INOVAÇÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO SETOR MOVELEIRO DE NAVIRAÍ/MS

Vanessa Pereira Reis, Sibelly Resch

Resumo


Este trabalho tem como objetivo principal identificar quais tipos de inovações (em produto, processo, marketing) são implementadas ou desenvolvidas pelas micro e pequenas empresas do setor de marcenarias em Naviraí/MS. Como objetivos secundários, realizou-se um levantamento sobre os impactos das inovações para as empresas, sobre os fatores que dificultam o desenvolvimento e/ou a implementação das inovações neste setor, sobre as principais fontes de informações, sobre a percepção das empresas sobre as fontes de recurso/apoio são utilizadas para desenvolver inovações ou atividades inovativas na empresa e sobre as redes de cooperação ou parceria. Para a realização da pesquisa, adaptou-se o questionário da Pesquisa de Inovação Tecnológica (PINTEC), resultando em 42 perguntas, abertas e fechadas. Realizou-se pesquisa de campo no mês de setembro de 2018, com dez empresas do segmento de marcenaria, instaladas no município de Naviraí/MS. As empresas têm adotado inovações incrementais, ou seja, melhorias em processos/produtos, porém, na maioria dos casos, trata-se de algo já presente no mercado. Há fraca interação das empresas com os demais componentes do sistema regional de inovação, sendo este um ponto crucial para o fortalecimento das inovações e consequentemente da competitividade do segmento.


Palavras-chave


Setor Moveleiro; Marcenarias; Inovação; Tipos de Inovação; PINTEC.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAINER, Maria Simone de Castro Pereira. Setor Moveleiro: Aspectos gerais e tendências no Brasil e na área de atuação do BNB. Caderno Setorial ETENE, ano 3, n°34, junho de 2018. Disponível em: https://www.bnb.gov.br/documents/80223/3585904/moveis_34-2018.pdf/f0e0657f-a6c2-db33-f139-04d95692453e (acesso em 26/10/2018).

BRASIL. LEI Nº 11.196, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11196compilado.htm (acesso em 15/10/2018).

BRUCHÊZ, Adriane; MOTTA, Maria Elisete Ventura da. Tríplice Hélice e Inovação no Setor Moveleiro da Serra Gaúcha. 12º Convibra – Administração, 2015. Disponível em: http://www.convibra.org/upload/paper/2015/123/2015_123_11878.pdf (acesso em 15/08/2018).

FRANDOLOSO, Marcos Antonio Leite et al. Inovação pelo design na indústria moveleira: o polo moveleiro de Lagoa Vermelha/RS. Revista LOGO, v.7, n° 2, 2018.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social- 6. ed. - São Paulo : Atlas, 2008.

IBGE. PINTEC - Pesquisa de Inovação. Disponível em: . (acesso em 29/08/2018).

MARION FILHO, Pascoal José; SONAGLIO, Cláudia Maria. A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS: A Importância da Localização e das Interações entre Empresas e Instituições. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 38, nº 2, abr-jun. 2007, p. 306-318. Disponível em: https://ren.emnuvens.com.br/ren/article/view/526 (acesso em 25/07/2018).

OECD - ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3 ed. São Paulo: FINEP. Disponível em: . (acesso em 26/08/2018).

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico (1 ed., 1934). Tradução de Maria Sílvia Possas. Coleção Os Economistas. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

SILVA, Minelle Enéas; SOUSA, Ismara Gomes; FREITAS, Lúcia Santana. Processo de Inovação: um Estudo no Setor Moveleiro de Campina Grande – PB. Revista de Administração e Inovação, v. 9, jan/mar 2012. Disponível em: . (acesso em 27/08/2018).

SPEROTTO, Fernanda Queiroz. Setor moveleiro brasileiro e gaúcho: característica, configuração e perspectiva. Ind. Econ. FEE, Porto Alegre v. 45, n. 4, p. 43-60, 2018. Disponível em: https://revistas.fee.tche.br/index.php/indicadores/article/viewFile/4144/3970 (acesso em 15/10/2018).

TIDD, Joe; BESSANT, John; Gestão da Inovação. 5º ed.. Porto Alegre: Bookman, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.