Lésbicas e o combate às discriminações nas páginas do boletim ChanaComChana

Paula Silveira-Barbosa, Gabriela Coutinho

Resumo


O estudo tem o objetivo de identificar a contribuição das lésbicas brasileiras para o combate às discriminações. Para isso, adotamos o boletim ChanaComChana como objeto de discussão. O periódico foi editado pelo Grupo de Ação Lésbica-Feminista (Galf) entre 1982 e 1987. Esse grupo foi o primeiro coletivo auto-organizado de lésbicas de que se tem registro no Brasil. Além disso, o ChanaComChana foi a única publicação lésbica que se manteve em circulação, ainda que com dificuldades, durante quase toda a década de 1980. Para cumprir o objetivo proposto, usamos como abordagem teórica a história do tempo presente, além da análise documental como ferramenta metodológica. A escolha desse referencial teórico anuncia que propomos a construção de um saber situado, sem a pretensão de obedecer uma suposta neutralidade científica. Como resultado, esperamos que o estudo contribua para visibilizar a participação das lésbicas nas lutas pelos direitos humanos, além de tensionar a escrita da história, que por muitas vezes desconsidera a ação de sujeitos tidos como dissidentes.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANZALDÚA, Gloria. La conciencia de la mestiza / Rumo a uma nova consciência. Tradução de Ana Cecilia Acioli Lima. Revista Estudos Feministas, v. 13, n. 3, p.704-719, 2005.

ARAÚJO, Maria Paula Nascimento. A utopia fragmentada: as novas esquerdas no Brasil e no mundo na década de 1970. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000.

BACHETTA, Paola. Co-formações/co-produções: considerações sobre poder, sujeitos subalternos, movimentos sociais e resistências. In: TORNQUIST, Carmen Suzana... [et. al]. Leituras de resistência: corpo, violência e poder. V. 1. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2009, p.49-73.

BELTRÃO, Luiz. Jornalismo Opinativo. Porto Alegre: Sulina, 1980.

CABRAL, Jacqueline Ribeiro. Imorais e subversivos: censura a LGBTs durante a ditadura militar no Brasil. Periódicus, v. 1, n. 4, p.127-150, 2015.

CARDOSO, Elizabeth da P. Imprensa feminista brasileira pós-1974. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004, 132 f.

CARNEIRO, Ailton José dos Santos. A morte da clínica: movimento homossexual e luta pela despatologização da homossexualidade no Brasil (1978-1990). In: Anais do XXVIII Simpósio Nacional de História. Lugares dos historiadores: velhos e novos desafios. Florianópolis: ANPUH, 2015, p. 1-15. Disponível em: http://www.snh2015.anpuh.org/resources/anais/39/1439866235_ARQUIVO_Artigo-Amortedaclinica.pdf. Acesso em 9/05/2019.

COUTINHO, Gabriela. Lésbicas no debate da redemocratização: uma análise do boletim ChanaComChana. Monografia (Licenciatura em História) - Departamento de História, Universidade de Brasília, Brasília (no prelo), 2019. 60 f.

DOSSE, François. História do tempo presente e historiografia. Tempo e Argumento, v. 4, n. 1, p. 5-22, 2012.

FALQUET, Jules. De la cama a la calle: perspectivas teóricas lésbico-feministas. Bogotá: Ediciones Antropos, 2006.

FALQUET, Jules. Romper o tabu da heterossexualidade: contribuições da lesbianidade como movimento social e teoria política. Cadernos de Crítica Feminista, v. 6, n. 5, p. 8-31, 2012.

FAZIO, Hugo. Historia del tiempo presente y presente histórico. Historiografías, n. 15, p. 22-35, 2018.

FERNANDES, Marisa. Ações lésbicas. In: GREEN, James N. ... [et al.]. História do Movimento LGBT no Brasil. São Paulo: Alameda, 2018, p. 91-120.

FERREIRA, Marieta de Moraes. História do tempo presente: desafios. Cultura Vozes, v. 94, n. 3, 2000, p. 111-124.

GREEN, James. Fortalecendo alianças e reconhecendo complexidades: as ideias e experiências pioneiras do Grupo Somos de São Paulo. In: GREEN, James N. ... [et al.]. História do Movimento LGBT no Brasil. São Paulo: Alameda, 2018, p. 63-78.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. 2ª ed. São Paulo: Centauro, 2003.

LESSA, Patricia. Lesbianas em movimento: a criação de subjetividades (1979-2006). 2007. 261 f. Tese (Doutorado em História) - Departamento de História, Universidade de Brasília, Brasília.

LINS, Regina Navarro. A cama na varanda: arejando nossas ideias a respeito de amor e sexo: novas tendências. Ed. rev. e ampliada, Rio de Janeiro: BestSeller, 2007.

MACRAE, Edward. A construção da igualdade: identidade sexual e política no Brasil da “abertura”. Campinas: Editora Unicamp, 1990.

MAIA, Carolina. Entre armários e caixas postais: escritas de si, correspondência e constituição de redes na imprensa lésbica brasileira. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. 198 f.

MIÑOSO, Yuderkys Espinosa. Introducción. In: MOGROVEJO, Norma… [et al.]. Desobedientes: experiencias y reflexiones sobre poliamor, relaciones abiertas y sexo casual entre lesbianas latinoamericanas. Buenos Aires: En la Frontera, 2009, p. 5-8.

MOGROVEJO, Norma. Un amor que se atrevió a decir su nombre: la lucha de las lesbianas y su relación con los movimientos homosexual y feminista en América Latina. Cidade do México: Plaza y Valdés, 2000.

REA, Caterina Alessadra. Sexualidades dissidentes e teoria queer pós-colonial: o caso africano. Revista Epistemologias do Sul, v. 1, n. 1, p. 145-165, 2017.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.

RICH, Adrienne. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Tradução de Carlos Guilherme do Valle. Bagoas: estudos gays, gêneros e sexualidades, v. 4, n. 5, p. 17-44, 2010.

SILVA, Emanuela Francisca Ferreira. Entre Vencedores e Vencidos: Reflexões sobre História, Memória e Cesura. Estação Literária, v. 4, p. 15-26, 2009.

SILVA, Zuleide Paiva. “Sapatão não é bagunça”: estudo das organizações lésbicas da Bahia. Tese (Doutorado Multi-Institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento). Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2016. 382 f.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. 4ª ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2018.

WITTIG, Monique. El pensamiento heterosexual y otros ensayos. Tradução de Javier Sáez y Paco Vidarte. Madrid: Egales, 2006.

FONTES

CHANACOMCHANA, São Paulo: Grupo de Ação Lésbica-Feminista, n. 2 - Dezembro/1982.

CHANACOMCHANA, São Paulo: Grupo de Ação Lésbica-Feminista, n. 5 - Maio/1984.

CHANACOMCHANA, São Paulo: Grupo de Ação Lésbica-Feminista, n. 6 - Novembro/1984.

CHANACOMCHANA, São Paulo: Grupo de Ação Lésbica-Feminista, n. 7 - Abril/1985

CHANACOMCHANA, São Paulo: Grupo de Ação Lésbica-Feminista, n. 8 - Agosto/1985

CHANACOMCHANA, São Paulo: Grupo de Ação Lésbica-Feminista, n. 9 - Dezembro/1985

COMISSÃO DA VERDADE. Ditadura e homossexualidades: iniciativas da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo Rubens Paiva. São Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em 28/5/2019.

Folha de S. Paulo. 29 de maio de 1985. Disponível em: . Acesso em 25/1/ 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 Qualis B-4

    

Resultado de imagem para latinrev