A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL INSERIDA NA CULTURA ORGANIZACIONAL: estudo de caso em hotel de gestão familiar

  • Rachel Matos Rocha UFMS - ESAN (Campo Grande)
  • Milton Augusto Pasquotto Mariani UFMS/ESAN
Palavras-chave: Cultura organizacional, Práticas Sustentáveis, Hotel de gestão familiar.

Resumo

A partir da preocupação das organizações em se tornarem cada vez mais sustentáveis e do reconhecimento de que a cultura organizacional dita os rumos de gestão nas organizações sólida surgiu a seguinte questão norteadora deste estudo: Como a cultura organizacional de um hotel de gestão familiar pode influenciar suas práticas sustentáveis ambientais? O objetivo geral desta pesquisa é confrontar os aspectos culturais de um hotel de gestão familiar com as suas práticas sustentáveis ambientais. Utilizou-se a abordagem qualitativa, o método de estudo de caso e a técnica de análise de conteúdo. O presente estudo atingiu seu objetivo proposto. O que foi percebido é que o hotel tem em sua cultura organizacional, principalmente nos artefatos visíveis, as práticas sustentáveis sociais mais evidentes do que as práticas sustentáveis ambientais. Em suma, o caso apresentou muitos aspectos apontados na literatura. Porém, no Brasil, estudos que relacionam a cultura organizacional com as práticas sustentáveis em geral ainda é muito escasso.

Biografia do Autor

Rachel Matos Rocha, UFMS - ESAN (Campo Grande)

Mestranda em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) na linha de pesquisa Controle Gerencial, com início em 2017.1. Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal da Grande Dourados (2014). Profissionalmente atuou na área, como assistente Contábil em um escritório de Contabilidade por quatro anos.

Milton Augusto Pasquotto Mariani, UFMS/ESAN
Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1987), mestrado em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996), doutorado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo (2001)e Pós Doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo. Atualmente é docente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, credenciado nos programas de mestrado em Administração e Estudos Fronteiriços. Tem experiência na área de Administração, Turismo, desenvolvimento regional e local, Tecnologias Sociais, Economia Solidária e Planejamento Turístico. Participação nos Conselhos Editoriais das REVISTAS VISÃO E AÇÃO DA UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ, REVISTA GEO PANTANAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CAMPUS CORUMBÁ, REVISTA INTERAÇÕES DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DOM BOSCO e REVISTA BRASILEIRA DE ECOTURISMO.

Referências

BERTERO, Carlos Osmar. Cultura organizacional e instrumentalização do poder. Cultura e poder nas organizações, v. 2, p. 29-44, 1996.

CASTELLI, Geraldo. O hotel como empresa. Porto Alegre: Sulina, 1982.

DIEHL, Carlos Alberto; DE SOUZA, Marcos Antônio. Alavancas de Controle: identificando o alinhamento estratégico. Revista Digital del Instituto Internacional de Costos, n. 2, p. 41-66, 2008.

Elkington J. Partnerships from cannibals with forks: the triple-bottom line of 21st-century business. Environmental Quality Management, v. 8, p. 37–51, 1995.

Ishihara, A. M. P. (2012). Contribuição do ecoturismo para gestão sustentável de unidades de conservação: o caso de Bonito-MS.

Knupp, M. E. C. G. (2012). A classificação de meios de hospedagem do Brasil. TURyDES, 5(13): 1–21.

Jesus, M. F., Machado, H. V., & Jesus, A. F. (2009). Sucessão familiar: um estudo de caso no setor de turismo. Turismo-Visão e Ação, 11(2), 142-156.

Lei 11.771/2008. Lei Geral do Turismo (LGT).

Publicado
2018-12-13
Como Citar
ROCHA, R. M.; MARIANI, M. A. P. A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL INSERIDA NA CULTURA ORGANIZACIONAL: estudo de caso em hotel de gestão familiar. Encontro Internacional de Gestão, Desenvolvimento e Inovação (EIGEDIN), v. 2, n. 1, 13 dez. 2018.