GAMIFICAÇÃO EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA: uma análise de sua aceitação e aplicabilidade

  • Álvaro Nobuyoshi Kawasoko Universidade Federal da Grande Dourados
  • Fábio Mascarenhas Dutra UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
  • Marcos Antônio Silva Universidade Federal da Grande Dourados
  • Maria Isabel Schierholt Lima Centro Universitário da Grande Dourados
Palavras-chave: Jogos, engajamento, fidelização, setor de serviços.

Resumo

O termo gamificação deriva do inglês gamification e até o presente momento não possui tradução literal em português. Tem origem nos estudos sobre jogos eletrônicos com foco na forte influência que exerce no comportamento humano.  Tem sido amplamente difundido no meio organizacional como método de se obter vantagem competitiva baseada em sua plataforma que contém elementos como competitividade, código de conduta, metas e objetivos muito similares ao modus operandi do comércio. Este trabalho é um estudo de caso realizado em uma academia de ginástica localizada na cidade de Dourados-MS, com o intuito de avaliar a possibilidade de utilizar uma abordagem com base nos estudos sobre gamificação para criar soluções ao problema da alta rotatividade de clientes observada pelo segmento. A pesquisa segue o modelo quanti-qualitativa e contou inicialmente com levantamentos bibliográficos, com base em materiais já publicados, artigos científicos, livros, plataformas digitais e também foi realizada uma entrevista com o proprietário da academia para melhor compreensão do ambiente e da problemática. O levantamento de dados foi realizado no período de novembro de 2018 e a amostra contou 106 alunos de ambos os sexos que já frequentam a academia foco do estudo. A análise se deu de forma descritiva e exploratória e gerou resultados favoráveis quanto à possibilidade de aplicar uma abordagem gamificada para fins de fidelização e engajamento dos alunos.

Biografia do Autor

Álvaro Nobuyoshi Kawasoko, Universidade Federal da Grande Dourados
Formado em Administração de Empresas pela FACE/UFGD.
Fábio Mascarenhas Dutra, UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
Porfessor Permanente do curso de Administração da FACE/UFGD.
Marcos Antônio Silva, Universidade Federal da Grande Dourados
Tecnico Administrativo na FACE/UFGD e Mestrando em Agronegócios pela UFGD.
Maria Isabel Schierholt Lima, Centro Universitário da Grande Dourados
Professora no Centro Universitário da Grande Doruados e Mestranda em Agronegócios pela UFGD.

Referências

ACAD, site oficial: http://www.acadbrasil.com.br/mercado.html acessado 07/05/2018.

ALBINO, J. P., GRASSI, N. B., BITTENCOURT, P. A. S., & VALENTE, V. C. P. N. Gamification em ambientes virtuais de aprendizagem no ensino superior presencial. CIET: EnPED, 2018.

ASSUMPÇÃO, Luís Otávio Teles; MORAES, Pedro Paulo de; FONTOURA, Humberto. Relação entre atividade física, saúde e qualidade de vida. Notas Introdutórias. Revista Digital. Buenos Aires, Año 8, n 52 - Septiembre de 2002.

BOLHM, I., LEIMEISTER, J. Gamification. Business & Information Systems Engineering, 5(4), 275-278. 2013.

CARVALHO, Tales de et al. Posição oficial da Sociedade Brasileira de Medicinado Esporte: atividade física e saúde. Rev Bras Med Esporte, v. 2, n. 4, Out/Dez, 1996.

CASOTTI, Letícia et al. O Tempo da Beleza: Consumo e Comportamento Feminino, Novos Olhares. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2008. Disponível em: http://books.google.com.br/books?id=DM_4jOQR2EC&printsec=frontcover&dq=.+O+Tempo+da+Beleza:+Consumo+e+Comportamento+Feminino,+Novos+Olhares. Acessado em 14/05/2018.

CHURCHILL JR., Gilbert A.; PETER, J. Paul. Marketing: criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva, 2000. 626 p.

DALE, S. (2014). Gamification: Making work fun, or making fun of work? Business Information Review, 31(2), 82–90. https://doi.org/10.1177/0266382114538350

FARDO, M. L. (2013, Agosto 5). A Gamificação Aplicada em Ambientes de Aprendizagem Renote. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/41629

DARIDO, Suraya Cristina; SOUZA JUNIOR, Osmar Moreira de. Para ensinar educação física: possibilidades de intervenção na escola. São Paulo: Papirus, 2007. Disponível em: http://books.google.com.br/books?id=Ko1ZNBVi_2wC&printsec=frontcover&dq=Para+ensinar+educa%C3%A7%C3%A3o+f%C3%ADsica:+possibilidades+de+interven%

C3%A7%C3%A3o+na+escola. Acessado em 14/05/2018.

