Agricultura e inovação: estudo sobre a viabilidade de uso do “pó de rocha” em sistemas de produção agrícola

  • Carlos Alberto Dettmer Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul
  • Urbano Gomes Pinto de Abreu Embrapa Universidade Católica Dom Bosco/UCDB, Campo Grande, MS
  • Denilson de Oliveira Guilherme Universidade Católica Dom Bosco/UCDB, Campo Grande, MS
  • Tatiana Lagemann Dettmer Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, campus Naviraí.
  • Daniel Mol Ad Agro soluções agrícolas
  • Matheus Henrique da Rocha Santos Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, campus Naviraí.
Palavras-chave: Pó de rocha, sustentabilidade, inovação agrícola

Resumo

O uso dos chamados remineralizadores de solo, „pó de rocha‟ (rochagem / “rocks-for-crops”), é uma técnica que vem se expandindo com o passar dos anos. O trabalho visa observar o comportamento das culturas anuais de soja e milho durante três safras consecutivas, utilizando pó de rocha (remineralizador), como fonte principal da adubação verificando viabilidade econômica e técnica de uso da técnica. O projeto está sendo conduzido na Fazenda Campanário município de Itaquiraí, estado de Mato Grosso do Sul, Brasil, a partir da safra de soja 2018/2019. São três tratamentos sendo T1, utilizando adubo químico solúvel na base de plantio, T2 e T3 utilizando 12 e 6 toneladas de pó de rocha de origem basáltica respectivamente, 30 dias após o plantio. O acompanhamento da área para tomada dos dados e observações é semanal, com visitas in loco, tendo maior frequência a partir do período de implantação da cultura até sua colheita. Foram coletadas informações como: datas de plantio, emergência e colheita da cultura Tipos de manejos efetuados para o controle das pragas, doenças e plantas invasoras. A coleta do solo para análise é realizada depois da retirada de cada cultura. Análises foliares são realizadas durante o desenvolvimento da cultura.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Dettmer, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul

Professor EBTT - Área administração.

Coordenador Tecnoif (Incubadora de Empresas do IFMS) Unidade Naviraí.

Urbano Gomes Pinto de Abreu, Embrapa Universidade Católica Dom Bosco/UCDB, Campo Grande, MS
Pesquisador/Professor
Denilson de Oliveira Guilherme, Universidade Católica Dom Bosco/UCDB, Campo Grande, MS
Professor/pesquisador
Tatiana Lagemann Dettmer, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, campus Naviraí.
Professora
Daniel Mol, Ad Agro soluções agrícolas

Engº Agronomo

Profissional Liberal

Matheus Henrique da Rocha Santos, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, campus Naviraí.
Estudante

Referências

BRANDEMBURG, A. et. al. Agricultores Ecológicos e o Ambiente Rural: Visões Interdisciplinares. 1 ed. São Paulo. Annablume, 2012.

BURGER, A. Agricultura brasileira e reforma agrária: uma visão macroeconômica. Guaíba: Rio Grande do Sul. Ed. Agropecuária, 1999. 74p.

Escosteguy, P.; Klamt, E. Basalto moído como fonte de nutriente. Revista Brasileira de Ciência do Solo. v.22, p.1-20. 1998.

GERHARDT, T. E. SILVEIRA. D. T. Métodos de Pesquisa. Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e pelo Curso de Graduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. – Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2009. 120p.

CASTRO, C. N. Agropecuária na Região Centro Oeste: Limitações ao desenvolvimento e desafios futuros. In IPEA 2014; textos para discussão. IPEA, Rio de Janeiro, 2014.

Lapido-Loureiro, F. E. V.; Melamed, R. Figueiredo Neto, J. FERTILIZANTES agroindústria & sustentabilidade. CETEM, Rio de Janeiro, 2008.

LOPES, A. S.; GUILHERME, L. R. G. G. Interpretação de análise do solo: Conceitos e aplicações. São Paulo, SP: Anda, 2004. 50 p. (Anda. Boletim Técnico, 2). Disponível

em:<http://www.anda.org.br/multimidia/boletim_02.pdf>. Acesso em 05 ago. 2017.

LOPES, M. A. Escolhas estratégicas para o agronegócio brasileiro. In Revista Política Agrícola. Ano XXVI, n.1. Jan-Março. 2017. Brasília, DF.

MACHADO, L. C. P. MACHADO FILHO, L. C. P. Dialética da Agroecologia. 1 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2014.

MAPA - Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Lei Nº 12.890, de 10 de dezembro de 2013. Altera a Lei n o 6.894, de 16 de dezembro de 1980, para incluir os remineralizadores como uma categoria de insumo destinado à agricultura, e dá outras providências.

Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011- 2014/2013/Lei/L12890.htm>. Acesso em 02 de ago. de 2017.

PRADO, R. B; FORMIGA-JOHNSSON, R.M.; MARQUES, G. Uso e gestão da água:

desafios para a sustentabilidade no meio rural. Boletim Informativo Sociedade Brasileira de Ciência do Solo / Sociedade Brasileira de Ciência do Solo – vol. 43, n.2, maio – agosto 2017.

REIS, R. P. Fundamentos de economia aplicada. Lavras: UFLA/FAEPE, 2007. SILVA, J. G. Tecnologia e Agricultura Familiar. 2 ed. Porto Alegre: UFRGS, 2003.

Publicado
2019-10-11
Seção
Relato de prática - Gestão de organizações públicas, privadas e do terceiro setor