A CULTURA ORGANIZACIONAL E O CONTROLE GERENCIAL EM AGÊNCIAS DE TURISMO EM CAMPO GRANDE – MS

  • Elisangela Ribeiro Felizardo de Souza Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Maurilio Barbosa de Oliveira da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Milton Augusto Pasquotto Mariani Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Cultura Organizacional, Turismo, Controle Gerencial

Resumo

Este estudo tem por objetivo analisar a influência da Cultura Organizacional como fator contingencial nos processos de controle gerencial de agências de turismo de Campo Grande - MS. Para este processo realizou-se uma pesquisa qualitativa através de entrevistas semiestruturadas tendo como estratégia de pesquisa um estudo de casos múltiplos. Observou-se através dos resultados que a cultura organizacional das empresas tem papel significativo em seu processo de gestão, direcionando a organização na escolha de seus artefatos de controle.

Biografia do Autor

Elisangela Ribeiro Felizardo de Souza, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Contadora e mestranda em Ciências Contábeis pela UFMS
Maurilio Barbosa de Oliveira da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Mestrando em Administração pela UFMS
Milton Augusto Pasquotto Mariani, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Doutor em Administração pela USP

Referências

ANGELO, Elis Regina Barbosa. Métodos e técnicas de pesquisa em turismo / Elis Regina Barbosa Angelo. - Rio de Janeiro : Fundação CECIERJ, 2012.

ANTHONY, R. N., 1965. Sistemas de Planejamento e Controle: Framework for Analysis, Boston, Division de Pesquisa, Pós-Graduação em Administração de Empresas, Universidade de Harvard.

ATKINSON, Anthony A. et al. tradução André Olímpio Mosselman Du Chenoy Castro. Revisão técnica Rubens Famá. Contabilidade Gerencial. São Paulo: Atlas, 2000.

BRANDT, Valnir Alberto. A contabilidade gerencial e sua relação com a teoria institucional e da teoria da contingência. Revista Ciências Sociais em Perspectiva, v. 9, n. 17, 2010.

CAMARGO, Brigido Vizeu; JUSTO, Ana Maria. IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Revista Temas em Psicologia , v. 21, n. 2, p. 513-518, 2013.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto/ John W. Creswell; tradução Magda Lopes. - 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CROZATTI, Jaime. Modelo de gestão e cultura organizacional: conceitos e interações. Caderno de estudos, n. 18, p. 01-20, 1998.

DA SILVA FAIA, Valter; MILAN, Joatan Bitencourt; GOMES, Josir Simeone. Avaliação do sistema de controle gerencial de uma empresa do setor químico: um estudo de caso. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 10, n. 19, p. 97-118, 2013.

DE OLIVEIRA, Everaldo Leonel; BEUREN, Ilse Maria. Adequação dos controles de gestão às contingências ambientais em empresa familiar do ramo de papel e celulose. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 14, n. 1, p. 33-49, 2009.

DE PAULA, Simone dos Reis. O ciclo de vida das microempresas e empresas de pequeno porte no Brasil. Congresso Internacional de Administração. Ponta Grossa/PR, 20 a 24/09/2010.

DIAS, Reinaldo. Sociologia nas organizações. São Paulo: Atlas, 2008.

FLEURY, Maria Tereza Leme et al. O desvendar a cultura de uma organização: uma discussão metodológica. Cultura e poder nas organizações, v. 2, p. 15-27, 1996.

FREITAS, AB de. Traços brasileiros para uma análise organizacional. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, p. 38-54, 1997

FREZATTI, F., Rocha, W., Nascimento A. R. & Junqueira, E. (2009). Controle Gerencial: Uma Abordagem da Contabilidade Gerencial no Contexto Econômico, Comportamental e Sociológico (1ª. ed.). São Paulo: Atlas.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC Editora,1989.

HOFSTEDE, G. H. Cultures and organizations: software of the mind. New York: McGraw-Hill, 1991.

IUDÍCIBUS, Sérgio. Teoria da contabilidade. 6. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

JOHAN, Silvio Luiz. Gestão da Cultura Corporativa. São Paulo: Saraiva, 2004.

LOPEZ RUIZ, Osvaldo Javier et al. O ethos dos executivos das transnacionais e o espírito do capitalismo. 2004.

METZ, Jean; MONARD, Maria Carolina. Clustering hierárquico: uma metodologia para auxiliar na interpretaçao dos clusters. 2009.

MONTANER MONTEJANO, Jordi. Estrutura do mercado turístico/ Jordi Montaner Montejano; Tradução de Andrea Favano. 2 ed. São Paulo: Roca, 2001.

MORGAN, Gareth, 1943 - Imagens da organização: edição executiva/Gareth Morgan; tradução Geni G. Goldschmidt. - 2. ed. - 4a reimpressão - São Paulo: Atlas, 2002.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO TURISMO / Introdução Ao Turismo – Direção e redação Amparo Sancho; traduzido por Dolores Martin Rodriguez Corner – São Paulo; Roca, 2001.

PELEIAS, Ivam Ricardo. Controladoria: gestão eficaz utilizando padrões. Saraiva, 2002.

RICHARDSON, Roberto Jarry; PERES, José Augusto. Pesquisa social: métodos e técnicas. Atlas, 1985. Rio de Janeiro: Campus.

ROBBINS, Stephen P. Administración. Pearson educación, 2005.

SCHEIN, Edgar H. Cultura Organizacional e liderança; tradução Ailton Bomfim Brandao; revisão técnica Humberto Mariotti. São Paulo: Atlas, 2009.

SCHEIN, Edgar H. Consultoria de procedimentos: seu papel no desenvolvimento organizacional. E. Blucher, 1975.

SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae, 2017 Panorama das Agências de Viagens e Operadores Turísticos no Brasil

SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae, Sobrevivência das empresas no Brasil, 2016.

SOARES SILVA, Anderson; PIMENTEL DUARTE DA FONSECA, Ana Carolina. A Cultura Organizacional como Mecanismo de Controle: o caso da adoção do contrato de gestão na Marinha do Brasil. Contabilidade Vista & Revista, v. 18, n. 3, 2007. Sociologia e Administração. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

Soutes, Dione Olesczuk Uma investigação do uso de artefatos da contabilidade gerencial por empresas brasileiras / Dione Olesczuk Soutes.– São Paulo, 2006.116 p.

STONER, J. A. F.; FREEMAN, R. E. Administração. 5 ed. Rio de Janeiro: Prentice-Hall do Universidade de São Paulo, 1985.

TOMELIN, Carlos Alberto. Mercado de agências de viagens e turismo: como competir diante das novas tecnologias. Aleph, 2001.

VANNI, Laurent. Coocorrências específicas e representações gráficas: o "novo" tema do programa Hyperbase. Texto Digital, v. 13, n. 1, p. 31-46, 2017.

Yin Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2a ed. Porto Alegre: Bookman; 2001.

YIN, Robert K. – Estudo de caso: planejamento e métodos/ Robert K. Yin; tradução Ana Thorell; revisão técnica Claudio Damacena. -. Ed. – Porto Alegre: Bookman, 2010

Publicado
2019-10-09
Seção
Artigo completo - Gestão de organizações públicas, privadas e do terceiro setor