Viabilidade econômica de produção de alface no munícipio de Naviraí- MS

  • Marcelo Barcelo Gomes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul- campus Naviraí
  • Leucivaldo Carneiro Moarais Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul- campus Naviraí
  • Daniel Zimmeman Mesquita Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul- campus Naviraí
Palavras-chave: custo de produção, Lactuca sativa, mercado.

Resumo

O agronegócio brasileiro tem uma grande importância para a balança comercial brasileira, a qual é sustentada por grandes empresários rurais e por pequenos produtores. O objetivo com este estudo foi avaliar a viabilidade econômica da produção de alface no município de Naviraí. Foram avaliados os dados operacionais: irrigação, preparo de solo, preparo dos canteiros, plantio e colheita e de consumo: mudas de alface, esterco, calcário, mão de obra para implantação e manutenção dos canteiros, resíduos para cobertura, embalagem de comercialização e arrendamento na implantação de uma área de 10 m² cultivada com alface na área experimental do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Campus Naviraí. Foram feitas pesquisas de preços de mercado dos itens que compõem os custos fixos e variáveis com produtores da região de Naviraí – MS.  O estudo mostrou viabilidade no negócio, o qual apresentou um custo/benefício de R$ 3,85 para cada real investido.

Biografia do Autor

Marcelo Barcelo Gomes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul- campus Naviraí
Coordenação de Recursos Naturais. Professor do curso e Agronomia e Técnico em Agricultura.

Referências

ALENCAR, T. A.; TAVARES, A. T.; CHAVES, P. P. N.; FERREIRA, T. A.; NASCIMENTO, I. R. Efeito de intervalos de aplicação de urina bovina na produção de alface em cultivo protegido. Revista Verde. Mossoró, v.7, n.3, p. 53-67, 2012.

BOARETTO LC. 2005. Viabilidade econômica da produção de alface em quatro sistemas tecnológicos: campo aberto, túnel baixo, estufa e hidropônico. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Curitiba: UFPR. 68f.

BRUNI, A. L. & FAMÁ, R. Gestão de custos e formação de preços: com aplicações na calculadora HP 12C e Excel. 3ª Edição. São Paulo: Atlas, 2004.

CARVALHO, J. B.; SABBAG, O. J. Análise de eficiência da produção de alface no noroeste de São Paulo. Revista Agro@mbiente On-line, v. 9, n. 2, p. 152-160, 2015.

COSTA, C. P.; SALA, F. C. A evolução da alfacicultura brasileira. Horticultura Brasileira, Brasília, DF, v. 23, n. 1, 2005.

DONADELLI, A.; KANO, C.; FERNANDES JUNIOR, F. Estudo de caso: Análise econômica entre o custo de produção de morango orgânico e convencional. Pesquisa & Tecnologia, São Paulo, v.9, n.2, Jul-Dez 2012.

FERNANDES, A. A.; MARTINEZ, H. E. P.; PEREIRA, P. R. G.; FONSECA, M. C. M. Produtividade, acúmulo de nitrato e estado nutricional de cultivares de alface em hidropônia, em função de fontes de nutrientes. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 2, p. 195-200, 2002.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 2ª ed., UFV, 2003.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e

comercialização de hortaliças. 3. ed. Viçosa, MG: Editora UFV, 2008. 421 p.

GRANGEIRO, C. L. et al. Acúmulo de nutrientes por três cultivares de alface cultivadas em

condições do Semi-Árido. Horticultura Brasileira, Brasília, DF, v. 24, n. 2, p. 190-194, 2006.

HENS, G.P.; SUINAGA, R. Tipos de alface cultivados no Brasil. Brasília: Embrapa Hortaliças, 2009. 7 p. (Embrapa Hortaliças. Comunicado Técnico, 75).

KHATOUNIAN, C. A. A sustentabilidade e o cultivo de hortaliças. Horticultura Brasileira, v. 15, p. 199-205, 1997. Suplemento.

Lima O.O. Gestão de riscos na Agricultura Orgânica. In: 1º Simpósio Internacional em Gestão Ambiental e Saúde, Santo Amaro. Disponível em: http://planetaorganico.com.br/site/index.php/gestao-de-riscos-na-agricultura-organica/. Acesso em: 12 de maio de 2019.

MAPA- Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Decreto Nº 6.323, de 27 de Dezembro de 2007. Lei dos Orgânicos.

MIGUEL, F.B.; GRIZOTTO, R.K.; FURLANETO, F.P.B. Custo de produção de alface em sistema de cultivo orgânico. Pesquisa & Tecnologia, São Paulo, v.7, n.2, p.6, 2010.

REIS, R. P. Fundamentos de economia aplicada. Lavras: UFLA/FAEPE, 2002. 95p.

SANCHÉZ, L. F. R. La fertirrigacion de la letchuga. México: Mundi Prensa, 2008. 260 p.

SANTOS OS (Org.). 2012. Cultivo hidropônico. Santa Maria: UFSM. 264p.

SILVA, I. C.; JESUS, T. F. C.; & PINHEIRO, T. A importância da gestão de custos na elaboração do preço de venda. Colloquium Humanarum, Presidente Prudente, v. 10, n. Especial, jul/dez, 2013.

SOUZA, E.G.F. et al. Economic evaluation of lettuce fertilized with biomass of Calotropis procera in two growing seasons. Revista Caatinga, Mossoró, v.32, n.1, p 27-40, 2019.

SOUZA, J.L.; GARCIA, R.D.C. Custos e rentabilidades na produção de hortaliças orgânicas e convencionais no estado do espírito santo. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável (RBAS), v.3, n.1, p. 11-24, 2013.

VILELA, N. J.; MACEDO, M. M. C. Fluxo de poder no agronegócio: o caso das hortaliças. Horticultura Brasileira, v. 18, n. 02, p. 88-94, 2000.

ZÁRATE, N.A.H. Produção agroeconômica de três variedades de alface: cultivo com e sem amontoa. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 4, p. 646-653, out-dez, 2010.

Publicado
2019-10-07