Processos de digitação de fontes históricas: possibilidades alternativas

  • Odair Gonçalves Marquez UFMS/PPGEDUMAT
  • Tharine Antunes Lopes UFMS
  • Klinton Sales Pinheiro UFMS

Resumo

A digitalização de documentos históricos atua na preservação de registros históricos, além de facilitar sua busca e acesso. O equipamento idealizado para este tipo de trabalho é o scanner planetário, entretanto devido ao custo elevado muitos pesquisadores em história não dispõem desse equipamento. Assim, este minicurso tem como proposta apresentar uma alternativa para digitalização com materiais acessíveis e de baixo custo. Apresenta os materiais e procedimentos necessários para a realização desta atividade. Além dos equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas, há necessidade da utilização de cartolina branca, suporte para celular/máquina fotográfica, livro, luminária, aplicativo Photoshop Express, celular/máquina fotográfica, computador com editor de texto. Dessa forma, a digitalização de documentos históricos torna-se acessível a todos pesquisadores, preservando a memória da educação matemática e contribuindo com o crescimento de acervos de arquivos digitais.

Biografia do Autor

Odair Gonçalves Marquez, UFMS/PPGEDUMAT

Mestre em Educação Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Professor da Rede Municipal de Educação de Corumbá/MS e da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul, Brasil. E-mail: omarquez.marquez@gmail.com.

Tharine Antunes Lopes, UFMS

Doutoranda em Educação Matemática pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), possui Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2016) e Mestrado em Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Matemática Universitária da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2018). Membro e Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Compasso MS, que realiza pesquisas de fundo histórico relacionadas à Educação Matemática e à História da Educação Matemática. Professora assistente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, campus de Aquidauana. E-mail: antunestharine@gmail.com.

Klinton Sales Pinheiro, UFMS

Possui graduação em Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2003). Gestor Escola Municipal Clio Proença e professor da Prefeitura Municipal de Corumbá/MS. Especialização em Psicopedagogia clinica e institucional (2005) pela UNIVALE, especialização em educação ambiental(2014) pela UNIVERSO. E-mail: bill_salles@hotmail.com.

Referências

Bloch, M. (2001). Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

Martins, D. (2020). O historiador na gestão documental e arquivística. Semana do Desenvolvimento Profissional, UFMS. Mato Grosso do Sul.

Valente, W. R. (2007). História da Educação Matemática: interrogações metodológicas. Revista Eletrônica de Educação Matemática, 2 (1), 28-49. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/12990.

Publicado
2020-10-25
Como Citar
Marquez, O. G., Antunes Lopes, T., & Sales Pinheiro, K. (2020). Processos de digitação de fontes históricas: possibilidades alternativas. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (5), 1-5. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/11237
Seção
Sessões Coordenadas