ENSINAR FILOSOFIA: POR ONDE COMEÇAR?

  • Maikon Chaider Silva Scaldaferro Universidade doEstado do Rio de Janeiro Instituto Federal do Espírito Santo
  • Claudiana Campanharo Universidade Federal do Espírito Santo.

Resumo

Um dos grandes desafios dos professores recém graduados em filosofia é o “como ensinar”. Não é raro que um jovem profissional se sinta perdido diante de estudantes do ensino médio, sem saber quais estratégias de ensino utilizar para desenvolver um bom trabalho. Nosso artigo compartilha algumas práticas de ensino que podem auxiliar professores da área, não só os jovens profissionais, mas também os mais experientes que procuram aprimorar suas aulas. Primeiramente apresentamos práticas que visam despertar nos alunos o interesse pelos problemas filosóficos. Num segundo momento explicamos algumas práticas que permitem ao estudante aplicar os conhecimentos adquiridos nas aulas sobre ética, filosofia política e lógica. Ao final, discutimos como as práticas de ensino aqui propostas estão alinhados a um projeto de “educação para democracia”.

Biografia do Autor

Maikon Chaider Silva Scaldaferro, Universidade doEstado do Rio de Janeiro Instituto Federal do Espírito Santo
Doutorando em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professor do Instituto Federal do Espírito Santo.
Claudiana Campanharo, Universidade Federal do Espírito Santo.
Mestre em  Filosofia pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professora de Filosofia na rede estadual do Espírito Santo.

Referências

ARISTÓTELES. A Política, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

BOBBIO, Noberto. O futuro da democracia. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados/Cortez, 1989.

GALLO, Sílvio. Chegou a hora da Filosofia. Revista educação. Disponível em: http://revistaeducacao.uol.com.br/textos.asp?codigo=12008 Acesso: set. 2018.

HABERMAS, Jürgen. Teoría de la acción comunicativa II: crítica de la razón funcionalista. Madri: Taurus Humanidades, 1987.

NUSSBAUM, Martha. Sem fins lucrativos: por que a democracia precisa das humanidades. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2015.

RAWLS, John. Justiça e Democracia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Publicado
2019-09-14
Seção
Artigos