Resumo: <br>Purificação e caracterização parcial de quitinase produzida por Trichoderma Koningii e sua aplicação no controle de fungos patogêncos. PECIBES, supl.1, 36, 2015

  • Rafael de Souza Pontes
  • Thais Karolainne Pereira Dantas
  • Emmly Ernesto de Lima
  • Clarice Rosato Marchetti
  • Patrícia Oliveira da Silva
  • Giovana Cristina Giannesi
  • Fabiana Fonseca Zanoelo

Resumo

A quitina é o segundo polímero mais abundante na biosfera depois da celulose, possuindo elevado peso molecular e sendo constituído por monômeros de N-acetil-D-glucosamina unidos por ligações glicosídicas β-1,4. As quitinases são enzimas que hidrolisam a quitina e estão amplamente distribuídas na natureza, ocorrendo em plantas, animais, vírus, bactérias, fungos e insetos.O entendimento da bioquímica de enzimas quitinolíticas as tornará mais útil para uma variedade de processos no futuro, podendo ser empregues na área da saúde humana, tais como preparações microbicidas. O objetivo deste estudo foi realizar a produção e semi-purificação da quitinase produzida por Trichoderma koningii, caracterizar e avaliar a aplicação da enzima no controle de fungos patogênicos. T. koningii foi cultivado em meio líquido TLE sob condição agitada (110 rpm) durante 192 horas a 30 °C com 0,5% de quitina coloidal como fonte de carbono. O extrato bruto foi submetido ao processo de semi-purificação por precipitação, utilizando acetona e álcool à 4ºC. Os ensaios de temperatura foram realizados no mesmo tampão e incubados em temperaturas 35-70°C. O valor de pH ótimo foi determinado utilizando tampão Mcllvaine, em pH 3,0-8,0. O efeito de vários íons metálicos na atividade quitinolítica foi testado utilizando a concentração de 5 mM. Para a detecção da atividade antifúngica da quitinase, foram utilizados discos de papel filtro contendo a enzima, posteriormente semeados em placa com fungos patogênicos, incubados à 30ºC durante 72 horas. A enzima apresentou maior rendimento utilizando álcool. A temperatura e pH ótimos foram 65°C e 5.0, respectivamente. A atividade enzimática foi ativada pelo íon + 2+ 2+ 2+ 4+ Mn ² e fortemente inibida por Zn , Cu , Hg e NH . No controle biológico a quitinase apresentou atividade antifúngica contra Aspergillus spp. A quitinase produzida por T. koningii possui atividade antifúngica podendo ser utilizada no controle biológico, substituindo fungicidas químicos, além de outras possíveis aplicações.
Publicado
2017-09-20