MARCOS LEGAIS E OPERACIONAIS DA EDUCAÇÃO NO/DO CAMPO: limites e perspectivas

Kattya Regina Gomes Rodrigues, Mariele de Oliveira Silva

Resumo


Diante do que buscamos conhecer a respeito das políticas públicas para a educação, o presente artigo objetiva analisar e refletir, por meio da legislação da educação do campo, seu papel social para o fortalecimento do camponês, da agricultura familiar, da reforma agrária e das comunidades tradicionais. Traçamos um histórico das lutas da classe trabalhadora rural, especialmente em relação à qualidade da educação, e um breve relato sobre como caminhou e caminha a educação no/do campo no Mato Grosso do Sul, até os dias atuais. Os direitos ao acesso e à permanência do aluno nas escolas do campo vêm sendo discutidos já há muito tempo, mas percebemos que a complexidade que o tema envolve dificulta o entendimento dos caminhos para implementar, de fato, a educação do/no campo no país e construir uma identidade cultural que represente essa vontade de adquirir autonomia por meio da educação e dos saberes do campo, dos saberes urbanos, dos saberes tradicionais, mesmo com todos os instrumentos legais e operacionais existentes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

  Creative Commons License  Este trabalho está licenciado sob uma Licença Internacional Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0