CONSUMO COLABORATIVO A LUZ DA DESTRUIÇÃO CRIATIVA E INOVAÇÃO DISRUPTIVA: um estudo de casos múltiplos

Andressa Valeria Durante, Lígia Boeze, Andressa Aparecida Tomazeli, Vitor da Costa Koki Nogami

Resumo


Com a evolução da tecnologia e a consequente mudança de comportamento dos consumidores, antigas formas de consumo começam a serem remodeladas e aplicadas ao atual contexto econômico e social, são as antigas práticas de escambo, que são reinventadas a partir do uso da tecnologia, tomando uma nova forma, mais sustentável e preocupada com a reconstrução de valores como a confiança e a interação social. Neste sentido, o presente trabalho buscou analisar a trajetória do consumo colaborativo, relacionando com os conceitos de destruição criativa e inovação disruptiva. Para isso, foi realizado um estudo de casos múltiplos de consumo colaborativo presentes no cenário brasileiro, sendo os casos: Netflix, Airbnb, Uber, Enjoei e Catarse. A escolha dos casos foi baseada nas formas de consumo colaborativo apresentadas por Botsman e Rogers (2011), que são: sistema de produtos e serviços, mercado de redistribuição e estilo de vida colaborativo. A partir da análise dos casos selecionados, foi constatado que nem todas as cinco plataformas possuem características que as remetem a destruição criativa e a inovação disruptiva.


Palavras-chave


Consumo colaborativo; Inovação disruptiva; Destruição criativa.

Texto completo:

PDF

Referências


ANATEL. TV paga registra queda de 105,40 mil assinantes em janeiro . Acesso em: 12 de Outubro de 2017.

BARBOSA JR. Antônio Rodrigues. Fatores determinantes da inovação disruptiva.

Disponível em: Acesso em: 01 de Outubro de 2017.

BOTSMAN, Rachel; ROGERS, Roo. O que é meu é seu: como o consume colaborativo pode mudar o nosso mundo. Porto Alegre: Bookman, 2011.

BUDAG, Fernanda Elouise. Economia compartilhada, tecnologia e consumo: suas interfaces com a comunicação de marca. Disponível em: . Acesso em 17 de Julho de 2017.

BURGELMAN, Robert; CHRISTENSEN, Clayton; WHEELWHIGHT, Steven. Gestão estratégica da tecnologia e da inovação: conceitos e soluções. 5. Ed. Porto Alegre: AMGH Editora Ltda, 2012.

CALAZANS, Janaina; LINS, Rafaela; LIMA, Cecília. Ter menos e compartilhar mais: uma análise do consumo colaborativo. Disponível em: . Acesso em: 15 de Junho de 2017.

CATARSE. Disponível em: . Acesso em: 28 de Outubro de 2017.

CHRISTENSEN, Clayton. Gestão da Saúde: Soluções disruptivas para reduzir custos e aumentar qualidade. Porto Alegre: Bookman. 2009.

CHRISTENSEN, Clayton. O dilema da inovação: Quando novas tecnologias levam empresas ao fracasso. São Paulo: Makron Books. 2011.

CORÁ, Stephania Klaser. Consumo colaborativo: O impacto do aplicativo do desapego no desempenho do consumo colaborativo em Porto Alegre. Disponível em: . Acesso em: 19 de Julho de 2017.

COSTA, Ana Cristina; MONTEIRO FILHA, Dulce Corrêa; GUIDOLIN, Silvia Maria. Inovação nos setores de baixa e média tecnologia. Disponível em: . Acesso em: 03 de Junho de 2017.

FOLHA DE SÃO PAULO. Netflix se aproxima de 100 milhões de assinantes, metade fora dos EUA. São Paulo, 2017. . Acesso em: 12 de Outubro de 2017.

FURTADO, Eva. Publicidade e discursos do consumo colaborativo Possíveis efeitos de sentido na propaganda da marca “Bom Negócio”. Disponível em: Acesso em 23 de Junho, 2017.

GRANSKY, Lisa. Mesh: Porque o futuro dos negócios é compartilhar. Alta Books Editora,2011. Disponível em: < https://books.google.com.br/books?id=NVaPAwAAQBAJ&printsec=frontcover&dq=o+futuro+dos+negocios+%C3%A9+compartilhar&hl=pt-BR&sa=X&redir_esc=y#v=onepage&q=o%20futuro%20dos%20negocios%20%C3%A9%20compartilhar&f=false>. Acesso em: 15 de Outubro de 2017.

GILBERT, C. The Disruption Opportunity. MIT Sloan Management Review, 2003. Disponível em: http://sloanreview.mit.edu/article/the-disruption-opportunity/. Acesso em: 15 de Outubro de 2017.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOULART, S.; CARVALHO, C.A. O pesquisador e o design da pesquisa qualitativa em administração. In: VIEIRA, M. M.; ZOUAIN, D. M. (org.). Pesquisa qualitativa em administração: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

GREESNPAN, Alan. A era da turbulência: aventuras em um novo mundo. Rio de Janeiro: Elsevier editora Ltda, 2008.

HORN, Michael B.; STAKER, Heather. Blended: Usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

IBGE. PNAD: Acesso à Internet e à Televisão e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 de Maio de 2017.

KULESZA, Juliana; BIBBLO, Ulysses de Santi. A Televisão a seu Tempo: Netflix Inova Com Produção De Conteúdo para o Público Assistir como e Quando Achar Melhor, Mesmo que Seja Tudo de uma Vez. Revista de Radiodifusão, v. 7, n. 8, 2013..

LEIFER, Richard; O’CONNOR, Gina Colarelli; RICE, Mark. A implementação de inovação radical em empresas maduras. Disponível em: . Acesso em: 28 de Maio de 2017.

MOREIRA, Natália Viveiros. Couchsurfing: Uma possibilidade para a hospitalidade no mundo pós-moderno. Disponível em: < http://repositorio.uff.br/jspui/bitstream/1/2146/1/381%20%20Nat%C3%A1lia%20Viveiros%20Moreira.pdf>. Acesso em 20 de Julho de 2016.

OREIRO, José Luis. A era da turbulência. Disponível em: . Acesso em: 27 de Maio de 2017.

ROETZER, Paul. A agencia de marketing ideal: o manual de conceitos e estratégias para o século XXI. Rio de Janeiro: Alta Books, 2013.

SALDANHA, Lucas Krause. Modelos de negócios no consumo colaborativo: um estudo de múltiplos casos no Rio Grande do Sul. Disponível em: . Acesso em: 15 de Junho de 2017.

SCHUMPETER, Joseph A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Editora fundo de Cultura, 1961.

STEFFEN, Cesar. Meios digitais participativos e economia criativa: uma exploração das plataformas brasileiras de crowdfunding. Disponível em: . Acesso em: 29 de Outubro de 2017.

STR. Airbnb & Hotel Performance – An analysis of proprietary data in 13 global markets. Disponível em: http://www.str.com/research1. Acesso em: 19 de Outubro de 2017.

TEODORO, Maria Cecília; D’AFONSECA, Thais Cláudia; ANTONIETA, Maria. Disrupção, economia compartilhada e o fenômeno Uber. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/Direito/article/view/14661/11373. Acesso em: 20 de Junho de 2017.

YIN, Robert K. Estudo de caso: Planejamento e métodos. 5. Ed. Porto Alegre: Editora Bookman, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.