DIAS, Sérgio Robertos Org. Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva, 2003

DRUCKER, Peter Ferdinand. O melhor de Peter Drucker: obra completa. São Paulo: Nobel, 2002.

FREITAS, C. M. S. M., SANTIAGO, M. D. S., VIANA, A. T., LEÃO, A. C., & FREYRE, C. Aspectos motivacionais que influenciam a adesão e manutenção de idosos a programas de exercícios físicos. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum, v. 9, n. 1, p. 92-100, 2007.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GORSKI, Ângela Maria. Motivação para a prática de atividade física em academias de ginástica. Curitiba: 2012.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. Tradução: João Paulo Monteiro. São Paulo: Editora Perspectiva, 2000.

HUOTARI, K., HAMARI, J., Defering gamification: a service marketing marketing perspective. In Proceeding of the 16th International academic Mindtrek Conference, October 3-5, Tampere, Finland, ACM, pp. 17-22, 2012.

JANUARIO, Nuno; COLAÇO, Carlos; ROSADO, Antonio; FERREIRA, Vitor; GIL, Rosimeiri. Motivação para a prática desportiva nos alunos do ensino básico e secundário: Influência do género, idade e nível de escolaridade.. Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, Portugal: 2012.

KOTLER; Philip; ARMSTRONG, Gary. Administração de Marketing. Análise, Alanejamento, Implementação, e Controle. 5 ed. São Paulo: Atlas 1998.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006. 750 p

LAS CASAS, Alexandre L. Marketing - Conceitos, exercícios, casos. 7ºEdição. São Paulo: Editora Atlas. 2005

LEVITT, T. The marketing imagination. New York: The Free Press. 1990.

MASLOW, A.H. A theory of Human Motivation. Re-impressão da obra original de 1943 em 2013. Paperback, 2013.

MATTAR, Fauze Najib. Pesquisa de marketing: edição compacta. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MONTENEGRO, Eduardo et al. Imaginário e Representações sociais: corpo, educação física, cultura e sociedade. Maceió: Edufal, 2007. Disponível em:

http://books.google.com.br/books?id=dnTF85ZQx5MC&printsec=frontcover&dq=Imaginário+e+Representações+sociais:+corpo,+educação+física,+cultura+e+sociedade. Acessado em 14/05/2018.

NAVARRO, Gabrielle. Gamificação: A transformação do conceito do termo jogo no contexto da pós-modernidade. Biblioteca Latino Americana de Cultura e Comunicação, v.l n. l, 2013.

RICHERS, Raimar (2000). Marketing: uma visão brasileira. ed. Negócio: São Paulo.

SABA, Fabio. Aderência à prática do exercício físico em academias. 1 ed. São Paulo: Manole, 2001. Disponível em: http://books.google.com.br/books?id=bBkgx28CwToC&printsec=frontcover&dq=aderência+à+prática+do+exercicio+fisico+em+academias. Acessado 07/05/2018.

SABA, Fabio. Mexa-se: atividade física, saúde e bem-estar. São Paulo: Takano: 2003. Disponível em: http://books.google.com.br/books?id=wcVZ2kfcdRgC&printsec=frontcover&dq=Mexa-se:+atividade+física,+saúde+e+bem-estar. Acesso em 14/05/2018.

SANDHUSEN, Richard L. Marketing Básico. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

SIMMONS, Rochelle. Estresse: Esclarecendo suas dúvidas. São Paulo: Agora,

, p.14. Disponível em:

http://books.google.com.br/books?id=1Jb8uINzUHEC&pg=PA3&dq=Estresse:+Esclarecendo+suas+dúvidas. Acesso em 14/05/2018.

SOLOMON, Michael R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 9. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011. 680 p.

TOSCANO, José Jean de Oliveira. Academia de ginástica: um serviço de saúde latente. Revista Brasileira Ciência e Movimento. Brasília, v.9, n.1, janeiro 2001.

VIANNA, Y. et al. Gamificartion, Inc: como reinventar empresas a partir de

jogos. Rio de Janeiro: MJV Press, 2013.

WOOLFOLK, Anita E. Psicologia da Educação. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Publicado
2019-09-04