SALA DE AULA INVERTIDA: Um experimento no curso de Ciências Contábeis da ESAN/UFMS

  • Alefi dos Santos Pereira UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
  • Elisabeth de Oliveira Vendramin UFMS
  • Darlison da Silva Oliveira Faculdade do Tapajós
  • Leonardo de Lima Neves Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Sala de Aula Invertida, Aprendizagem Ativa, Novas Tecnologias.

Resumo

A implementação de Flipped Classroom ou Sala de aula invertida como uma estratégia para gerir a aprendizagem de estudantes na disciplina de Teoria da Contabilidade da graduação em Ciências ESAN/UFMS procura melhorar o desempenho acadêmico, apoiando o desenvolvimento de habilidades através de meios tecnológicos que garantem on-line espaços de ensino virtual, onde será possível estender horas de estudo e canais de comunicação; e considerando que investir na aula implica repassar conteúdos de baixo nível em casa; e que a prática, “que implica alto nível cognitivo”, se desenvolverá na sala com a assessoria do professor. O estudo que será realizado tem como metodologia uma analise descritiva quantitativa da abordagem, metodologia que permite analisar os dados e expressar seus valores quantitativamente.

Referências

BARBOSA, Eduardo Fernandes; MOURA, Dácio Guimarães. Metodologias Ativas de Aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2,

BERBEL, N. A. (2011). As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 32 (1), pp. 25-40.

DANTAS, Adriana D. et al. Uma Avaliação do Modelo Sala de Aula Invertida no Ensino Superior. In: Workshops do IV Congresso Brasileiro de Informática na Educação, 2015, Amazonas. Anais. CBIE, 2015.

FAUNDEZ, Angélica Rosa Opazo; BASTIAS, José Miguel Acuña; POLANCO, María Priscilla Rojas. Evaluación de metodologíaflippedclassroom: primeraexperiência. INNOEDUCA, v. 2, n. 2 Dezembro de 2016.

FERREIRA, Vitor Francisco. As Tecnologias Interativas no ensino. Química Nova, Rio de Janeiro, v.21, n.6, março de 1998.

MASETTO, M. T.. Docência na Universidade. 11a. ed. Campinas: Papirus Editora, 2012. v. 01. 122p .

MORÁN, José. Mudando a Educação com Metodologias Ativas. In: Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II Carlos Alberto de Souza e Ofelia Elisa Torres Morales (orgs.), 2015.

PAVANELO, Elisangela; LIMA, Renan. Sala de Aula Invertida: a analise de uma experiência na disciplina de Calculo I. Scielo, Rio Claro – SP, v. 31, n. 58, agosto de 2017.

PEREIRA, Zeni Terezinha Gonçalves; SILVA, Denise Quaresma da. Metodologia Ativa: Sala de aula invertida e suas práticas na educação básica. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio enEducación, v. 16, n.4, 2018.

SCHMITZ, Elieser Xisto da Silva; REIS, Susana Cristina dos. Sala de Aula Invertida: investigação sobre o grau de familiaridade conceitual teórico-prático dos docentes da universidade. ETD- Educação Temática Digital, São Paulo, v. 20, n. 1, jan/mar 2018.

VALENTE, José Armando. Blended Learning e as mudanças no Ensino Superior: a proposta de sala de aula invertida. Educar em Revista, Paraná, n. 4, 2014 .

Publicado
2019-10-08