FATORES FACILITADORES DE INOVAÇÃO EM UNIVERSIDADES

Juliane Yukie Yamamoto Faedo, Marco Antonio Costa da Silva

Resumo


As universidades têm um importante papel de promover o desenvolvimento econômico e social, em que ensino e pesquisa se associam à transferência de conhecimento para sociedade. As invenções oriundas das bancadas das universidades, chegam ao mercado como novos produtos, processos e serviços, contribuindo para melhorar a vida da população, gerar empregos, contribuir para a economia nacional. Universidades que possuem altos índices de transferência de tecnologia, possuem características que favorecem a inovação e um ambiente propício à ela. Diante disto, esta pesquisa teve como objetivo identificar as características presentes nas universidades consideradas mais inovadoras pelo Ranking Nacional que facilitam o processo inovativo, priorizando as três primeiras colocadas: USP, Unicamp e UFMG. Através da pesquisa bibliográfica e da pesquisa documental, foram identificados cinco fatores facilitadores de inovação em universidades: identidade organizacional, cultura, recursos humanos, recursos financeiros e atuação do NIT. A presença e a interação desses fatores em conjunto, contribuem para um melhor desempenho inovador dessas universidades.


Palavras-chave


Inovação em universidades; Transferência de Tecnologia; Fatores facilitadores de inovação.

Texto completo:

PDF

Referências


AMADEI, José Roberto Plácido; TORKOMIAN, Ana Lúcia Vitale. As patentes nas universidades: análise dos depósitos das universidades públicas paulistas. Ciência da Informação, v. 38, n. 2, p. 9-18, 2009.

ARBIX, Glauco; CONSONI, Flávia. Inovar para transformar a universidade brasileira. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 26, n. 77, p. 205-224, 2011.

AUTM. The AUTM Briefing Book: 2015. Ilinois: AUTM, 2015. Disponível em: < https://autmvisitors.net/sites/default/files/documents/AUTM%20Briefing%20Book%202015.pdf>. Acesso em 22 nov. 2017.

AUTM. Frequently Asked Questions. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2017.

BARDIN, Lawrence. Análise de conteúdo. Lisboa: edições, v. 70, p. 225, 1977.

BERCOVITZ, Janet et al. Organizational structure as a determinant of academic patent and licensing behavior: An exploratory study of Duke, Johns Hopkins, and Pennsylvania State Universities. The Journal of Technology Transfer, v. 26, n. 1, p. 21-35, 2001.

BOTELHO, Antonio José Junqueira; ALVES, Alex da Silva. Uma avaliação da dinâmica das relações universidade-empresa para a inovação no Brasil. Evidências de duas experiências nacionais. Redes, v. 17, n. 32, 2011.

BRASIL. Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Dispõe Sobre Incentivos à Inovação e à Pesquisa Científica e Tecnológica no Ambiente Produtivo e Dá Outras Providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.973.htm>. Acesso em 10 out. 2017.

______. Lei nº 13.243, de 11 de janeiro de 2016. Dispõe Sobre Estímulos Ao Desenvolvimento Científico, à Pesquisa, à Capacitação Científica e Tecnológica e à Inovação e Altera a Lei no 10.973, de 2 de Dezembro de 2004, A Lei no 6.815, de 19 de Agosto de 1980, A Lei no 8.666, de 21 de Junho de 1993, A Lei no 12.462, de 4 de Agosto de 2011, A Lei no 8.745, de 9 de Dezembro de 1993, A Lei no 8.958, de 20 de Dezembro de 1994, A Lei no 8.010, de 29 de Março de 1990, A Lei no 8.032, de 12 de Abril de 1990, e A

BRESCIA, F.; COLOMBO, G.; LANDONI, Paolo. Organizational structures of Knowledge Transfer Offices: an analysis of the world’s top-ranked universities. The Journal of Technology Transfer, v. 41, n. 1, p. 132-151, 2016.

CARVALHO, Hélio Gomes de; REIS, Dálcio Roberto dos; CAVALCANTE, Márcia Beatriz. Gestão da Inovação. Curitiba: Aymará, 2011.

CTIT. UFMG. 2017 Relatório de Atividades. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2018.

DOBNI, C. Brooke. Measuring innovation culture in organizations: The development of a generalized innovation culture construct using exploratory factor analysis. European Journal of Innovation Management, v. 11, n. 4, p. 539-559, 2008.

