Desfiando a Boneca Emília, Tecendo a Aritmética: práticas no processo de ensino e aprendizagem de Matemática em uma das obras de Monteiro Lobato

  • Adriel Gonçalves Oliveira Doutorando do Programa de Pós Graduação em Educação Matemática da Unesp de Rio Claro

Resumo

Este artigo apresenta indícios de práticas no processo de ensino e de aprendizagem de aritmética da época, a partir dos rastros fornecidos pela obra A aritmética da Emília (1935), de Monteiro Lobato. Tal obra é entendida como um documento histórico. Temos por referenciais Chartier e Ginzburg. Nossa análise utiliza a intertextualidade entre os diversos documentos escritos na época em que foi publicada essa obra de Monteiro Lobato. Concluímos que a tradição escolar da
qual Lobato foi aluno, em que se priorizava a memorização, bem como a filosofia positivista e os novos ideais pedagógicas da Escola Nova, exerceram influências no texto em questão.

Referências

AZEVEDO, C, L; CAMARGOS, M; SACCHETTA, V. Monteiro Lobato: Furacão na Botocúndia. 3.ed. Sao Paulo: Senac, 2001.

BICUDO, J, C. O Ensino Secundáro no Brasil e sua Atual Legislação: de 1931 a 1941 inclusive. São Paulo, 1942.

BRITO, A. J. A matemática e seu ensino no século XVII: dois ensaios. Tese (Livre docência). UNESP. Rio Claro. 2011.

CAVALHEIRO, E. Monteiro Lobato: vida e obra. 2.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956.

CHARTIER, R. A história cultural entre práticas e representações. Tradução Maria Manuela Carvalho. Lisboa: Difel, 1988, 244p.

EDUCAÇÃO (revista). São Paulo. Beneficencia Portugueza. v. I. n° 1. 1927.

GINZBURG, C. Relações de força: história, retórica, prova. 1. Ed. São Paulo: Cia das Letras, 2002.

GINZBURG, C. O fio e os rastros. S Paulo: Cia das Letras, 2007.

GOUVÊA, M, C, S. “A literatura infantil e o pó de pirlimpimpim” in LOPES, E, M, T et all: Lendo e Escrevendo Lobato. 2ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.p. 13 a 31.

HARLAM, D. “A História Intelectual e o retorno da literatura” In: RAGO, M; GIMENES,R, A, L. Narrar o passado, repensar a história. Campinas-SP: UNICAMP, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, 2000. 360p.

LOBATO, J. B. R. M. A Barca de Gleyre. 1 ed. São Paulo: editora Globo, 2010, p.595.

LOBATO, J. B. R. M. Prefácios e entrevistas. São Paulo: editora Globo. 2009, 245p.

LOBATO, J.B.R.M. Arimética da Emília. 4° ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1944, p.175.

LOBATO, J.B.R.M. Dom Quixote das crianças. 2° ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1940. 172p.

LOBATO, J.B.R.M. Artmética da Emília. 1° ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1935, p.167.

MIGUEL, A. Percursos indisciplinares e mobilização cultural na atividade situada de investigação acadêmica em educação. Texto apresentado na mesa redonda “Cooperação interdisciplinar e produção do conhecimento em educação”. 30ª. Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), ocorrida de 07 a 10 de outubro de 2007. Caxambu (MG).

MIGUEL, A.Percursos Indisciplinares na Atividade de Pesquisa em História (da Educação Matemática): entre jogos discursivos como práticas e práticas como jogos discursivos. Bolema: Boletim de Educação Matemática, n. 35, 2010. ISSN 0103- 636X, publicada pelo Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Departamento de Matemática da UNESP, campus de Rio Claro (SP).

NUNES, C. Monteiro Lobato e Anísio Teixeira: o sonho da Educação no Brasil. SP: 1986.

VALENTE,W.R. Euclides Roxo e a modernização do ensino de Matemática no Brasil. 1. ed. São Paulo: Editora da Sociedade Brasileria de Educação Matemática, 2003. v. 1. 191p .

ZUIN, E.S.L. Por uma Nova Arithmetica: o sistema métrico decimal como um saber escolar em Portugal e no Brasil oitocentista. PUC/SP. São Paulo. Tese (doutorado). 2007.

Publicado
2022-01-06
Como Citar
Oliveira, A. G. (2022). Desfiando a Boneca Emília, Tecendo a Aritmética: práticas no processo de ensino e aprendizagem de Matemática em uma das obras de Monteiro Lobato. Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (2), 349-360. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/15135
Seção
Sessões Coordenadas