Perfil Empreendedor e de Aprendizagem Experiencial dos Acadêmicos da Universidade Federal Da Grande Dourados -MS

  • Guilherme Assunção Durigon UFGD
  • Narciso Bastos Gomes Universidade Federal da Grande Dourados- UFGD
  • Antonio Carlos Vaz Lopes UFGD
Palavras-chave: Empresa Júnior, Administração, Empreendedorismo, Aprendizagem Experiencial, Perfil Empreendedor.

Resumo

O empreendedorismo apresenta-se como um diferencial na capacidade do acadêmico após deixar a universidade criar negócios ou se inserir nas organizações que exige esse perfil. O presente estudo tem como objetivo analisar o perfil empreendedor e o de aprendizagem experiencial de estudantes do curso de Administração e de diretores de Empresas Júniores (EJs) definidos como Jovens Gestores da Universidade Federal da Grande Dourados – IFGD na cidade de Dourados, estado de Mato Grosso do Sul. O estudo é de caráter quantitativo e descritivo, realizado em uma amostragem não probabilística de estudantes. Para a coleta dos dados foram utilizados dois questionários aplicados  via web e também pessoalmente para o caso dos gestores das Ej’s, estruturados com base na  abordagem das Características Comportamentais Empreendedoras de David McClelland e a Teoria da Aprendizagem Experiencial de David Kolb.  Os resultados apontam que os estudantes possuem um perfil empreendedor predominante no conjunto “Realização” e um perfil de aprendizagem experiencial  predominante no estilo “Divergente”, perfis que dão ênfase para a prática, enquanto os jovens gestores predominaram no conjunto “Poder” e no estilo de aprendizagem “Assimilador”.

Biografia do Autor

Narciso Bastos Gomes, Universidade Federal da Grande Dourados- UFGD

Doutor em Administração.

Mestre em Administração

Graduado em Administração.

Servidor Público Federal- Professor Adjunto Ensino Superior.

Referências

DE OLIVEIRA, A. G. M. et al. Educação Empreendedora: o desenvolvimento do Empreendedorismo e Inovação Social em Instituições de Ensino Superior. Revista Administração em Diálogo RAD. Vol.18, n.1, Jan/Fev/Mar/Abr. 2016.

ETZKOWITZ, H.; SPIVACK, R. N. Networks of Innovation: Science, Technology and Development in the Triple Helix Era Technology Analysis and Strategic Management, Vol. 13 Issue 4, p507-521, December, 2001.

FILLION, L. J. Entrepreneurship as a Subject of Higher Education. Seminário: A Universidade Formando Empreendedores. Brasília, 1999.

GÜNTHER, H. Pesquisa Qualitativa versus Pesquisa Quantitativa: Esta é a questão?. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/ptp/v22n2/a10v22n2.pdf>. Acesso em; 15 nov. 2019

Kayes, C. Experiential learning and its critics: Preserving the role of experience in management education. Academy of Management Learning and Education 1(2): 137-149. 2002.

KOLB, A. Y.; KOLB, D. A. Experiential learning theory: a dynamic holistic approach to management learning, education an development. Em: ARMSTRONG, S. J.; FUKAMI, C. Handbook of management learning education and development. London: Sage Publications, 2008.

KOLB, D. A. Experiential learning: Experience as the source of learning and development. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 1984

__________. Management and the learning process. California Management Review 18.3, p. 21-31, 19. 1976.

KOLB, D. A; FRY, R. Toward an apllied theory of experiential learning. In: COOPER, C. Theories of Group Process. New York: John Wiley e Sons, 1975. Cap.3, p. 33-58. 1975.

LIMA, A. I. A. de O. Estilos de aprendizagem segundo os postulados de David Kolb: uma experiência no curso de odontologia da UNOESTE. Dissertação (Mestrado em Educação) – Departamento de Educação, Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente, São Paulo, 2007

MARION-SANTOS, A. C.; PAIXÃO, M. R. Estudo do perfil empreendedor do aluno de graduação em Administração egresso de instituições de ensino da região de Jundiaí. Revista de Tecnologia Aplicada, 2013. Disponível em < http://www.cc.faccamp.br/ojs-2.4.8-2/index.php/RTA/index%22> Acesso em: 10. mar. 2019.

MATOs, F. A Empresa Júnior no Brasil e no mundo. São Paulo: Martin Claret, 1997.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MCLEOD, S. A. Kolb - Learning Styles. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2018.

Mcclelland, D. C. The achieving society. Princeton, NJ: Van Nostrand (also, 2nd Ed. 1976: New York: Irvington), 1961.

__________. Power: the inner experience. New York, Irvington, 1975.

MCCLELLAND, D. C.; STEELE, R. S. Human motivation: a book of readings. New Jersey: General Learning Press, 1983.

MORETTO NETO, L. et al. Empresas Júnior: espaço de aprendizagem. Florianópolis, 2004

Universidade Federal da Grande Dourados. Projeto pedagógico do curso de administração. Dourados. 90 p. 2015.

PACHECO, A.; MORETTO NETO, L. A contribuição do curso de administração da Universidade Federal de Santa Catarina para o desenvolvimento de competências empreendedoras. Revista de Ciências da Administração, v. 9, n. 17, jan./abr. 2007.

RODRIGUES, W. C. Metodologia cientifica. Paracambi, RJ: FAETEC/IST, 2007.

Schein, E. Organizational Culture and Leadership. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1985.

SCHUMPETER, J. DER H. in Hartmann, H. Managers and entrepreneurs: a usefull distinction. Administrative Science Quartely, v.3, n.3, p.429-51. 1959.

__________. Capitalism, socialism and democracy. New York: Harper & Row, 1942.

SEBRAE. Empreendedorismo: Manual do Aluno. Sao Paulo, 2013.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez,2000.

SONAGLIO, A. L. B. et al. Estilos de Aprendizagem Experiencial e Aquisição de Habilidades: um Estudo com Discentes de Graduação em Administração em Instituições de Ensino Superior. Administração: Ensino e Pesquisa (RAEP), v. 14, p. 123-159. 2013.

STEELE, G. R. Understanding Economic Man. in Psychology, Rationality, and Values. American Journal of Economics and Sociology, vol. 63, N° 5, 1021-1055. 2004.

THURIK, R.; WENNEKERS, S. Entrepreneurship, small business and economic growth. Journal of Small Business and Enterprise Development, v.11, (1); 140-149. 2004.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

Publicado
2019-10-09