JUVENTUDE BRASILEIRA: o sujeito-estudante na pós-modernidade

  • Joselma Barros Reis Instituto Federal de Mato Grosso do Sul-Campus Naviraí
  • Josélia Barros Reis Moreira Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia
  • Pedro Ramão Rojas Coronel Instituto Federal de Mato Grosso do Sul-Campus Naviraí
  • Paula Morais Gomes Freitas Instituto Federal de Mato Grosso do Sul-Campus Naviraí
Palavras-chave: Juventude, Educação, Sociedade

Resumo

O texto a seguir apresenta um diálogo de ideias e dados acerca das maneiras de ser e de estar, do jovem brasileiro, no mundo contemporâneo e os consequentes reflexos no contexto educacional. Pensando-o, principalmente, sob a ótica de Zygmunt Bauman e Demerval Saviani, o intuito é levantar uma reflexão no que diz respeito a esse jovem como sujeito-estudante. O diálogo com esses pensadores aponta novos caminhos a fim de refletir o que vem sendo a juventude contemporânea. Inicialmente, apresentando um breve panorama de alguns trabalhos já realizados em torno da problemática apresentada, a pesquisa se encontra em fase de análise desses estudos considerados mais relevantes.  Espera-se que os resultados obtidos possam contribuir para o desenvolvimento de novas ações e práticas pedagógicas, e para novas reflexões acerca da juventude hodierna.

Biografia do Autor

Joselma Barros Reis, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul-Campus Naviraí
É graduada e mestre em Letras, pela PUC-GO. Possui também habilitação em Pedagogia e pós-graduação em Língua Portuguesa e Educação Inclusiva. Atuou como Professora e Tutora Educacional na rede Estadual de Ensino do Estado de Goiás. Atualmente, é professora EBTT do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul, atuando no Ensino Básico e Superior (graduação e pós-graduação) e na coordenação do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi) - campus Naviraí. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, Espanhola e Literaturas Correspondentes.
Josélia Barros Reis Moreira, Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia
Possui graduação em PEDAGOGIA e é docente efetiva da Rede Muncicipal de Ensino de Goiânia. Acadêmica de Psicologia  e pós-graduada em Educação Inclusiva e Métodos e Técnicas de Ensino, já atuou como coordenadora pedagógica e também na coordenação de projetos na Rede Municipal.  Atualmente é gestora da Escola Municipal Professora Antônia Maranhão Do Amaral.
Pedro Ramão Rojas Coronel, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul-Campus Naviraí
Possui graduação em História pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul(2007) e especialização em LIBRAS pela Faculdade de Selvíria(2008). Atualmente é Professor do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de História.
Paula Morais Gomes Freitas, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul-Campus Naviraí
Possui graduação em Licenciatura em Matemática - Faculdades Integradas Regionais de Avaré (2013); Especialização em Estatística (Ênfase em Educação) pela UNICESPI em 2014 e Mestrado Profissional em Matemática pela UFSCAR (Sorocaba) em 2017. Atualmente é professora de matemática - EBTT do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Matemática.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. O mal estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro, Ed. Jorge Zahar, 1998.

BUNGENSTAB, G. C. Zygmunt Bauman: da juventude sólida para a juventude líquida. Cadernos Zygmunt Bauman, v. 4, n. 8, p. 47 – 68. 2014.

COSTA, M. V. Quem são? Que querem? Que fazer com eles? Eis que chegam às nossas escolas as crianças e jovens do século XXI. In: MOREIRA, A. F.; ALVES, M. P.; GARCIA, R. L. (orgs.). Currículo, cotidiano e tecnologias. Araraquara: Junqueira & Marin, 2006. p.93 – 110.

GREEN, B; BIGUM, C. Alienígenas na sala de aula. In: SILVA, T. T. (Org.). Alienígenas na sala de aula: Uma introdução aos estudos culturais em educação. 5ª ed. Petrópolis: Vozes, 1995. p. 208 – 243.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

O PERFIL DO JOVEM BRASILEIRO DA GERAÇÃO Y. Fantástico. Rio de Janeiro: GLOBO, 01 de novembro de 2015. Programa de TV.

PUC-RS. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Núcleo de Tendências e Pesquisa da Escola de Comunicação, Arte e Design. Disponível em: <http://projetos.eusoufamecos.net/espacoexperiencia/wp-content/uploads/2017/01/projeto-18-34-edicao-futuro-020916.pdf>. Acesso em: 02 mar. 2019.

SAVIANI, D. Educação em diálogo. Campinas: Autores Associados, p. 119-44. 2011.

SIBILIA, Paula. A escola no mundo hiperconectado: redes em vez de muros? Revista de Educação e Pedagogia, v. 24, n. 62, p. 135 – 144. 2012.

XAVIER, M. L. M. F. Os incluídos na escola: o disciplinamento nos processos emancipatórios. 2003. Tese (Doutorado em Educação), Programa de Pós-Graduação em Educação – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Publicado
2019-10-15