Atributos de Resiliência que determinam o desempenho da Pós-Graduação Strictu Sensu na ESAN/UFMS

  • José Alexandro dos Santos UFMS/ESAN
  • Ryan Caldas Quevedo Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Márcia Maria dos Santos Bortolocci Espejo
Palavras-chave: Valores e ações, Determinação, Notas, Dificuldades

Resumo

O estudo busca fornecer uma alternativa aos modelos tradicionais de estudos sobre o desempenho acadêmico, a partir da realização de questionários que permite o acadêmico pontuar suas percepções sobre o seu desempenho acadêmico, sob as dificuldades expostas dentro um ambiente universitário, nos programas de pós-graduação strictu sensu na ESAN/UFMS. Buscando um meio de conseguir refletir aspectos da resiliência nos discentes e na visão de possibilitar uma análise mais profundada na formação intelectual e profissional.

Biografia do Autor

Ryan Caldas Quevedo, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal UNIDERP - Anhanguera (2016), Cursando Especialização pelo Instituto de Pós Graduação e Graduação IPOG - MBA em Contabilidade & Direito Tributário (2018), Cursando Mestrado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) - em Ciências Contábeis (2021). Atualmente é Membro Efetivo da Comissão de Jovens Lideranças Contábeis do Conselho Regional de Contabilidade do Mato Grosso do Sul, Instrutor do Curso de Formação Técnica em Agronegócio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - SENAR -MS e Consultor nas areas de contábilidade, fiscal e tributária. Tem experiência na área de Administração, Financeira, com ênfase em Ciências Contábeis.

Referências

CARDOSO, T. Construção e validação de uma escala dos atributos pessoais da resiliência. Dissertação (Mestrado), Universidade Metodista de São Paulo, São Paulo, 2013.

CORBUCCI, P. R. 2007. Desafios da educação superior e desenvolvimento no Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

FERREIRA, M. C., ASSMAR, E. M. L., OMAR, A. G., DELGADO, H. H., GONZÁLEZ, A. T., SOUZA, M. A., & CISNE, M. C. F. (2002). Atribuição de causalidade ao sucesso e fracasso escolar: um estudo transcultural Brasil-Argentina-México. Psicologia: Reflexão e Crítica, 15(3), 515-527.

GLEWWE, P. W., E. A. HANUSHEK, S. D. HUMPAGE, and R. RAVINA. 2011. School resources and educational outcomes in developing countries: a review of the literature from 1990 to 2010 [Working Paper Nº WP12-1]. National Bureau of Economic Research, St. Paul, MN.

HANUSHEK, E. A. Education production functions: developed country evidence. In International. Encyclopedia of Education, edited by E. B. PETERSON and B. MCGAW. Oxford: Elsevier. 2010.

LUTHAR, S. S.; CUSHING, G. Measurement issues in the empirical study of resilience: an overview. In: GLANTZ, M.; JOHNSON, J. (Ed.). Resilience and development: positive life adaptations. Plenum Publishers, New York, p.129-160, 1999.

MIRANDA, G. J.; LEMOS, K. C. S.; OLIVEIRA, A. S.; FERREIRA, M. A. 2015. Determinantes do Desempenho Acadêmico na Área de Negócios. Meta: Avaliação, 7(20): 175-209.

MONTEIRO, A. M.; GONÇALVES, C. M. Desenvolvimento vocacional no ensino superior: satisfação com a formação e desempenho académico. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 12(1): 15-27. 2011.

MUNHOZ, A. M. H. Uma análise multidimensional da relação entre inteligência e desempenho acadêmico em universitários ingressantes. Doctoral dissertation, Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Brasil. 2004.

PESCE, R. P.; ASSIS, S. G.; AVANCI, J. Q.; SANTOS, J. C.; MALAQUIAS, J. V.; e CARVALHES, R. Adaptação transcultural, confiabilidade e validade da escala de resiliência. Cadernos de Saúde Pública, v. 21 n. 2. Rio de Janeiro, 2005.

RIBEIRO, A. C. A. et al. Resiliência no trabalho contemporâneo: promoção e/ou desgaste da saúde mental. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 16, n. 4, dez. 2011 .

RUTTER, M. Resiliência como um conceito dinâmico. Development and Psychopathology. Cambridge University Press, v. 24, p. 335-344, 2012.

SANTOS, N. A. Determinantes do desempenho acadêmico dos cursos de ciências contábil. Tese de doutorado em Ciências Contábeis, Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Departamento de Contabilidade e Atuária, FEA/USP, São Paulo, SP, Brasil. 2012.

SAPIENZA, G.; e PEDROMÔNICO, M. R. M. Risco, proteção e resiliência no desenvolvimento da criança e do adolescente. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 10 n. 2. p. 209- 216, 2005.

SOUZA, E. S. ENADE 2006: Determinantes do Desempenho dos cursos de Ciências Contábeis. Dissertação de mestrado, Programa Multiinstitucional e Inter-Regional de PósGraduação em Ciências Contábeis, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil. 2008.

Publicado
2019-10-23