ONDE SOBRA "BUROCRACIA" OS EMPREENDEDORES DESAPARECEM: O que afasta novos investimentos/empreendedores de Naviraí?

  • Mauricio Hiroyuki Kubo Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Fábio da Silva Rodrigues Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Burocracia, Disfunções Burocráticas, Empreendedorismo, Desenvolvimento

Resumo

Toda organização é criada e desenvolvida dentro de um sistema burocrático estabelecido por norma, profissional especialista e hierarquia; entretanto o excesso de burocracia é denominado disfunção burocrática. Esta pesquisa tem como objetivo refletir sobre os impactos da burocracia e/ou das disfunções burocráticas no processo de implantação de novos empreendimentos em Naviraí-MS. Conhecer tal realidade é condição para compreender fatores críticos do desenvolvimento local. O referencial teórico aborda sobre burocracia, disfunções burocráticas e desenvolvimento local. Trata-se de pesquisa de natureza qualitativa, exploratória, bibliográfica, documental e com pesquisa de campo. Alguns resultados finais podem ser considerados: i) Disfunções burocráticas inibem a instalação de novos empreendimentos; ii) disfunções burocráticas afetam a abertura de novos negócios e a expansão de negócios existentes; iii) com a “excessiva burocracia” alguns negócios preferem instalar-se em cidades vizinhas; iv) com a fuga de investimento, a cidade perde tanto com a circulação monetária quanto com empregos não gerados; v) a morosidade atrapalha o crescimento, e, consequentemente, o desenvolvimento econômico e social do município. . Conclui-se que a morosidade para abertura de empresas, tem como uma das razões a disfunção burocrática

Referências

BARBIERI, José C. Desenvolvimento Sustentável Regional e Municipal: Conceitos, Problemas e Pontos de Partidas. Administração Online FECAP, v. 1, n. 4, out./nov./dez. 2000.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. Introduction: The discipline and pratice of qualitative research. In: DENZIN, N; LINCOLN, Y. The Sage Handbook of Qualitative Research, Thousand Oaks, CA: Sage, 2005.

DINIZ, C. C. Celso Furtado e o desenvolvimento regional. Nova Economia, v. 19, n. 2, mai./ago. 2009.

FALCÃO MARTINS, Humberto. Em busca de uma teoria da burocracia pública não-estatal: política e administração no terceiro setor. Rev. adm. contemp., Curitiba, v. 2, n. 3, p. 109- 128, Dec. 1998.

FARIA, J. H.; MENEGHETTI, F. K. Burocracia como organizações, poder e controle. In XXXIV Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, ANPAD, 2010

FERRO, R. F. F. C. Potencialidades de desenvolvimento local da comunidade de São Gabriel do Oeste em Termos de Ocupação. 2003. 136f. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Local, Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2003

FLICK, U. Uma Introdução à Pesquisa Qualitativa. 2. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

FURTADO, Celso. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974

JUCEMS. Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul. Estatísticas. Disponível em:

<<http://www.jucems.ms.gov.br/informacoes/estatisticas>>

MERTON, Robert K. Sociologia: Teoria e Estrutura. Tradução de Miguel Maillet. São Paulo: Mestre Jou, 1970

MOTTA, Fernando C. Prestes; BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Introdução à Organização Burocrática. 2 ed. São Paulo: Pioneira Thomsom Learning, 2004.

MOTTA, F.C.P.; VASCONCELOS, I.F.G. Teoria Geral da Administração. Thompson, 2006.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 21. ed. São Paulo:Cortez, 2000.

LLORENS, F. A. Desenvolvimento econômico local: caminhos e desafios para a construção de uma nova agenda política. Rio de Janeiro: BNDES, 2001.

LOPES, A. S. Desenvolvimento Regional: Problemática, Teoria, Modelos. Lisboa: F.C.G., 1995.

LAKATOS, Eva. M.; MARCONI, Maria D. A. Metodologia Científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa – características, usos e possibilidades. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 1-5, 1996.

OLIVEIRA, G. B. Uma discussão sobre o conceito de desenvolvimento. Revista FAE, Curitiba, v. 5, n. 2, p. 37-48, 2002.

PERROUX, M.L.S.; SILVA, P.N.; SILVA, L.P.; CALDAS, J. Modernização e Burocratização: Recuperando as Bases da Burocracia para Modernizar o Setor Público. In XXXVIII Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, ANPAD, 2014

PERROUX, F. A Economia do Século XX. Lisboa: Livraria Morais Editora, 1967.

SEBRAE. Anuário do Trabalho nos Pequenos Negócios, 2015 SEBRAE. Disponível em:

<<https://m.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/anuário%20do%20trabalho%202015.pdf>>.

SIEDENBERG, D. A gestão do desenvolvimento: ações e estratégias entre a realidade e a utopia. In: BECKER, D.; WITTMANN, M. Desenvolvimento regional: abordagens interdisciplinares. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2008.

SILVA, T. D. Desburocratização do processo de registro e legalização de empresas: impactos causados com a implementação da REDESIM conforme a lei n. 11.598, de 3 de dezembro de 2007. Monografia. CAICÓ. UFRN. 2015.

SWINBURN, G.; GOGA, S.; MURPHY, F. Desenvolvimento econômico local: um manual para a implementação de estratégias para o desenvolvimento econômico local e planos de ação. 2006. Banco Mundial. Disponível em: Acesso em: 17 dez. 2017.

WEBER, M. Ensaios de sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1982.

________O que é a burocracia. Brasília: CFA, 2014. Disponível em: http://cfa.org.br/wp-content/uploads/2018/02/40livro_burocracia_diagramacao.pdf

Acesso em: 09/08/2019.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1998. 1a. edição: 1997. 90p.

Publicado
2019-10-07