CONFIGURAÇÃO FÍSICO-TERRITORIAL DO SETOR METALOMECÂNICO DA SERRA GAÚCHA E SUA RELAÇÃO COM O TURISMO: ESTUDO DE CAXIAS DO SUL (RS)

  • Pedro de Alcântara Bittencourt César Universidade de Caxias do Sul

Resumo

Pesquisa de lógicas espaciais, principalmente as localizacionais, do setor metalomecânico e sua relação com os equipamentos turísticos e de hospitalidade de Caxias do Sul (RS). Esta pesquisa tem como referência duas posições definidas: as transformações oriundas da indústria, mais especificamente, do setor metalomecânico e as relações geradas pelo consumo, definidas como urbanização turística. Adota-se Caxias do Sul/RS, principal núcleo produtivo deste setor no sul do país, como centralidade. Objetiva-se com o presente trabalho identificar as distribuições das unidades produtivas desse setor. Tais questões colaboram para um entendimento das relações entre os setores industriais e de hospitalidade. Assim, estudam-se as possibilidades de compreender as suas formas físico-territoriais e como as alternativas de fluxos diversos distribuem na oferta de hospitalidade urbana. Como procedimento metodológico, realiza-se estudo de referenciais teóricos acerca da temática, além de levantamento cadastral e localizacional do setor. Elaboram-se, posteriormente, representações espaciais com os respectivos dados levantados. A partir deste mapeamento destaca-se a importância da estrutura metalomecânica para região, identificando dimensões de sua rede produtiva e o distanciamento com a atividade turística, embora esta se posicione como importante motivadora da visitação na cidade.  

Biografia do Autor

Pedro de Alcântara Bittencourt César, Universidade de Caxias do Sul
Doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo (2007), possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Taubaté (1989), mestrado em Planejamento e Gestão em Turismo Ambiental e Cultura pelo Centro Universitário Ibero Americano (2002) e especialização em Planejamento e Marketing Turístico (SENAC-SP, 2000). Professor no Programa de Mestrado e Doutorado em Turismo e Hospitalidade e no Centro de Artes e Arquitetura da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Professor Visitante do Programa de Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional da Universidade de Taubaté (UNITAU) e do Centro de Investigações sobre Espaços e Organizações da Universidade do Algarve (CIEO-UAlg). Tem experiência e pesquisa na área de Turismo, Artes, Hotelaria e Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Planejamento, Planejamento Urbano e Regional, Patrimônio cultural, Turismo cultural e Enoturismo.

Referências

Ablas, L. A. Q (1982). A Teoria do lugar central: bases teóricas e evidencias empíricas: estudo do caso de São Paulo. São Paulo: Usp/Ipe.

APL MMA (2017). APL Metal Mecânico Automotivo da Serra Gaúcha. Perfil socioeconômico. Apostila Simecs, Recuperado de http://www.desenvolvimento.gov.br/conferencia-apl/modulos/arquivos/ReneuHartemink.pdf

Azzoni, C. R. (1982). Teoria da Localização: uma análise crítica. São Paulo. IPE/USP, Série Estudos Econômicos, 19.

Betarelli Junior, A. A. & Simões, R. F. (2011). A dinâmica setorial e os determinantes locacionais das microrregiões paulistas. Economia Aplicada, v. 15(4), 641-670. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ecoa/v15n4/06.pdf

BNDES, UFSC, UFRJ (2006). Relatório: Os Arranjos Produtivos Locais no Rio Grande do Sul: mapeamento, metodologias de identificação e critério de seleção para políticas de apoio. Rio Grande do Sul. In. Análise dom mapeamento e das políticas para Arranjos Produtivos Locais no sul, sudeste e centro-oeste do Brasil. Apostila.

Boullón, R. C. (2002). Planejamento do espaço turístico. Bauru, SP: EDUSC.

Brasil. IBGE (2010). Censo demográfico 2010. Recuperado de www.ibge.gov.br

Brasil. Ministério do Turismo (2011). Programa de regionalização do turismo: roteiros do Brasil. Brasília. Recuperado de www.turismo.gov.br

Canto, M. A. C. (2002). Mensuração e análise da eficiência técnica de produção do setor metal-mecânico da industria de Caxias do Sul. Dissertação metrado UFRGS/UCS, Porto Alegre.

Castells, M. (2001). A sociedade em rede: a era da informação. 5ed. São Paulo: Paz e terra.

Castells, M (1983). Questão Urbana. São Paulo: Paz e terra.

Caxias do Sul (2007). Plano diretor de Caxias do Sul. Lei complementar 209 de 24 de setembro de 2007. Respectivos Anexos. Caxias do Sul.

Caxias do Sul (2014). Secretaria de Planejamento Municipal. Lista de equipamentos de serviços. Material avulso fornecido. Caxias do Sul.

