PERCEPÇÃO DOS CONSUMIDORES DE SUPERMERCADOS SOBRE MARCA PRÓPRIA EM MARINGÁ

Michele Ito, Lígia Boeze, Andressa Aparecida Tomazeli, Vitor Nogami

Resumo


Neste trabalho foi realizada uma análise dos consumidores de supermercados, com o objetivo de identificar sua percepção de marca própria, estudando essa importante estratégia dos varejistas, fora dos grandes polos urbanos, assim como as concepções de marca própria em relação à qualidade, conveniência, confiança e preço. O estudo abrange os supermercados que possuem marca própria em Maringá como, Angeloni, Big e Condor e os que não possuem, Bom Dia, Cidade Canção, e Super Muffato. Para tanto, foi realizada uma coleta de dados, como instrumento utilizara-se questionários semiestruturados, sendo necessária uma análise qualitativa e quantitativa. Pôde-se concluir que os consumidores de supermercados, diante dos produtos de marca própria em sua maioria não conhecem a marca ou possuem um conceito restrito, refletindo a pouca participação de produtos de marcas próprias em supermercados de Maringá. Também se identificou que o preço na concepção dos consumidores Maringaenses é o melhor atributo dos produtos de marca própria. 

 


Palavras-chave


própria; Varejo; Comportamento do Consumidor.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados – Comitê ABRAS de Marcas Próprias. Guia ABRAS de Marcas Próprias. São Paulo, 2002.

ABMAPRO. Disponível em: . Marca Própria. Acesso em: 02 Jun. 2017.

ACNIELSEN: Site. 2014. Disponível em: . Mercado de marcas próprias movimenta cerca de R$4 Bi na América Latina e Brasil representa 36%. Acesso em: 02 Jul. 2017.

ACNIELSEN: Site. 2015. Disponível em: Marcas próprias e alimentos saudáveis são duas das seis principais tendências do varejo na América Latina. Acesso em: 02 Jul. 2017.

ACNIELSEN: Site. 2017. Disponível em: . Marca própria traz destaques em básicos e premium, mesmo em um cenário de recessão. Acesso em: 02 Jul. 2017.

ALMEIDA. C. A. Construção e gestão de marcas próprias no varejo supermercadista brasileiro – um estudo de caso sobre a marca Qualitá. Paraná, 2015.

American Marketing Association. Disponível em:

. Acesso em: 15 Jul. 2017. COOPER, D. R.; SCHINDLER, P.S. Métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2003.

DAMACENA, Cláudio;UNTERLEIDER, Jorge A. Apollo. Estratégia de desenvolvimento de marcas próprias por supermercados no Brasil. REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO MACKENZIE .Volume 7, n. 3, 2006.

ENGEL, James F.; BLACKWELL, Roger D.; MINIARD, Paul W. Comportamento do consumidor. São Paulo: LTC, 2000. P.4.

ESTENDER, Antonio C. Posicionamento de Marcas Próprias no topo da pirâmide social: o caso Pão de Açúcar. XII Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais. São Paulo. Anais...São Paulo: SIMPOI, Ago. 2009.

EUROMONITOR. Global market information database. Private label in Europe: private label strategies, August 1998.

FENACOM. Disponível em: < http://fenacon.org.br/noticias/marca-propria-e-oportunidade-para-empresa-de-menor-porte-1094/>. Marca própria é oportunidade para empresa de menor porte. 2016. Acesso em: 15 Jul. 2017.

HOCH, Stephen J; BANERJI, Shumeet. When do private labels succeed? Sloan Management Review, 34 Summer. 1993.

GRACIOSO, F.; NAJJAR, E. Marketing de rede: a era do supermercado digital. São Paulo: Atlas, 1997.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

JUNIOR, Carlos A. N. V; JUNIOR, Sergio S. C. O papel da marca própria para a rede de supermercados. Revista Interação, Ano III – Número 2. São Paulo. Set. 2009.

LEPSCH, Sérgio L; SILVEIRA, José A. G. Marcas próprias em supermercados, III Seminários em Administração – FEA-USP. São Paulo. SEMEAD, Out. 1998. KANTAR. Disponível em: . Marcas próprias crescem nos lares brasileiros. 2015.

KELLER, Kevin Lane; MACHADO, Marcos. Gestão estratégica de marcas. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

KNEBEL, P. Consumidor dá as cartas e obriga varejo a inovar: Site. Jornal do Comércio, 2015. Disponível em: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=193413. Acesso em: 09 Jul. 2017. Acesso em: 15 Jul. 2017. KOTLER, Philip. ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. 12. ed. São Paulo: Sabrina Caito. 2007. p. 111-112.

KOTLER, P. Administração de marketing. 10. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2000. p. 510. MATTAR, F. N. Administração de Varejo. Brooklin - São Paulo - Brasil: Elsevier Editora Ltda., 2011. ISBN 978853523219-6. MEIR, R.

NOGAMI, Vitor. Comportamento do Consumidor – para quem quer comprar, vender e estudar. XXIX Semana do Administrador da UEM, Maringá: SEMAD, Jan. 2009.Centro de Inteligência Padrão. Disponível em: .

PARKER, Philip; KIM, Namwoon. National brands versus private labels: an empirical study of competition, advertising and collusion. European Management Journal, v. 15, n.3, p. 220-235, 1997.

PEREIRA, Inês. Marcas de supermercado. RAE – Revista de Administração de Empresas,São Paulo, v. 41, n. 1, jan./mar. 2001.

RICHARDSON, Roberto J. Pesquisa Social. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012. . Ranking Novarejo brasileiro as 300 maiores empresas no mercado nacional. Novarejo — Acervo Online, Padrão Editorial Eireli, São Paulo - SP, p. 140. Acesso: 17. Jul. 2016.

ROCHA, Thiago W. Comportamento do Consumidor: Fatores que influenciam na decisão de compras online. Brasília, 2015.

SANTOS MARCOS CORTEZ CAMPOMAR, G. L. T. Sandra Carvalho dos. Marcas próprias no varejo: evolução, estratégias e desafios. SANTA RITA DO SAPUCAÍ - MG: Revista Científica da FAI- v. 10, n.1 Diretor Prof. Aldo Ambrósio Morelli, 2010. ISBN 1677-8405.

SENHORAS, E. M. O varejo supermercadista sob perspectiva. Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, 2003.

SILVA, D. M. Produtos orgânicos: Uma análise do varejo e do consumidor nos supermercados de londrina-pr. 2003.

SILVA, L. A. Uma análise dos principais influenciadores da tomada de decisão de compra de produtos de marca própria de supermercados. 2011.

SPINELLI, Paula B; GIRALDI, Janaina M. E. Marca própria varejista: conceitos, estratégias e evolução. Congresso virtual brasileiro de administração. Santa Catarina. CONVIBRA, Out. 2004.

WEN, Tseng. Análise econômica do fenômeno das marcas próprias nos supermercados. 2004. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Administração) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.