ELER, Esdras Oliveira; ANDALECIO, Aleixina Maria Lopes. Indicadores de inovação: Estudo comparativo entre o Brasil e os demais países dos BRICS. Revista GEINTEC-Gestão, Inovação e Tecnologias, v. 5, n. 1, p. 1683-1702, 2015.

ESTÁCIO, Letícia Silvana dos Santos; PINTO, Adilson Luiz. Indicadores da produção científica e tecnológica e a autonomia científica: um estudo na Universidade de São Paulo e Universidade Estadual de Campinas. In: XVII ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. 2016.

ETZKOWITZ, Henry. Research groups as ‘quasi-firms’: the invention of the entrepreneurial university. Research policy, v. 32, n. 1, p. 109-121, 2003.

ETZKOWITZ, Henry; ZHOU, Chunyan. Hélice Tríplice: inovação e empreendedorismo universidade-indústria-governo. Estudos Avançados, [s.i.], v. 31, n. 90, p.23-48, maio 2017.

FELDMAN, Maryann P.; DESROCHERS, Pierre. Truth for its own sake: academic culture and technology transfer at Johns Hopkins University. Minerva, v. 42, n. 2, p. 105-126, 2004.

FERREIRA, Gabriela Cardozo; SORIA, Alessandra Freitas; CLOSS, Lisiane. Gestão da interação Universidade-Empresa: o caso PUCRS. Sociedade e Estado, v. 27, n. 1, p. 79-94, 2012.

FOLHA DE SÃO PAULO. Ranking Universitário 2017. Disponível em . Acesso em 7 out 2017.

GARNICA, Leonardo Augusto; TORKOMIAN, Ana Lúcia Vitale. Gestão de tecnologia em universidades: uma análise do patenteamento e dos fatores de dificuldade e de apoio à transferência de tecnologia no Estado de São Paulo. Gestão de Produção, São Carlos, v. 16, n. 4, p.624-638, out./dez. 2009.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GODOY, Arlida Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de administração de empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995a.

GODOY, Renata Semensato Pereira de. Relações entre cultura organizacional e processos de inovação em empresas de base tecnológica. 2009. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

GUBIANI, Juçara Salete. Modelo para diagnosticar a influência do capital intelectual no potencial de inovação das universidades. 2011.194f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Centro de Tecnologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

HAASE, Heiko; ARAÚJO, Eliane Cristina de; DIAS, Joilson. Inovações Vistas pelas Patentes: Exigências Frente às Novas Funções das Universidade. Revista Brasileira de Inovação, [S.l.], v. 4, n. 2 jul/dez, p. 329-362, 2005.

INOVA UNICAMP. Relatório de Atividades 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

INPI. Boletim Mensal de Propriedade Industrial: Ranking dos depositantes residentes 2016. Estatísticas preliminares. Rio de Janeiro: Inpi, 2017(b). 18 p.

ISMAIL, Wan Khairuzzaman Wan; ABDMAJID, R. Framework of the culture of innovation: A revisit. Jurnal Kemanusiaan, v. 9, 2007.

KURESKI, Ricardo; ROLIM, Cassio. Impacto econômico de curto prazo das universidades federais na economia brasileira. Revista Paranaense de Desenvolvimento, n. 117, p. 29-51, 2009.

MENEZES, Edmara Thays Neres et al. O crescimento no número da produção intelectual na Universidade Federal de Sergipe após a implantação do Programa de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias. São Cristóvão, v. 2, n. 2, p. 193-204, 2012.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado; PERUCCHI, Valmira. Universidades e a produção de patentes: tópicos de interesse para o estudioso da informação tecnológica. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 19, n. 2, jun. 2014.

OCDE. The OECD innovation strategy: getting a head start on tomorrow. Paris: OCDE, 2010.

OLIVEIRA, Rodrigo Maia de; VELHO, Léa Maria Leme Strini. Patentes acadêmicas no Brasil: uma análise sobre as universidades públicas paulistas e seus inventores. Parcerias Estratégicas, v. 14, n. 29, p. 173-200, 2010.

O'SHEA, Rory P. et al. Entrepreneurial orientation, technology transfer and spinoff performance of US universities. Research policy, v. 34, n. 7, p. 994-1009, 2005.

PLANES – Planejamento Estratégico Universidade Estadual de Campinas 2016-2020 / Pró-Reitoria de Desenvolvimento Universitário. Campinas, SP: UNICAMP/PRDU, 2016. 76 p.