César, P. A. B. (2016) Roteiros turístico-culturais na Serra Gaúcha (RS-Brasil): escolha e formação dos percursos e seu apelo histórico memorial. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. Vol 10(3), pp. 416-434, set/dez. doi: 10.7784/rbtur.v10i3.1042

César, P. A. B. & Marcolin, M. C. (2017). Festa da uva e sua relação com a cidade de Caxias do Sul. Revista Rosa dos Ventos – turismo e hospitalidade. Vol. 9(IV), pp. 537-556, out. disponível em http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/rosadosventos/article/view/4768/pdf

Christaller, W. (1966). Central places in Southern Germany. Eaglewood Cliffs: Prentice Hall. N.J.: Prentice-Hall. https://doi.org/10.1177/000271626636800132

Beni, M. (1990). Sistema de Turismo - SISTUR Estudo do Turismo face à moderna teoria de sistemas. Revista turismo em análise. v. 1 (1), 15-34.

Ferreira, C. M. C. (1989). Espaço, regiões e economia regional. In: Haddad, P. R. (Org.). Economia regional: teorias e métodos de análise. Fortaleza: BNB/Etene.

Grinover, L. (2006). A hospitalidade urbana: acessibilidade, legibilidade e identidade. Revista Hospitalidade. São Paulo, ano III (2), 29-50. Recuperado de https://revhosp.org/hospitalidade/article/view/191/206

Harvey, D. (1996). Condição pós-moderna. 6ed. Edições Loyola, São Paulo.

Liberato, R. C, (2008, 2ºsem). Revisando os modelos e as teorias da análise regional. Caderno de Geografia, Belo Horizonte, v. 18, n. 29, 127-136. Recuperado de http://www1.pucminas.br/documentos/geografia_28_nota01.pdf

Machado, M. A. (2001). Construindo uma cidade: história de Caxias do Sul – 1875/1950. Caxias do Sul, RS: Maneco.

Mota, F. O. (1960). Manual de localização industrial. Recife: Banco do Nordeste.

Mullins, P (1991, set). Tourism Urbanization. International Journal of Urban and Regional Reserch. v. 15(3). https://doi.org/10.1111/j.1468-2427.1991.tb00642.x

Oliveira, P. S. (1998). Caminhos de construção da pesquisa em Ciências Humanas. In. ________ (org). Metodologia das Ciências Humanas. São Paulo: Hucitec, EdUnesp. 17-26.

Rio Grande do Sul. (2006). Rumos 2015: estudo sobre desenvolvimento regional e logística de transporte no Rio Grande do Sul. SCP-Deplan; DCAPET. Porto Alegre: SCP. Recuperado de https://planejamento.rs.gov.br/upload/arquivos/201601/12102911-rumosvol1-1-001-298-red.pdf

Rio Grande do Sul (2015). Secretaria de Estado do Planejamento, Mobilidade e Desenvolvimento Regional (2015). Perfil socioeconômico Corede Serra. Porto Alegre: s.d.

Scott, L. & Urry, J. (1998). Economias de signos y espacio: sobre el capitalismo de la posorganización. Buenos Aires: Amorrortu.

Siedenberg, D. R., Saad, A. Z. & Senger, C. M. (2005). Condicionantes históricos e determinantes contemporâneos do desenvolvimento regional no Rio Grande do Sul. In. Carvalho, J. R. & Hermanns, K. Políticas públicas e desenvolvimento regional no Brasil. Fortaleza (CE), Fundação Konrad Adnauer, 211-238.

Simecs (2017). Sindicado das Industrias, Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (2014). Recuperado de http://www.simecs.com.br/empresas/pesquisa-de-empresas/

Simon, S., Gastal, S. & Santos, M. M. C. (2014, set.-dez.). Mobilidade e turismo: Hospitalidade no transporte coletivo em Caxias do Sul/RS. Revista Brasileiroa em Pesquisa em Turismo. São Paulo, 8(3), 552-567. Recuperado de https://www.rbtur.org.br/rbtur/article/view/812/659

Souza, N. J. (2009). Desenvolvimento Regional. São Paulo: Atlas.

Triches, D. (2002). Aspectos monetários, cambiais e de economia política do Mercosul. Tese (Doutorado em Economia) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre RS.

Urry, J. (2001). O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. 3ed. São Paulo: Studio Nobel.

Vazques, A. S. (1977). Filosofia da práxis (2ªed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Villaça, F. (1998). Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Estudio Nobel.

Von Thünen, J. H. (1966). Der isolierte staat in beziehung auf landwirtschaft und nationalökonomie. Hamburg: Perthes, 1826. Translation: The isolated state. Oxford: Pergammon Press.

Zanini, M. C. C., & Santos, M. O. (2013, janeiro). As Festas da Uva de Caxias do Sul, RS (Brasil): Historicidade, mensagens, memórias e significados. Revue Artelogie. v. 4 (3). Recuperado de http://cral.in2p3.fr/artelogie/spip.php?article175.em

Zin, R. A. (2014, mai-ago). Pequenas empresas podem ser competitivas no mercado internacional? Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional (G&DR). v. 10 (2) 2, 264-287, Taubaté, SP, Brasil. Recuperado de http://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/view/1360/387

Publicado
2019-04-27