A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO: análise de pesquisas sobre o cenário brasileiro

  • Gisele Gimenes do Amaral Miguel Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/ Câmpus de Naviraí
  • Sibelly Resch Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/ Câmpus de Naviraí
  • Jaiane Aparecida Pereira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS
Palavras-chave: Mulher, Mercado de trabalho, Divisão sexual do trabalho.

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi identificar pesquisas e estudos que possam contribuir para analisar o cenário brasileiro quanto à divisão sexual do trabalho. Foi realizada uma pesquisa de natureza qualitativa e descritiva, por meio de pesquisa bibliográfica, utilizando o Portal de Periódicos da CAPES e o Google Scholar, considerando os termos “trabalho” e “mulher”. Foram encontrados onze trabalhos no período compreendido entre 2016 e 2019, que abordavam questões relacionadas à divisão sexual do trabalho. Como resultados, observou-se que as contribuições dos estudos podem ser enquadradas em quatro temas: Lazer; Disparidade salarial; Cargos de liderança; Trabalho doméstico. Identificou-se que os homens ainda possuem maior tempo dedicado ao lazer, enquanto a mulher é responsável pela maior carga dos trabalhos domésticos. A disparidade salarial também foi evidenciada, bem como a menor proporção de mulheres em cargos de liderança.

Biografia do Autor

Jaiane Aparecida Pereira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Doutora em Administração pela Universidade Estadual de Maringá - UEM

Professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Referências

ALVES, D. B. Trabalho, educação e conhecimento na enfermagem: uma contribuição aos estudos sobre a força de trabalho feminina. Salvador: Dankat, 1997.

BARBOSA, Ana Luiza Neves de Holanda. Tendências na alocação do tempo no Brasil: trabalho e lazer. Revista Brasileira de Estudos de População. vol.35 nº.1. São Paulo, mar. 2019. DOI: https://doi.org/10.20947/s102-3098a0063

BARROS, S. C. V. MOURÃO, L. Panorama da participação feminina na educação superior, no mercado de trabalho e na sociedade. Psicologia & Sociedade. vol.30. Belo Horizonte, out. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1807-0310/2018v30174090

BETIOL, M. I. S. Ser administradora é o feminino de ser administrador? In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, Atibaia. Anais... Atibaia: ENANPAD, 2000.

BOURDIEU, P. Novas reflexões sobre a dominação masculina. In: LOPES, M. J. M.; MEYER, D. E.; WALDOW, V. R. (Org.). Gênero e Saúde. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

DEL PRIORE, M. História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto/Ed.

UNESP, 1997.

FARIA, C. A. P. de. Entre marido e mulher, o estado mete a colher: reconfigurando a divisão do trabalho doméstico na Suécia. Revista Brasileira de Ciências Sociais. v. 17, n. 48. p. 173-196, 2002.

FERNANDEZ, Brena Paula Magno. Economia feminista, problemas de pesquisa e propostas teóricas em prol da igualdade de gêneros. Brazilian Journal of Political Economy. vol.38 nº.3. São Paulo, jul/set. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0101-35172018-2815

GARCIA, C. F. VIECILI, J. Implicações do retorno ao trabalho após licença-maternidade na rotina e no trabalho da mulher. Fractal: Revista de Psicologia. vol.30 nº.2. Rio de Janeiro, mai. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.22409/1984-0292/v30i2/5541

GONTIJO, M. R. MELO, M. C. O. L. Da inserção ao empoderamento: Análise da trajetória de diretoras de instituições privadas de ensino superior de Belo Horizonte. REAd. Revista Eletrônica de Administração (Porto Alegre). vol.23. nº.spe Porto Alegre, dez. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.157.59314

IBGE. Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. 2010.

LEONE Eugenia Troncoso; KREIN, José Dari; TEIXEIRA, Marilane. Mulheres: mundo do trabalho e autonomia econômica. Campinas: Instituto de Economia - UNICAMP Equipe do Centro de Estudos Sindicais e Economia do Trabalho - CESIT/IE, 2017. (Cadernos de Formação) Disponível em: https://www.eco.unicamp.br/images/arquivos/Caderno-3-web.pdf (acesso em 11/08/2019).

LIMA, Camila Rodrigues Neves de Almeida. Gênero, trabalho e cidadania: função igual, tratamento salarial desigual. Revista Estudos Feministas. vol.26 nº. 3. Florianópolis, out, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9584-2018v26n347164

LIMA, Gustavo Simão; et al. O teto de vidro das executivas brasileiras. Pretexto, Belo Horizonte, v.14, n.4, p.65-80 out/dez, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.21714/pretexto.v14i4.1922

MADALOZZO, R. ARTES, R. Escolhas profissionais e impactos no diferencial salarial entre homens e mulheres. Cadernos de Pesquisa. vol.47 nº163. São Paulo, jan/ mar. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/198053143666

MEDEIROS, M. PINHEIRO, L. S. Desigualdades de gênero em tempo de trabalho pago e não pago no Brasil, 2013. Sociedade e Estado. vol.33 nº1. Brasília, jan/abr. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0102-699220183301007.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Coordenação Geral de Estatísticas do Trabalho e Identificação Profissional. Revista Anual de Informações Sociais – RAIS. Brasília: Datamec, 1988-2004.

O GLOBO. Espanha avança e será o país com a maior licença-paternidade da Europa: quatro meses. Disponível em: https://oglobo.globo.com/celina/espanha-avanca-sera-pais-com-maior-licenca-paternidade-da-europa-quatro-meses-23554057 (acesso em 10/08/19).

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Disponível em: https://nacoesunidas.org/onu-mulheres-e-cartunistas-divulgam-charges-para-criticar-desigualdades-de-genero/. Acesso em: 09 abr. 2019.

PRONI, T. T. R. W. PRONI, M. W. Discriminação de gênero em grandes empresas no Brasil. Revista Estudos Feministas. vol.26 nº1. Florianópolis, fev. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9584.2018v26n141780

RODRIGUES, Rosângela Rocio Jarros. Educação profissional da mulher e a ascensão a cargos de liderança. Revista Labor, v. 2, n°18, 2017. DOI: https://doi.org/10.29148/labor.v2i18.33504

SOARES, Cristiane; MELO, Hildete; BANDEIRA, Lourdes. O trabalho das mulheres brasileiras: uma abordagem a partir dos censos demográficos de 1982 a 2010. Anais do XIX Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP. São Pedro/SP, 24 a 28 de novembro de 2014.

SOUSA, L. P. GUEDES, D. R. A desigualdade sexual do trabalho: um olhar sobre a última década. Estudos Avançados. vol.30 nº87. São Paulo, mai/ago. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142016.30870008

TRIVINÔS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.

TUANA, N. Women and the History of Philosophy, New York: Continuum/Paragon House, 1992.

WORLD ECONOMIC FORUM. Global Gender Gap. Disponível em: http://reports.weforum.org/global-gender-gap-report-2017/results-and-analysis/ (acesso em 10/08/2019)

Publicado
2019-10-23