosto de 2002. Disponível em: Acesso em: 08 maio de 2018.

________. Conselho Consultivo do Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema: Decreto nº 13.440 de 4 de junho de 2012. Disponível em: Acesso em: 08 maio de 2018.

BOO, E. The Ecotourism Boom: Planning for Development and Management. WHN technicalpaper series. Paper 2, Washington, 1992. p. 16.

FARIA, Helder Henrique de. Eficácia de gestão de Unidades de Conservação gerenciadas pelo Instituto Florestal de São Paulo, Brasil. Tese de doutoramento. Depto. Geografia. Faculdade de Ciências e Tecnologia. UNESP. Presidente Prudente, SP. 2004, p. 401.

________. PIRES, Andréa Soares. Atualidades em Gestão de Unidades de Conservação. In Unidades de Conservação: Gestão e Conflitos. Org. Dora Orth e Emiliana Debetir. Editora Insular. Florianópolis, SC. 2007a. p. 11- 41.

________, ________. Gestão de unidades de conservação: Conceituação e componentes básicos para a excelência do processo. Anais do V Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação. Fundação O Boticário de Proteção à Natureza. Foz do Iguaçu, Brasil. 2007b, p. 54

________, ________. Administração, manejo ou gestão de Unidades de Conservação? VIII Fórum Ambiental da Alta Paulista. São Paulo, SP. 2012, p. 43-59.

FRANCISCO, Cristiane Nunes. Utilização de Sistemas Geográficos de Informações (SGI) na elaboração de Zoneamento de Unidades De Conservação: Uma aplicação no Parque Nacional Da Tijuca - RJ. 1ª Semana Estadual de Geoprocessamento. Rio de Janeiro, Brasil. 1996, p. 41 – 53.

IBAMA - INSTITUTO BRASILEIRO DE MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS RENOVÁVEIS, Roteiro Metodológico para o Planejamento de Unidades de Conservação de Uso Indireto. 47 p. 1997.

ICMBio – INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODVERSIDADE, 2002. Unidades de conservação. Disponível em: Acesso em: 08 de maio de 2018.

IMASUL. Plano de Manejo do Parque Estadual das Várzeas do rio Ivinhema. Campo Grande: Superintendência de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, 2012.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. 13ª edição. São Paulo: Ed. Malheiros, 2004. p. 103.

MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Além da hierarquia: como implantar estratégias participativas para administrar a empresa enxuta. São Paulo: Atlas, 1995. p 93.

MILANO, Miguel Sereudik. Conceitos básicos e Princípios Gerais de Planejamento, Manejo e Administração de Unidades de Conservação. In: FBPN (org.) Planejamento e Manejo de Áreas Naturais Protegidas. FBPN. Guaraqueçaba. 2001.

SANTOS, Rosely F. dos. Planejamento Ambiental. Teoria e prática. Ed. Oficina, de Textos. 1ª edição, 2ª reimpressão. São Paulo, Br. 2004. 184p.

SILVA, João dos Santos Vila da; POTT, Arnildo. GOMES, Edmur Lavezo. Características da Bacia Hidrográfica do Rio Ivinhema. Corumbá, MS: Revista GeoPantanal. 2014. p. 109.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.