QUERIDO, André Luiz de Souza. Destino das patentes das universidades brasileiras e mapeamento das atividades dos núcleos de inovação tecnológica. 2011. 147f. 2011. Tese (Doutorado em Biotecnologia Vegetal)–Centro de Ciências da Saúde–Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

QS WORLD UNIVERSITY RANKINGS. Disponível em: < https://www.topuniversities.com/university-rankings/world-university-rankings/2018>. Acesso em 21 jan. 2018.

REUTERS. Reuters Top 100: The World’s Most Innovative Universities – 2017. Disponível em: . Acesso 7 out 2017.

ROGERS, Everett M.; YIN, Jing; HOFFMANN, Joern. Assessing the effectiveness of technology transfer offices at US research universities. The Journal of the Association of University Technology Managers, v. 12, n. 1, p. 47-80, 2000.

ROGERS, Everett M.; TAKEGAMI, Shiro; YIN, Jing. Lessons learned about technology transfer. Technovation, v. 21, n. 4, p. 253-261, 2001.

ROSA, R. Assunção; FREGA, José R. Intervenientes do Processo de Transferência Tecnológica em uma Universidade Pública. Revista de Administração Contemporânea, v. 21, n. 4, 2017.

SCHWARTZMAN, Simon. A universidade primeira do Brasil: entre intelligentsia, padrão internacional e inclusão social. Estudos Avançados, São Paulo, v. 20, n. 56, p. 161-189, Apr. 2006.

SCHWARTZMAN, Simon. The University of São Paulo: an overview. Núcleo de Pesquisas sobre Ensino Superior da USP. Documento de Trabalho 1/89. São Paulo, 1989. Disponível em: < http://www.schwartzman.org.br/simon/pdf/usp.pdf>. Acesso em 29 nov. 2017.

SILVA, Marco Antonio Costa et al. Cultura Inovativa e Formação de Ambiente Inovador. 2014. Disponível em: . Acesso em 22 mar. 2017.

SILVA, Luan Carlos Santos; KOVALESKI, João Luiz; GAIA, Silvia. Gestão do conhecimento organizacional visando à transferência de tecnologia: os desafios enfrentados pelo Nit da Universidade Estadual de Santa Cruz. Revista Produção Online, [s.i.], v. 13, n. 2, p.677-702, abr./jun. 2013.

STAL, Eva; FUJINO, Asa. As relações universidade-empresa no Brasil sob a ótica da Lei de Inovação. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 2, n. 1, p.5-19, 2005.

THURSBY, Jerry G.; JENSEN, Richard; THURSBY, Marie C. Objectives, Characteristics and Outcomes of University Licensing: A Survey of Jerry G. Thursby1 Richard Jensen2 Major U.S. Universities. Journal Of Technology Transfer, [s.i.], v. 26, p.59-72, 2001.

THURSBY, Jerry G.; KEMP, Sukanya. Growth and productive efficiency of university intellectual property licensing. Research policy, v. 31, n. 1, p. 109-124, 2002.

TIMES HIGHER EDUCATION. World University Rankings 2018. Disponível em: < https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/2018/world-ranking#!/page/0/length/25/sort_by/rank/sort_order/asc/cols/stats>. Acesso em 22 jan. 2018.

TOLEDO, Patricia Tavares Magalhães de. A gestão da inovação em universidades: evolução, modelos e propostas para Instituições Brasileiras. 2015. 441 f. Tese (Doutorado) - Curso de Política Científica e Tecnológica, Unicamp, Campinas, 2015.

TORKOMIAN, Ana Lúcia Vitale. Panorama dos Núcleos de Inovação Tecnológica no Brasil. In: TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA: ESTRATÉGIAS PARA ESTRUTURAÇÃO E GESTÃO DE NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Campinas, SP: Komedi, 2009.

UFMG. Plano de Desenvolvimento Institucional: 2013-2017. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2017.

______. Relatório de gestão do exercício de 2016. 2017. Disponível em: . Acesso em: 2 set. 2017.

UNICAMP. Anuário estatístico: base 2016. 2017. Disponível em: . Acesso em: 3 out. 2017.

USP. Relatório de atividades 2015. 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2017.

USP. Relatório de atividades 2017. Disponível em: http://www.inovacao.usp.br/wp-content/uploads/sites/300/2017/07/catalogo_PDF_DIGITAL-1.pdf

WU, Yonghong; WELCH, Eric W.; HUANG, Wan-Ling. Commercialization of university inventions: Individual and institutional factors affecting licensing of university patents. Technovation, v. 36, p. 12-25, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.